Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16237
Título: O imaginário da mediunidade no processo de escritura em Fernando Pessoa
Autor(es): Medeiros, Alisson Diego Dias de
Palavras-chave: Mediunidade. Análise do discurso. Ocultismo;Mediumship. Discourse analysis
Data do documento: 27-Set-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MEDEIROS, Alisson Diego Dias de. O imaginário da mediunidade no processo de escritura em Fernando Pessoa. 2012. 92 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: The answer to creating a fictional world? Repulsion or form of reaction to an outside world? Mental illness, whose brand can be symbolic simulation or depersonalization? Hard to take a stand when the deed is a poet Fernando Pessoa as what is at stake. Notes Schlafman Léo (1998) who, at the age of 20 years, Fernando Pessoa wrote in English, in his diary, "One of my mental complications is the fear of madness, which in itself already is crazy." What rid of madness, notes Robert Bréchon (1986), was the taste of the game and was playing it for your writing. Even though it has rid the madness, the poet does not quit seeking explanations - or provide it - for the phenomena much bother him, or defined.'s where we come across the alignment of Fernando Pessoa within philosophical as occultism and reading about psychological and mental disorders treated. paths were pursued by him to explain the existence of his heteronyms and its entry process. This work therefore presents main objective: to analyze the personal papers of Fernando Pessoa, whose outstanding feature is the presence of occult and alleged mediumship demonstrations held in response to non-literary and heteronímicas. Therefore, I focused on specific goals, which are: a) to study the speech of Fernando Pessoa on his mediumship / occult b) analyzing specific texts that are, for the poet, psychic demonstrations, c) study of a series of excerpts personal letters in which Fernando Pessoa suggested to be a medium. Admittedly, this essay will touch many arguments already made by scholars and experts of Fernando Pessoa, but consider the possibility of developing issues and contribute to the critical fortune of the poet. We assume that announces the Portuguese scholar Jerome Pizarro (2006), one of the greatest scholars of the work Pessoan: those interested in Fernando Pessoa be lost in the maze created by him. It is the image of a person-Minotaur, devouring all but, holding us in its labyrinthine tessitura, as marked by mystery. Will draw on our analysis, a theory aligned themselves to objects of research, whose main authors are Sigmund Freud (1908) Carl Jung (1991.1996). Gaston Bachelard (1996), Helena Blavatsky (2008), among others
metadata.dc.description.resumo: A que responde a criação de um mundo fictício? Repulsa ou forma de reação a um mundo exterior? Doença psíquica, cuja marca simbólica pode ser a simulação ou a despersonalização? Difícil assumir uma posição quando é a escritura de um poeta como Fernando Pessoa que está em jogo. Anota Léo Schlafman (1998) que, na idade de 20 anos, Fernando Pessoa escrevera em inglês, no seu diário, Uma de minhas complicações mentais é o medo da loucura, que em si próprio já é loucura." O que o livrou da loucura, constata Robert Bréchon (1986), era o gosto do jogo e jogo era para ele a sua escrita. Mesmo que isto o tenha livrado da loucura, o poeta não deixou de buscar explicações ou de fornecê-las para os fenômenos que tanto o incomodavam, ou o definiam. É aí que vamos nos deparar com o alinhamento de Fernando Pessoa no seio de correntes filosóficas como o ocultismo e na leitura sobre tratados psicológicos e distúrbios mentais. Eram caminhos buscados por ele para explicar a existência de seus heterônimos e de seu processo escritural. Este trabalho apresenta, assim, como objetivo principal: analisar documentos pessoais de Fernando Pessoa, cuja característica marcante é a presença do ocultismo e da suposta mediunidade defendida como resposta a manifestações não-literárias e heteronímicas. Para tanto, concentrei-me em objetivos específicos, quais sejam: a)estudar o discurso de Fernando Pessoa sobre sua mediunidade/ocultismo; b) analisar específicos textos que são, para o poeta, manifestações mediúnicas; c) estudar excertos de um conjunto de cartas pessoais em que Fernando Pessoa sugeria ser médium. É certo que essa dissertação tocará em muitas discussões já postas por estudiosos e especialistas de Fernando Pessoa, mas consideramos a possibilidade de aprofundar questões e contribuir para a fortuna crítica do poeta. Assumimos o que anuncia o estudioso português Jerônimo Pizarro (2006), um dos maiores estudiosos da obra pessoana: quem se interessa por Fernando Pessoa se perderá no labirinto criado por ele. Fica a imagem de um Pessoa-Minotauro, senão devorando a todos, prendendo-nos em sua tessitura labiríntica, porquanto marcada pelo mistério. Recorreremos, em nossa análise, a uma teoria alinhada aos próprios objetos da pesquisa, cujos principais autores são Sigmund Freud (1908) Carl Jung (1991,1996). Gaston Bachelard (1996), Helena Blavatsky (2008), dentre outros
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16237
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AlissonDDM_DISSERT.pdf1,66 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.