Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17403
Título: Masculinidade a prova: um estudo de inspiração fenomenologico - hermeneutico sobre a infertilidade masculina
Autor(es): Maux, Ana Andréa Barbosa
Palavras-chave: Infertilidade masculina. Masculinidade. Pesquisa fenomenológica. Fenomenologia hermenêutica. Gênero;Male infertility. Masculinity. Phenomenological research. Hermeneutic phenomenology. Gender
Data do documento: 20-Mar-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MAUX, Ana Andréa Barbosa. Masculinidade a prova: um estudo de inspiração fenomenologico - hermeneutico sobre a infertilidade masculina. 2014. 161 f. Tese (Doutorado em Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Culturally, childbearing is understood as a situation that subjects will experience at some point in their lives, especially people who are married or have a similar affectionate relationship. Thus, to realize the inability to meet such a fate seems to be a natural cultural trigger of suffering, frustration and feelings of inadequacy and helplessness. Specifically for men, infertility is closely related to loss of masculinity, virility. He fails in his role as a male. This study sought to understand the impact that infertility have on the existence of a man who receives such a diagnosis, both in self-image as in their marital, sexual and professional roles. This study sets up as a hermeneutic phenomenological research based on the ideas of the philosopher Martin Heidegger. Participants were seven heterosexual, married and infertile men. Two interviews were conducted. The analysis of the material included both the material of the narratives, as the affectation of the researcher when interacting with the participants and their narratives, through phenomenological-hermeneutic interpretation. The results corroborate the literature that states the difficulty of the men, immersed in a context that defines them as virile, powerful and invulnerable to worry about issues related to health and disease. The possibility of any condition that impairs the reproductive capacity exceeds the acceptable limits of daily life for these men, not being recognized as a model of masculinity present in the condition in which they recognize. This leads to questions about their masculinity, role in the marital relationship and their existence. Thus, to recognize themselves as infertile surpass a medical diagnosis and is associated with the construction of meaning for their existence from the approximation with the infertility condition, which helps in redirecting their choices, restoring the project to be self and allowing further recognition as men. In the marital relationship, doing what they can to ensure, theirs happiness. Through these actions, they remain playing the role of family provider, showing that they are able to protect their wives and taking in assisted reproduction or adoption of children viable alternatives to fulfill the desire to leave a legacy and give a child to their wives and to society. Another result observed, refers to the ontological condition of care that characterizes the human being. The ways in which men are treated socially demonstrates a type of care that focuses on the development of characteristics such as strength, virility and determination but does not allow them to cope with the suffering of emotionally difficult situations, such as the diagnosis of infertility. At the end, the study gives rise to reflections on the need to provide a 12 space for men and their expressions of suffering, as well as to recognize their ability to overcome the painful and difficult situations
metadata.dc.description.resumo: Culturalmente, procriar é compreendido como uma situação que o sujeito deve vivenciar em algum momento de sua vida. Descobrir-se incapaz de cumprir tal destino naturalizado parece ser desencadeador de sofrimento, frustração e sentimentos de incapacidade e impotência. Especificamente para o homem, a infertilidade está estreitamente relacionada à perda de masculinidade, de virilidade. Ele fracassa em seu papel de macho . O presente estudo buscou compreender os impactos que a infertilidade produz na existência do homem que recebe tal diagnóstico, tanto nos modos de perceber a si mesmo quanto no papel conjugal, sexual e profissional. Configura-se como uma pesquisa de inspiração fenomenológico-hermenêutica, baseada em ideias do filósofo Martin Heidegger. Participaram do estudo sete homens heterossexuais, casados e com diagnóstico de infertilidade, sendo realizadas duas entrevistas individuais. A análise do material compreendeu tanto o material das narrativas quanto as afetações da pesquisadora por ocasião do contato com os colaboradores e suas narrativas, por meio da interpretação fenomenológico-hermenêutica. Os resultados corroboram dados da literatura, os quais afirmam a dificuldade dos homens, imersos em um contexto que exige que eles sejam viris, potentes e invulneráveis, de se preocuparem com as questões relacionadas à saúde e à doença. Assim, a possibilidade de alguma condição que dificulte a sua capacidade reprodutiva, ultrapassa os limites aceitáveis no horizonte cotidiano de sentido que compõe as vidas destes homens, não sendo reconhecida como uma condição presente no modelo de masculinidade no qual eles se reconhecem. Isto leva a um questionamento a respeito de sua masculinidade, de seu papel na relação conjugal e na própria existência. Reconhecerem-se na condição de homens inférteis vai além de um diagnóstico médico e está relacionado à construção de novos sentidos existenciais. A partir da aproximação com tal condição, redirecionam suas escolhas, resgatando o projeto de ser si-mesmos e possibilitando continuarem se reconhecendo homens. Na relação conjugal, fazem o que estiver ao seu alcance para garantir, de alguma forma, que as esposas se sintam satisfeitas e, através destas ações, eles permanecem exercendo o papel de provedores da família, demonstrando serem capazes de ampará-las e protegê-las, tendo, na reprodução assistida ou da adoção de uma criança, alternativas viáveis para concretizar o desejo de deixar um legado e de prover à família e a sociedade. Outro resultado observado diz respeito à condição ontológica de solicitude que caracteriza o ser humano. Várias formas como os homens são 10 tratados pelas pessoas que estão mais próximas demonstram um tipo de solicitude no qual, ao mesmo tempo em que são valorizadas características como força, virilidade e determinação, não é permitido que os homens se aproximem de sofrimento, poupando-os de situações emocionalmente difíceis, como é o caso do diagnóstico de infertilidade. Ao final, o estudo enseja reflexões sobre a necessidade de proporcionar espaços de acolhimento e de escuta aos homens e às suas expressões de sofrimento, bem como o reconhecimento de sua capacidade de superação das situações dolorosas e difíceis
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17403
Aparece nas coleções:PPGPSI - Doutorado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnaABM_TESE.pdf1,12 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.