Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17392
Título: Motivação para o trabalho: um estudo com os profissionais de saúde das unidades básicas de saúde do município de Natal RN
Autor(es): Alves Filho, Antonio
Palavras-chave: Motivação;Teoria da expectativa;Profissionais de saúde;Unidade básica de saúde;SUS.;Motivation;Expectation theory;Health professionals;Basic unity of health;Health system.
Data do documento: 10-Fev-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: ALVES FILHO, Antonio. Motivação para o trabalho: um estudo com os profissionais de saúde das unidades básicas de saúde do município de Natal RN. 2012. 197 f. Tese (Doutorado em Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: This thesis studied the motivation to work among health professionals of the Basic Unities (BUH) in the health network of the city of Natal (RN). It was understood that the work motivation is a process. Then, the expectation theory was applied and motivation components (results of work, expectative, valence, instrumentality, and motivational force) were used to analyses. It s understanding the motivation as multifaceted phenomenon, the psycho sociological perspective was adopted. The research was developed in two phases: one with application of Work Motivation and Meaning Inventory (WMMI), and another with interview. In the first phases, the analysis of results revealed that the major factors contributing to increase the motivational force to health professionals in the BUH´s are: in valence, Self Expression and Personal Realization (VF2), Personal and Family Survival (VF3); in expectative, Self Expression and Work Justice (EF1), Safety and Dignity (EF2) and Responsibility (EF4); in instrumentality, Involvement (IF1) and Recognition and Economic Independence (IF4). In opposition, the factors that more contribute to reduce the motivational force are Wear and Dehumanization factors in valence (VF4), in expectative (EF3), and in instrumentality (IF4), behind the Work Justice Factor (IF2). Basing in content analysis of interviews, it was possible to associate by equivalence, the senses presented by health professionals with obtained results of first phase, indicating that the results of second phase corroborated and complemented those of first one. This possibility broadened the comprehension of the studied phenomenon. In speaking of the respondents, it was visible the presence of contents showing that they perceive the Health System and BUH´s in degradation. In the first phase, the participants´ instruction also predict the results in motivation, and in the interviews can be saw that the instruction is associated with the opportunities in outside of system. As work motivation is a process, the impact of personal and occupational characteristics tend to interact with contextual aspects. It was concluded the majority of health professionals present the moderated motivational force, but it was falling because they experience and perceive a degrading context with work condition increasingly unfavorable.
metadata.dc.description.resumo: A presente tese estudou a motivação para o trabalho dos profissionais de saúde vinculados às Unidades Básicas (UBS) da rede de saúde do município de Natal (RN). Compreendeu-se a motivação para o trabalho como um processo e, para tanto, aplicouse a teoria das expectativas cujos componentes (resultados do trabalho, expectativa, valência, instrumentalidade e força motivacional) serviram para assim analisá-la. Entendendo-se também a motivação como um fenômeno multifacetado, adotou-se a perspectiva psicossociológica. A pesquisa foi desenvolvida em duas etapas: uma com a aplicação do Inventário da Motivação e Significado do Trabalho (IMST) e outra com entrevistas. As análises dos resultados obtidos com o IMST revelaram que os fatores que mais contribuem para aumentar a força motivacional dos profissionais de saúde das UBS s são, em valência, Autoexpressão e Realização Pessoal (FV2), Sobrevivência Pessoal e Familiar (FV3); em expectativa, os fatores Autoexpressão e Justiça no Trabalho (FE1), Segurança e Dignidade (FE2) e Responsabilidade (FE4); em instrumentalidade, os fatores Envolvimento (FI1) e Reconhecimento e Independência Econômica (FI4). Em contrapartida, os fatores que mais contribuem para baixar a força motivacional são os fatores Desgaste e Desumanização em valência (FV4), em expectativa (FE3) e em instrumentalidade (FI4), além do fator Justiça no Trabalho (FI2). Com base nas análises de conteúdo das entrevistas, foi possível, por equivalência, relacionar os sentidos apresentados pelos profissionais de saúde aos fatores encontrados com o IMST, indicando que os resultados da segunda etapa corroboraram e complementam os da primeira favorecendo uma compreensão mais ampla do fenômeno estudado. Na primeira etapa, a instrução dos participantes também prediz os resultados em motivação e, nas entrevistas, pode ser visto que a instrução está relacionada com as oportunidades que têm fora do sistema. Como a motivação para o trabalho é processual, o impacto de características pessoais e ocupacionais tende a interagir com aspectos contextuais. Na fala dos entrevistados, obtidas na segunda etapa, é visível a presença de conteúdos que mostram que percebem o SUS e as UBS s em degradação. Conclui-se que a maioria dos profissionais de saúde apresenta força motivacional moderada, porém em queda, em função de vivenciarem e perceberem um contexto deteriorado com condições de trabalho cada vez mais desfavoráveis.
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17392
Aparece nas coleções:PPGPSI - Doutorado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AntonioAF_TESE.pdf1,1 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.