Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16711
Title: Efeitos do treinamento de marcha sobre superfícies inclinadas em indivíduos com hemiparesia crônica: ensaio clínico controlado randomizado
Authors: Gama, Gabriela Lopes
Keywords: Acidente vascular cerebral;Atividade motora;Reabilitação;Stroke;Motor activity;Rehabilitation
Issue Date: 19-Dec-2011
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GAMA, Gabriela Lopes. Efeitos do treinamento de marcha sobre superfícies inclinadas em indivíduos com hemiparesia crônica: ensaio clínico controlado randomizado. 2011. 83 f. Dissertação (Mestrado em Movimento e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Portuguese Abstract: Dentre as abordagens terapêuticas que podem ser utilizadas para recuperação da marcha de sujeitos com hemiparesia está o treinamento de marcha em superfícies inclinadas, porém não existem estudos na literatura que elucidam os resultados desse tipo de prática. OBJETIVO: Avaliar os efeitos do treino em superfícies inclinadas sobre a marcha de sujeitos com hemiparesia crônica. MATERIAIS E MÉTODOS: Foi realizado um ensaio clínico, controlado, randomizado e cego. Concluíram o estudo 24 sujeitos, com idade entre 40 e 70 anos (54,91±9,3). Estes foram avaliados quanto ao estado neurológico, independência funcional, função motora e equilíbrio, além da avaliação da marcha através da cinemetria. Os sujeitos foram alocados em dois grupos: Grupo Controle (GC) submetido a treinamento de marcha em esteira com suporte parcial de peso (SPP) sem inclinação; e Grupo Experimental (GE) submetido ao treinamento em esteira com SPP com inclinação de 10%. Foram realizadas de 12 sessões de treinamento. Na análise estatística o teste t de student pareado e o teste de Wilcoxon foram utilizados para comparação dos achados de antes e depois o treinamento de cada grupo. O teste t de student para amostras independentes e o teste de Mann-Whitney foram utilizados para comparação entre os grupos. RESULTADOS: Ambos os grupos apresentaram alterações após o treinamento quanto equilíbrio, função motora e funcionalidade. O GE apresentou alterações após a intervenção quanto a velocidade, comprimento da passada, comprimento do passo parético e não parético, do tempo de apoio parético, tempo de duplo apoio, e tempo de balanço não parético. No GC as diferenças após o treinamento foram observadas no tempo de duplo apoio, tempo de apoio parético e na amplitude de movimento do quadril. Entre os grupos após o treinamento o GE foi superior quanto a velocidade (p=0,034), tempo de apoio não parético (p=0,02) e tempo de balanço parético (p=0,02). CONCLUSÃO: O treinamento de marcha em superfície inclinada representa uma estratégia promissora para o treinamento de marcha de sujeitos com hemiparesia crônica uma vez que é capaz de influenciar um maior número de variáveis da marcha quando comprado ao treinamento de marcha em superfícies planas
Abstract: Among the therapeutic approaches that can be used to achieve this goal is the gait training on sloping surfaces, but there are few scientific findings that elucidate the results of this practice. OBJECTIVE: To evaluate the effects of training on sloping surfaces on the gait of subjects with chronic hemiparesis. MATERIALS AND METHODS: A controlled, randomized, blinded clinical trial was conducted. Concluded the study twenty-four subjects with age between 40 and 70 years (54,91±9,3). Their neurological function, functional independence, motor function and balance assessed, besides the gait evaluation through kinemetry. The subjects were allocated into two groups: control group (CG) underwent gait training on treadmill with partial body weight support (PBWS) without inclination; and the experimental group (EG) submitted to gait training on treadmill with PBWS and inclination of 10%. Twelve training sessions were performed. The paired t Student test and Wilcoxon test were used in statistical analysis to compare findings before and after training for each group, and the t student test for independent samples and Mann-Whitney.test were used to compare the to groups. RESULTS: After training within-group changes were observed on balance recovery, motor function and functionality, in both experimental conditions. The EG showed changes after training on speed, stride length, step length of paretic and non-paretic side, paretic single support, double support time and non-paretic swing time. The CG the differences were detected on double support, paretic single support and hip range of movement. The EG showed better results when compared to CG on the variables: speed (p=0,034), non-paretic single support (p=0,02) and paretic swing time (p=0,02). CONCLUSION: gait training on sloping surfaces represents a promising strategy for gait training of subjects with chronic hemiparesis since it is can influence a greater number of gait variables, when compared with gait training on flat surface
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/16711
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GabrielaLG_DISSERT.pdf1.44 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.