Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16175
Título: "Tudo" em Natal : definitude, implicaturas e contribuições para o ensino de língua materna
Autor(es): Gonçalves, Fabíola Barreto
Palavras-chave: Gramaticalização;Pronome tudo;Inferência pragmática
Data do documento: 9-Abr-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GONÇALVES, Fabíola Barreto. "Tudo" em Natal : definitude, implicaturas e contribuições para o ensino de língua materna. 2010. 99 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
metadata.dc.description.resumo: A maioria dos falantes tem uma falsa impressão de que a língua é uma entidade estanque, ou seja, de que, ao longo do tempo, ela não sofre alterações. Entretanto, em seu processo evolutivo, é comum encontrarmos na língua novas funções linguísticas para itens lexicais ordinários . Um exemplo disso é o que vamos apresentar neste trabalho, que toma como objeto de análise o item TUDO, o qual, nas gramáticas normativas, tem sido classificado apenas como pronome indefinido. No entanto, podemos encontrá-lo desempenhando outros papéis, dependendo dos elementos aos quais está ligado no discurso , sobretudo na modalidade oral , podendo ser , inclusive , classificado como definido como: definido, fórico, dêitico, inferidor, entre outros. Os dados empíricos analisados provêm do Corpus Discurso & Gramática: a língua falada e escrita na cidade do Natal (FURTADO DA CUNHA, 1998). Nosso estudo tem por base os postulados da Linguística Funcional sob a perspectiva norte-americana, a qual defende uma linguística baseada no uso, ou seja, nas situações intercomunicativas (GIVÓN, 1995, 2001), concebendo a língua como um instrumento de interação social , utilizada, principalmente , para satisfazer às necessidades comunicativas. Nosso objetivo é mostrar que TUDO sofreu gramaticalização, vindo a adquirir várias funções gramaticais a partir de seu uso como pronome indefinido; e discutir necessidades comunicativas que possam ter motivado as alterações funcionais sofridas pelo item em questão no decorrer desse processo de mudança. Neste trabalho , propomos também uma atividade com esse item a fim de ser realizada em sala de aula. Através dela, desejamos fomentar uma discussão e contribuir para a conscientização dos professores de língua portuguesa dos níveis fundamental e médio a respeito da estrutura maleável e dinâmica da língua e de seu processo emergente e inacabado (HOPPER, 1991), pois a prática do ensino de língua portuguesa em sala de aula tem sido calcada no conteúdo da gramática normativa. Todavia, o educador deve promover uma reflexão para que os alunos tenham uma melhor formação, construindo e reconstruindo conceitos que norteiem sua ação e o uso da língua.
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16175
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FabiolaBG_DISSERT.pdf1,29 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.