Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16247
Título: Uma leitura dos exercícios dos excursos n Os Lusíadas
Autor(es): Pereira, Fernando Alves
Palavras-chave: Lusíadas;Epopéia;Excursos;Maneirista;Lusiads;Epic;Digressions;Maneirismo
Data do documento: 15-Dez-2005
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: PEREIRA, Fernando Alves. Uma leitura dos exercícios dos excursos n Os Lusíadas. 2005. 187 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.
Resumo: The Lusiads is an epic poem, written by Luís de Camões, about the adventure of Vasco da Gama s trip and the history of Portugal. It's based on traditionals epics from the Greek and Roman poets, Homero and Virgílio. Camões followes especially their structures. However, the poet insert modifications that divert his poem from parameters established by Aristóteles for the classic epic poems. These deviations are centered mainly on the narrative subject and in the point of view. We intend to show an analysis focused on digressions from The Lusiads, in which the author, himself or by tellers characters, narrates the story in order to make his complaints, reflections and exhortations. Besides, we present general aspects of Maneirismo predominant in these digressions how evidences of modernity of the poem; as one brief outlook about the poem's projection in time and around the world. These points are importants elements of consolidation of a universal permanence of The Lusiads. That's why they have had to read and to study by the centuries, according the vision of the epoch's spirit
metadata.dc.description.resumo: Os Lusíadas, de Luís de Camões, são um poema épico, sobre a aventura da viagem de Vasco da Gama e história de Portugal, concebido com base nas epopéias tradicionais dos poetas greco-romanos Homero e Virgílio. Camões segue os modelos épicos tradicionais, especialmente quanto à estrutura. Entretanto, insere inovações que desviam sua obra dos paradigmas do gênero clássico postulados por Aristóteles. Esses desvios se dão principalmente pelas freqüentes irrupções de elementos próprios da poesia lírica na matéria épica, o que possibilita a participação do autor na obra, tanto no plano da enunciação, quanto no plano do enunciado, assim como a inserção dos acontecimentos de seu presente histórico na narrativa, em contradição com as epopéias tradicionais, cuja principal característica é o distanciamento imensurável entre o tempo da narração e o tempo dos acontecimentos narrados. Este trabalho apresenta uma análise dos excursos, digressões através das quais Camões assume a narração em primeira pessoa ou através de personagens-narradoras, para exprimir suas críticas e exortações, queixas pessoais e sociais, e reflexões existenciais. Apresenta ainda os aspectos predominantes da estética maneirista como indícios de modernidade do poema, bem como um breve panorama de sua projeção no tempo e no espaço. Esses elementos são preponderantes na caracterização d'Os Lusíadas como obra permanente e universal, que os fazem ser lidos e estudados através dos séculos, atualizando-se de acordo com cada estilo de época
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16247
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FernandoAP.pdf439 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.