Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16278
Título: A implementação do você em cartas pessoais norte-riograndenses do século XX
Autor(es): Moura, Kássia Kamilla de
Palavras-chave: Português brasileiro. Pronomes pessoais. Século XX. Você;Brazilian Portuguese. Personal Pronouns. 20th century. Você
Data do documento: 14-Mar-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MOURA, Kássia Kamilla de. A implementação do você em cartas pessoais norte-riograndenses do século XX. 2013. 100 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada; Literatura Comparada) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: Considering the theoretical and methodological presuppositions of Variationist Sociolinguistics (cf. WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006; LABOV, [1972] 2008), in this dissertation, we describe and analyze the process of variation/change involving the personal pronouns tu and você, and its extension in the pronominal paradigm in Brazilian Portuguese (BP), in three sets of personal letters written by people from Rio Grande do Norte (RN) along the 20th century. The discursive universe of those letters is news from the cities in which the informers lived and the themes from their everyday life (trade, jobs, trips, family and politics). Part of the analyzed letters integrate the written by hand minimum corpus of the Projeto de História do Português Brasileiro no Rio Grande do Norte (PHPB-RN). We are based on previous studies about the pronominal system in BP Menon (1995), Faraco (1996), Lopes e Machado (2005), Rumeu (2008), Lopes (2009), Lopes, Rumeu e Marcotulio (2011), Lopes e Marcotulio (2011) e Martins e Moura (2012) , which register the form você replaces tu from the end of the first half of 20th century and attest the following situation: while (a) the imperative verbal forms, (b) the explicit subjects and (c) prepositional complement pronouns are favorable contexts for você, the (d) non imperative verbal forms (with null subject), (e) the non prepositional complement pronoun and (f) the possessive pronoun are contexts of resistance of tu. The results got in this dissertation confirm, partially, the statements defended by the previous studies regarding the favorable contexts for the implementation of você in BP: (i) there are, in the letters from the first two decades of 20th century (1916 to 1925), high frequency of the usage of the form você (98%); (ii) in the personal letters of RN especially in the love letters, in which there are higher recurrence of intimate subjects the discursive universe proved to be itself very relevant in the determination/conditions of the forms of tu; (iii) the unique feminine informer of our sample uses, almost categorically, the forms of tu in letters of the period from 1946 to 1972; (iv) the letters corresponding to the period from 1992 to 1994 present a significant usage of the forms associated to the innovating você, letting appear the change is already implemented in the system of BP and there are, in that set of letters, strong evidences that make us state the pronominal forms of non prepositional complement (accusative/ dative) related to tu are also implemented in a system with an almost categorical usage of você
metadata.dc.description.resumo: Tendo em vista os pressupostos teóricos metodológicos da Sociolinguística Variacionista (cf. WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006; LABOV, [1972] 2008), nesta dissertação, descrevemos e analisamos o processo de variação/mudança envolvendo os pronomes pessoais tu e você, e sua extensão no paradigma pronominal no Português Brasileiro (PB), em três conjuntos de cartas pessoais escritas por norte-riograndenses no curso do século XX. O universo discursivo dessas cartas é basicamente notícias da cidade em que viviam os informantes e assuntos do cotidiano (comércio, trabalho, viagens, família e política). Parte das cartas analisadas integram o córpus mínimo manuscrito do Projeto de História do Português Brasileiro no Rio Grande do Norte (PHPB-RN). Tomamos por base estudos anteriores sobre o sistema pronominal no PB Menon (1995), Faraco (1996), Lopes e Machado (2005), Rumeu (2008), Lopes (2009), Lopes, Rumeu e Marcotulio (2011), Lopes e Marcotulio (2011) e Martins e Moura (2012) , os quais registram que a forma você suplanta o tu a partir do fim da primeira metade do século XX e atestam o seguinte quadro: enquanto (a) as formas verbais imperativas, (b) os sujeitos plenos e (c) os pronomes complementos preposicionados são contextos favorecedores do você, as (d) formas verbais não imperativas (com sujeito nulo), (e) os pronomes complementos não preposicionados e (f) os pronomes possessivos são contextos de resistência do tu. Os resultados obtidos nesta dissertação confirmam, em parte, as asserções defendidas pelos estudos anteriores sobre os contextos favoráveis à implementação do você no PB: (i) há nas cartas das duas primeiras décadas do século XX (1916 a 1925) alta frequência de uso de formas do você (98%); (ii) nas cartas pessoais do RN, especialmente nas cartas de amor em que há maior recorrência de assuntos íntimos, o universo discursivo mostrou-se bastante relevante no condicionamento das formas de tu; (iii) a única informante do sexo feminino da nossa amostra faz uso, quase categórico, das formas de tu, em cartas do período que corresponde aos anos de 1946 a 1972; (iv) as cartas correspondentes ao período de 1992 a 1994 apresentam um uso significativo das formas associadas ao inovador você, deixando transparecer que a mudança já está implementada no sistema do PB e há, nesse mesmo conjunto de cartas, fortes evidências que nos possibilitam afirmar que as formas pronominais de complemento não preposicionadas (acusativo/dativo) associadas ao tu estão resistindo em um sistema com uso quase categórico de você
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16278
Aparece nas coleções:PPGEL - Mestrado em Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KassiaKM_DISSERT.pdf932,17 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.