Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16193
Título: Vou estar fazendo ... um estudo funcionalista de uma (nova) forma perifrástica de futuro
Autor(es): Souza, Gisonaldo Arcanjo de
Palavras-chave: Gerúndio;Futuro;Funcionalismo;Gerund;Future;Functionalism
Data do documento: 15-Out-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SOUZA, Gisonaldo Arcanjo de. Vou estar fazendo ... um estudo funcionalista de uma (nova) forma perifrástica de futuro. 2010. 99 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: The work in evidence analyzes the use in the ways periphasis of gerund - FPG - (to go+to be+gerund) in the speech (gender class) of the teachers of Natal, Caicó and Serra Negra do Norte, potiguares cities. For that, she opted to constitute corpus, once the data found in other corpora they were inexpressive for the research. The study tries to elucidate the reasons that take the speaker to use a form of larger future in detriment of the more it tans; it investigates as it feels the manifestation of the grammaticalization and demarcation - beginnings givonianos. Besides Givón (1979, 1984, 1990, 1995 e 2001), other authors served as light: Cunha (1986); Bechara (2007); Cunha and Cintra (2007); Perini (2006); Neves (2000, 2006) Silva (2005); Furtado da Cunha and Tavares (2007); Gibbon (2000); Torres (2009). After the study, the results that point the appearance in a new way of future expression emerged, marked and with tendency the grammaticalization
metadata.dc.description.resumo: O trabalho em evidência analisa o uso das formas perifrásticas gerundivas FPG (ir+estar+gerúndio) no discurso (gênero aula) dos professores de Natal, Caicó e Serra Negra do Norte, cidades potiguares. Para isso, optou-se por constituir um corpus uma vez que os dados encontrados em outros corpora (VALPB, D&G) foram inexpressivos para a pesquisa. O estudo procura elucidar as razões que levam o falante a utilizar uma forma de futuro estruturalmente mais longa em detrimento de outra mais curta; investiga como se dá a manifestação da gramaticalização e da marcação princípios funcionalistas propostos por Givon. Além de Givón (1979, 1984, 1990, 1995 e 2001), outros autores serviram de luz: Cunha (1986); Bechara (2007); Cunha e Cintra (2007); Perini (2006); Neves (2000, 2006) Silva (2005); Furtado da Cunha e Tavares (2007); Gibbon (2000); Torres (2009). Após o estudo, emergiram os resultados que apontam o surgimento de uma nova forma de expressão de futuro com tendência a gramaticalizar-se
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16193
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GisonaldoAS_DISSERT.pdf924,95 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.