Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17418
Title: Elaboração e avaliação de indicadores comportamentais de aderência ao tratamento hemodialítico
Other Titles: Elaboration and evaluation of behavioural indicators of the adherence to the hemodialítico treatment
Authors: Martins, Remerson Russel
Keywords: Avaliação psicológica;Psicologia da saúde;Aderência terapêutica;Insuficiência renal crônica;Hemodiálise;Psychological assessment;Health psychology;Adherence therapy;Chronic kindey failure;Hemodialysis
Issue Date: 11-Jul-2008
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MARTINS, Remerson Russel. Elaboration and evaluation of behavioural indicators of the adherence to the hemodialítico treatment. 2008. 117 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.
Portuguese Abstract: Introdução: Este trabalho busca caracterizar indicadores comportamentais de aderência ao tratamento hemodialítico por meio do Inventário Millon de Estilos de Personalidade em uma amostra de pacientes portadores de insuficiência renal crônica (IRC) na grande Natal/RN. A aderência terapêutica representa o grau de concordância entre o comportamento do paciente e as prescrições da equipe de saúde. A IRC é a perda progressiva e irreversível da função renal, sendo o tratamento hemodialítico uma importante alternativa para auxiliar ou substituir os rins. Método: A amostra consistiu de 80 pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico em dois centros clínicos localizados na região da grande Natal, RN. Utilizaram-se como instrumentos (a) um protocolo de coleta de dados clínicos, (b) o inventário Millon de estilos de personalidade (MIPS) e (c) um roteiro de entrevista semi-estruturada. Resultados: Os resultados mostram que houve equilíbrio entre os sexos (51% do sexo feminino e 48,8% do sexo masculino), idade média e tempo médio de diálise respectivamente iguais à 43,4 anos (±13,25 anos) e 22,04 anos (±4,24 anos). O estado civil de metade da amostra é casado, predominando o ensino fundamental (43,6%) e uma renda familiar até um salário mínimo (43,8%). Definiram-se seis indicadores clínico-laboratoriais para avaliar a aderência terapêutica, mais o uso da avaliação da equipe de saúde e do próprio paciente. Desse modo, observou-se uma aderência média em torno de 55,97% da amostra (±18,37%). Contudo apenas entre a auto-avaliação do paciente acerca da aderência e a avaliação feita através da pressão arterial pós-diálise indicou-se uma associação significativa (p=0,029, teste qui-quadrado). Por outro lado, houve uma associação significativa (p<0,05, teste qui-quadrado) entre os critérios de aderência ao tratamento e aspectos investigados na entrevista a percepção da qualidade dos serviços de saúde prestados aos pacientes, as dificuldades no seguimento da dieta prescrita, a caracterização dos dias entre as sessões de diálise e a percepção dos pacientes acerca das sessões de diálise. Também se observou uma associação significativa (p<0,05, teste de Levene) entre a aderência terapêutica e as escalas que constituem o MIPS. A equipe de saúde caracterizou o comportamento do paciente mais aderente como uma postura de aceitação do tratamento, buscando ativamente pela sua realização, por informações e mais conhecimento, além de estabelecer uma comunicação positiva com a equipe e com os demais pacientes. Resultados semelhantes foram confirmados pela avaliação do MIPS. Segundo essa avaliação os pacientes mais aderentes adotam uma atitude mais otimista, buscando agir ou adaptar-se ao seu meio, processando cognitivamente tanto informações concretas e objetivas, como informações mais especulativas e simbólicas. Além de estabelecer um padrão de relacionamento interpessoal gregário, cooperativo, submisso e flexível às demandas sociais. Estas características conseguiram explicar 55,7% da variação da aderência definida segundo a equipe de saúde e 23,3% da variação da aderência segundo o indicador laboratorial CaxP. Conclusões: O MIPS demonstrou ser capaz de identificar os pacientes mais e menos aderentes. O uso de diferentes indicadores de aderência é importante para uma avaliação que abarque as diferentes facetas desse processo. Os níveis de aderência observados estão dentro do registrado pela literatura pertinente. Há a necessidade de outros estudos com uma amostra maior para aprofundar os dados achados nesse trabalho
Abstract: Introduction: This work intents to characterize behavioral indicators of tack to the hemodialysis treatment in a sample of carrying patients of chronic kidney failure (CKF) in the great Natal/RN. The therapeutical adherence represents the agreement degree between the patient behavior and the health team lapsings. The CKF is the gradual and irreversible loss of the renal function, being the hemodialysis treatment an important alternative to assist or to substitute the kidneys. Method: The sample consisted in 80 chronic kidney patients in hemodialysis treatment in two located clinical centers in the region of the great Natal, RN. It was used as instruments (a) a protocol of clinical data collection, (b) the Millon Index of Personality Styles (MIPS) and (c) a script of halfstructuralized interview. Results: The results show a balance between the genders (51% of female and 48.8% of the male sex), average age and equal average time of dialysis respectively to the 43,4 years (±13,25 years) and 22,04 years (±4,24 years). The marital status of half of the sample is married, predominating basic education (43.6%) and a familiar income until a minimum wage (43.8%). It had been defined six physicianlaboratorial indicators to evaluate the therapeutical adherence, further the use of the evaluation of the health team and the patient themselves. Thus, there was an average adherence around 55.97% of the sample ±18.37%). However only between selfassessment of the patients about the adherence and the assessment made by blood pressure post-dialysis indicated a significant association (p=0,029, qui-square test). On the other hand, there was a significant association (p <0.05, chi-square test) among the criteria for treatment adherence and issues investigated in the interview - the perception on the quality of the health services provided to patients, the difficulties following the prescribed diet, the characterization of the days between dialysis sessions and the perception of patients about the dialysis sessions. It was also noted a significant association (p <0.05, Levene test) between adherence to therapy and scales that constitute the MIPS. The health team characterized the patients more adherent behavior as an attitude of acceptance of the treatment, looking actively for their implementation, for more information and knowledge, and establishing a positive communication with the team and with other patients. Similar results were confirmed by the MIPS evaluation. According to that assessment the more compliant patients adopt a more optimistic attitude, trying to act or adapt themselves to their environment, processing cognitively both concrete and objective information, such as more speculative and symbolic information. In addition they establish a gregarious, cooperative, submissive and flexibly pattern of interpersonal relationships to social demands. These characteristics managed to explain 55.7% of the adherence variation according the health team and 23.3% of the variation according the CaxP laboratory indicator. Conclusions: The MIPS shown to be able to identify the most and least adherent to therapy patients. The use of different adherence indicators is important for an evaluation covering the different facets of this process. The adhesion levels are observed within registered by the relevant literature. There is need for further studies with a larger sample to deepen the data findings in this work
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/17418
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RemersonRM.pdf438.34 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.