Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16540
Título: Sobre a natureza dos processos físicos de aquecimento da atmosfera de estrelas do tipo solar
Autor(es): Nelson, Osman Rosso
Palavras-chave: Aquecimento coronal;Estrelas binárias;Teoria de dínamo
Data do documento: 22-Dez-2008
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: NELSON, Osman Rosso. Sobre a natureza dos processos físicos de aquecimento da atmosfera de estrelas do tipo solar. 2008. 176 f. Tese (Doutorado em Física da Matéria Condensada; Astrofísica e Cosmologia; Física da Ionosfera) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.
Resumo: In the present work, we have studied the nature of the physical processes of the coronal heating, considering as basis significant samples of single and binary evolved stars, that have been achieved with the ROSAT satellite. In a total of 191 simple stars were studied, classified in the literature as giants with spectral type F, G and K. The results were compared with those obtained from 106 evolved stars of spectral type F, G and K, which belong to the spectroscopic binary systems. Accurate measurements on rotation and information about binarity were obtained from De Medeiros s catalog. We have analysed the behavior of the coronal activity in function of diverse stellar parameters. With the purpose to better clarify the profile of the stars evolution, the HR diagram was built for the two samples of stars, the single and the binary ones. The evolved traces added in the diagram were obtained from the Toulouse-Geneve code, Nascimento et al. (2000). The stars were segregated in this diagram not only in range of rotational speed but also in range of X-ray flux. Our analysis shows clearly that the single stars and the binary ones have coronal activity controlled by physical process independent on the rotation. Non magnetic processes seem to be strongly influencing the coronal heating. For the binary stars, we have also studied the behavior of the coronal emission as a function of orbital parameters, such as period and eccentricity, in which it was revealed the existence of a discontinuity in the emission of X-rays around an orbital period of 100 days. The study helped to conclude that circular orbits of the binary stars are presented as a necessary property for the existence of a higher level ofX-rays emission, suggesting that the effect of the gravitational tide has an important role in the coronal activity level. When applied the Kolmogorov-Smirnov test (KS test ) for the Vsini and FX parameters to the samples of single and binary stars, we could evidence very relevant aspects for the understanding of the mechanisms inherent to the coronal activity. For the Vsini parameter, the differences between the single stars and the binary ones for rotation over 6.3 km/s were really remarkable. We believe, therefore, that the existence of gravitational tide is, at least, one of the factors that most contribute for this behavior. About the X-rays flux, the KS test showed that the behavior of the single and the binary stars, regarding the coronal activity, comes from the same origin
metadata.dc.description.resumo: No presente trabalho, estudamos a natureza dos processos físicos do aquecimento coronal, tomando como base amostras significativas de estrelas evoluídas simples e binárias, obtidas com o satélite ROSAT. No total, foram estudadas 191 estrelas simples, classificadas na literatura como gigantes com tipo espectral F, G e K. Os resultados foram comparados com os obtidos das 106 estrelas evoluídas de tipo espectral F, G e K pertencentes a sistemas binários espectroscópicos. Medidas precisas sobre rotação e informações sobre binaridade foram obtidas do catálogo de De Medeiros. Analisamos o comportamento da atividade coronal em função de diversos parâmetros estelares. Para uma maior clareza do perfil de evolução das estrelas foi construído o diagrama HR para as duas amostras de estrelas, as simples e as binárias. Os traçados evolutivos adicionados nos diagramas foram obtidos a partir do código de Toulouse-Geneve, Nascimento et al. (2000). As estrelas foram segregadas nesse diagrama tanto por intervalo de velocidade rotacional como por intervalo de fluxo de raio-X. Nossa análise mostra claramente que as estrelas simples e as binárias possuem atividade coronal dominada por processo físico independente da rotação. Processos não magnéticos parecem estar influenciando fortemente o aquecimento coronal. Para as estrelas binárias, estudamos ainda o comportamento da emissão coronal em função de parâmetros orbitais, como período e excentricidade, tendo sido revelada a existência de uma descontinuidade na emissão de raio-X em torno de um período orbital de 100 dias. O estudo permitiu concluir que a circularização das órbitas das estrelas bináriasapresenta-se como uma propriedade necessária para a existência de um nível de emissão de raio-X mais elevado, sugerindo que efeito de maré gravitacional tem importante papel no nível de atividade coronal. Ao aplicarmos o teste Kolmogorov-Smirnov (teste KS) para os parâmetros Vsini e FX às amostras de estrelas simples e binárias, evidenciamos aspectos bastante relevantes para a compreensão dos mecanismos inerentes à atividade coronal. Para a grandeza Vsini, ficaram marcantes as diferenças existentes entre as estrelas simples e as binárias para rotações acima de 6,3 km/s. Acreditamos, pois, ser a existência de maré gravitacional, pelo menos, um dos fatores que contribui para esse comportamento. Quanto ao fluxo de raio-X, o teste KS demonstrou que o comportamento das estrelas simples e binárias, no que diz respeito à atividade coronal, provém de uma mesma origem
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16540
Aparece nas coleções:PPGFIS - Doutorado em Física

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
OsmanRN.pdf1,17 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.