Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17344
Title: Ecologia alimentar e comportamento de forrageamento de Ameivula aff. ocellifera (Squamata: Teiidae) em área de caatinga do nordeste do Brasil
Authors: Sales, Raul Fernandes Dantas de
Keywords: Artrópodes. Lagartos. Largura de Nicho. Ontogenia. Plasticidade comportamental. Sazonalidade;Arthropods. Lizards. Niche breadth. Ontogeny. Behavioral plasticity. Seasonality
Issue Date: 27-Mar-2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SALES, Raul Fernandes Dantas de. Ecologia alimentar e comportamento de forrageamento de Ameivula aff. ocellifera (Squamata: Teiidae) em área de caatinga do nordeste do Brasil. 2013. 85 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Abstract: This study investigated the influence of intrinsic and extrinsic factors on the feeding ecology and foraging behavior of the whiptail lizard Ameivula aff. ocellifera, a new species widely distributed in the Brazilian Caatinga, and that is in process of description. In attendance to the objectives, the Dissertation was structured in two chapters, which correspond to scientific articles, one already published and the other to be submitted for publication. In Chapter 1 were analyzed the general diet composition, the relationship between lizard size and prey size, and the occurrence of sexual and ontogenetic differences in the diet. Chapter 2 contemplates a seasonal analysis of diet composition during two rainy seasons interspersed with a dry season, and the quantitative analysis of foraging behavior during two distinct periods. The diet composition was determined through stomach analysis of lizards (N = 111) collected monthly by active search, between September 2008 and August 2010, in the Estação Ecológica do Seridó (ESEC Seridó), state of Rio Grande do Norte. Foraging behavior was investigated during a rainy and a dry month of 2012 also in ESEC Seridó, by determining percent of time moving (PTM), number of movements per minute (MPM) and prey capture rate by the lizards (N = 28) during foraging. The main prey category in the diet of Ameivula aff. ocellifera was Insect larvae, followed by Orthoptera, Coleoptera and Araneae. Termites (Isoptera) were important only in numeric terms, having negligible volumetric contribution (<2%) and low frequency of occurrence, an uncommon feature among whiptail lizards. Males and females did not differ neither in diet composition nor in foraging behavior. Adults and juveniles ingested similar prey types, but differed in prey size. Maximum and minimum prey sizes were positively correlated with lizard body size, suggesting that in this population individuals experience an ontogenetic change in diet, eating larger prey items while growing, and at the same time excluding smaller ones. The diet showed significant seasonal differences; during the two rainy seasons (2009 and 2010), the predominant prey in diet were Insect larvae, Coleoptera and Orthoptera, while in the dry season the predominant prey were Insect larvae, Hemiptera, Araneae and Orthoptera. The degree of mobility of consumed prey during the rainy seasons was lower, mainly due to a greater consumption of larvae (highly sedentary prey) during these periods. Population niche breadth was higher in the dry season, confirming the theoretical prediction that when food is scarce, the diets tend to be more generalized. Considering the entire sample, Ameivula aff. ocellifera showed 61,0 ± 15,0% PTM, 2,03 ± 0,30 MPM, and captured 0,13 ± 0,14 per minute. Foraging mode was similar to that found for other whiptail lizards regarding PTM, but MPM was relatively superior. Seasonal differences were verified for PTM, which was significantly higher in the rainy season (66,4 ± 12,1) than in the dry season (51,5 ± 15,6). It is possible that this difference represents a behavioral adjustment in response to seasonal variation in the abundance and types of prey available in the environment in each season
Portuguese Abstract: Este estudo investigou a influência de fatores intrínsecos e extrínsecos sobre a ecologia alimentar e o comportamento de forrageamento do lagarto cauda-de-chicote (whiptail) Ameivula aff. ocellifera, uma espécie nova com ampla distribuição na Caatinga, e que está em fase de descrição. Em atendimento aos objetivos, a Dissertação foi estruturada na forma de dois capítulos, os quais correspondem a artigos científicos, um já publicado e o outro a ser submetido à publicação. No Capítulo 1 são analisadas a composição geral da dieta, a relação entre o tamanho corporal dos lagartos e o tamanho das presas consumidas, e a ocorrência de diferenças sexuais e ontogenéticas na dieta. O Capítulo 2 contempla a composição da dieta em termos sazonais, durante duas estações chuvosas intercaladas por uma estação seca, e análise quantitativa do comportamento de forrageamento durante dois períodos distintos. A composição da dieta foi identificada através da análise do conteúdo estomacal de lagartos (N = 111) coletados mensalmente por busca ativa entre setembro de 2008 e agosto de 2010, na Estação Ecológica do Seridó (ESEC Seridó), estado do Rio Grande do Norte. O comportamento de forrageamento foi investigado durante um mês chuvoso e um mês seco do ano de 2012 também na ESEC Seridó, avaliando-se a porcentagem do tempo gasta em movimento (PTM), o número de movimentos por minuto (MPM) e taxa de captura de presas pelos lagartos (N = 28) durante o forrageamento. A principal categoria de presa na dieta de Ameivula aff. ocellifera foi Larvas de insetos, seguido por Orthoptera, Coleoptera e Araneae. Térmitas (Isoptera) foram importantes somente em número, com contribuição volumétrica desprezível (<2%) e baixa frequência de ocorrência, um traço incomum entre os lagartos whiptails. Machos e fêmeas não diferiram nem na composição da dieta nem no comportamento de forrageamento. Adultos e juvenis se alimentaram de categorias de presa similares, mas diferiram no tamanho das presas. Os tamanhos máximo e mínimo das presas foram positivamente correlacionados com o tamanho dos lagartos, sugerindo que na população estudada os indivíduos sofrem uma mudança ontogenética na dieta, consumindo itens alimentares maiores à medida que crescem, e ao mesmo tempo excluindo presas menores. A dieta apresentou diferenças sazonais significativas; durante as duas estações chuvosas (2009 e 2010), as presas predominantes na dieta foram Larvas de inseto, Coleoptera e Orthoptera, enquanto na estação seca as presas predominantes foram Larvas de inseto, Hemiptera, Araneae e Orthoptera. O grau de mobilidade das presas consumidas durante as estações chuvosas foi menor, principalmente devido ao maior consumo de larvas (presas altamente sedentárias) durante esses períodos. A largura de nicho da população foi maior na x estação seca, confirmando a predição teórica de que quando o alimento é escasso, as dietas tendem a ser mais generalizadas. Considerando a amostra total, Ameivula aff. ocellifera apresentou 61,0 ± 15,0% PTM, 2,03 ± 0,30 MPM, e capturou 0,13 ± 0,14 presas por minuto. O modo de forrageamento foi similar ao encontrado para outros lagartos whiptails quanto a PTM, mas MPM foi relativamente superior. Diferenças sazonais foram verificadas quanto a PTM, que foi significativamente maior na estação chuvosa (66,4 ± 12,1) que na estação seca (51,5 ± 15,6). É possível que essa diferença represente um ajuste comportamental em resposta à variação sazonal na abundância e tipos de presas disponíveis no ambiente nas diferentes estações
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17344
Appears in Collections:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RaulFDS_DISSERT.pdf3,43 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.