Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16177
Título: O retrato de Eros em Florbela Espanca: um estudo sobre a escrita erótica em Charneca em Flor
Autor(es): Silva, Lígia Mychelle de Melo
Palavras-chave: Erotismo;Transgressão;Interditos sociais;Eroticism;Transgression;Social interdicts
Data do documento: 21-Jun-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Lígia Mychelle de Melo. O retrato de Eros em Florbela Espanca: um estudo sobre a escrita erótica em Charneca em Flor. 2010. 124 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: Portuguese Poet Florbela Espanca (1984 1930) lived and produced her literary work during a period in which, on the one hand, the ideals of an innovative and irreverent movement were being fomented led by Fernando Pessoa, Almada Negreiros and Mário de Sá-Carneiro , on the other hand, Portugal was still dominated by a conservative and authoritarian thought, anchored in a bourgeois-christian ideology. Inserted in an unfavorable social context to the expression of the female sexual impulse, poet Florbela then appears with an innovative speech as threatening the sexual organization of the Portuguese society. This way, considering the relations between the poetic text and the historical-social context, the aim of this work is to present a reading upon the Eroticism in The Flowering Heath (2005) as a way to contravene the borders given to the sexual phenomenon. For this reason, we will mainly resort to the concepts developed on the approach of Georges Bataille The Eroticism (2004) and also by Octavio Paz The Double Flame: Love and Eroticism (2001)
metadata.dc.description.resumo: A poetisa Florbela Espanca (1984-1930) viveu e produziu sua obra literária em um período em que, se por um lado, estavam sendo fomentados os ideais de um movimento inovador e irreverente liderado por Fernando Pessoa, Almada Negreiros e Mário de Sá-Carneiro , por outro lado, o que predominava, em Portugal, era um pensamento conservador e autoritário, apoiado numa ideologia burguês-cristã. Inserida num contexto social em que nada favorecia a expressão dos impulsos sexuais femininos, a poesia de Florbela surge, então, como um discurso inovador, na medida em que põe em xeque a organização sexual da sociedade portuguesa em questão. Desse modo, considerando as relações entre o texto poético e o contexto histórico-social, a proposta desta pesquisa é apresentar uma leitura do erótico na obra Charneca em flor (1931) como possibilidade de transgredir as limitações dadas à atividade sexual. Para tanto, recorremos aos conceitos desenvolvidos, principalmente, por Georges Bataille em O Erotismo (2004) e por Octavio Paz em A dupla chama: amor e erotismo (2001) sobre a temática abordada
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16177
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LigiaMMS_DISSERT.pdf957,16 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.