Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/17502
Title: Investigação da memória autobiográfica em idosos com demência de Alzheimer nas fases leve e moderada
Authors: Ferreira, Caroline Araújo Lemos
Keywords: Demência de Alzheimer;Memória autobiográfica;Avaliação neuropsicológica.
Issue Date: 20-Dec-2010
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FERREIRA, Caroline Araújo Lemos. Investigação da memória autobiográfica em idosos com demência de Alzheimer nas fases leve e moderada. 2010. 147 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Portuguese Abstract: O presente trabalho objetivou investigar a memória autobiográfica (MA) em idosos com Demência de Alzheimer (DA) nas fases leve e moderada, em termos de eventual diferenciação dos grupos no que se refere à especificidade e intensidade vivencial da recordação. Participaram do estudo 30 idosos, atendidos no Centro Especializado de Assistência à Saúde do Idoso (CEASI), Natal/RN, agrupados, conforme indicação de diagnóstico e estadiamento da demência pela equipe de saúde da instituição, em dois grupos, a saber, DA leve (n=15) e DA moderada (n = 15); e 14 idosos sem histórico de alterações neuropsiquiátricas que constituíram o grupo Controle. Utilizou-se na avaliação do funcionamento neurocognitivo a Bateria Abreviada NEUROPSI. Por sua vez, a memória Autobiográfica foi investigada através da aplicação de versão reduzida do Teste de Memória Autobiográfica (TMA) e do Questionário de Memória Autobiográfica (QMA). Os dados foram analisados através de Análise de Variância Multivariada (ANOVA), Análise de Kruskal-Wallis e Teste U de Mann-Whitney, bem como através da Análise de Cluster e da freqüência de respostas dos grupos aos instrumentos TMA e QMA. Os dados do NEUROPSI apontam para melhor desempenho global do subgrupo Controle (Med=97,32±14,25) quando comparado aos subgrupos de sujeitos com diagnóstico com DA leve (Med=64,80±13,33) e moderada (Med=54,47±17,07), bem como declínio progressivo significativo no desempenho dos subgrupos de DA em função da fase da doença, na quase totalidade dos subtestes. A aplicação do TMA evidenciou que o subgrupo Controle evocou maior número de memórias específicas (total=19), comparado aos subgrupos com DA leve (total=4) e DA moderada (total=7). O QMA revelou elevada intensidade vivencial das características fenomenais da recordação para o subgrupo Controle comparado aos grupos com DA, que associaram às características do QMA uma média ou baixa intensidade vivencial. Concluiu-se que alterações na MA em sujeitos com DA podem ser observadas desde a fase inicial da doença, tanto no que diz respeito à capacidade de especificar a recordação, quanto com relação às características fenomenais da lembrança. Espera-se que a presente investigação contribua para a compreensão do curso evolutivo do declínio deste subsistema específico de memória em subgrupo clínico particular, subsidiando a elaboração de técnicas de reabilitação neuropsicológica eficazes, que contribuam para o retardo da doença e a manutenção do senso de self.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/17502
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CarolineALF_DISSERT.pdf877,28 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.