Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17031
Título: Efeitos da administração aguda de quetamina sobre as oscilações eletrofisiológicas da região CA1 hipocampal
Autor(es): Caixeta, Fabio Viegas
Palavras-chave: NMDAR. Modelo animal. Potencial de campo elétrico. Ritmos cerebrais. Eletrofisiologia in vivo
Data do documento: 5-Fev-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CAIXETA, Fabio Viegas. Efeitos da administração aguda de quetamina sobre as oscilações eletrofisiológicas da região CA1 hipocampal. 2014. 123 f. Tese (Doutorado em Neurobiologia Celular e Molecular; Neurobiologia de Sistemas e Cognição; Neurocomputação Neuroengen) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
metadata.dc.description.resumo: Em humanos, a administração de quetamina - um antagonista não-competitivo do receptor glutamatérgico do tipo NMDA - causa um amplo espectro de sintomas associados à esquizofrenia. Dado o papel dos ritmos cerebrais na realização de tarefas cognitivas, tem sido sugerido que a patofisiologia da esquizofrenia estaria relacionada a desordens de oscilações corticais. Neste estudo utilizamos o registro do potencial de campo elétrico em múltiplos eletrodos implantados no hipocampo de ratos sob o efeito de injeções sistêmicas de doses sub-anestésicas de quetamina (25, 50 e 75 mg/kg IP) para investigarmos as alterações comportamentais e eletrofisiológicas neste modelo animal de psicose. A quetamina alterou o padrão de locomoção e causou diversas mudanças na dinâmica de oscilações neurais. A potência nas bandas de frequência gama e oscilações de alta frequência (OAF) aumentou em todas as profundidades do eixo CA1-giro denteado, enquanto a potência de teta variou dependendo da camada registrada. A coerência de fase de gama e de OAF aumentou entre as camadas de CA1. A quetamina aumentou o acoplamento entre frequências (AEF) de fase-amplitude entre teta e OAF em todas as doses, mas teve efeitos opostos no AEF entre teta e gama de acordo com a dose. Nossos resultados demonstram que o modelo de esquizofrenia induzido por hipofunção dos receptores NMDA está associado com alterações de interações de alta ordem entre oscilações neurais
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17031
Aparece nas coleções:PPGNEURO - Doutorado em Neurociências

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FabioVC_TESE.pdf9,3 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.