Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18364
Título: Evolução morfotectônica do maciço estrutural pereiro, Província Borborema
Autor(es): Gurgel, Silvana Praxedes de Paiva
Palavras-chave: Morfotectônica. Evolução da paisagem. Tectônica pós-cretácea. Neotectônica. Datação de colúvios;Morphotectonic. Landscape evolution. Post-cretaceous tectonics. Neotectonics and colluvia dating
Data do documento: 6-Ago-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GURGEL, Silvana Praxedes de Paiva. Evolução morfotectônica do maciço estrutural pereiro, Província Borborema. 2012. 204 f. Tese (Doutorado em Geodinâmica; Geofísica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: The Northeast relief was described by the Pediplanation Model. This action discards the theoretical basis of post-Cretaceous tectonic evolution of the landscape. Through this model the Massif Pereiro - MP, Borborema Province, was established as part of the Tablelands Area Residual Sertanejos. The present work aims to establish the post- Cretaceous morphotectonic evolution of the MP by geomorphological and geological mapping using Geographic Information System, Remote Sensing and dating of sediments by Single Aliquot Regenerative-dose (SAR). The MP is contained in the core semi-arid, annual precipitation of 600-800 mm / year. The MP is NE-SW, is limited by Shear Zone Jaguaribe (ZCJ) and Portalegre Shear Zone (ZCPa), the same attitude, and crossed by several other shear zones. These shear zones show evidence of brittle Cenozoic reactivation, mostly as normal faults and shallow crustal level. The Quaternary sedimentation around the MP focuses on fault escarpments in a general pattern cascade, where ages decrease from the summits of the steep foothills. The ages of 51 sediment samples indicate a correlation with global climate following pulses: Last Interestadial-UI, the Last Glacial Maximum - LGM and the transition Pleistocene / Holocene, while the latter focus on 18 of 51 samples dated. This study also finds evidence of a new quaternary basin, here called Merejo Basin. Through these results it is concluded that no evidence of post-Cretaceous tectonic evolution of morphological MP, as their retreat along the fault scarps, invariably following the trend of the shear zones. The erosion of cliffs in large time scale is controlled by weakness zones generated by faults on the other hand the erosion of cliffs in short time, with the formation of deposits and colluvial horizons pedogenizados, has climate control. It was also found that in the study area there is a preponderance of past and current tectonic erosion processes on the morphological evolution
metadata.dc.description.resumo: O relevo do Nordeste foi descrito por meio do modelo de pediplanação. Esta base teórica descarta a atuação da tectônica pós-cretácea na evolução da paisagem. Através deste modelo o Maciço do Pereiro MP, Província Borborema, foi definido como parte do Domínio dos Planaltos Residuais Sertanejos. O presente trabalho tem por objetivo estabelecer a evolução morfotectônica pós-cretácea do MP, através da cartografia geológica e geomorfológica com uso de Sistema de Informação Geográfica, Sensoriamento Remoto e datação de sedimentos por Single Aliquot Regenerative-dose (SAR). O MP está contido no núcleo semiárido, de precipitação anual entre 600 a 800 mm/ano. O MP tem direção NE-SW, é limitado pela Zona de Cisalhamento de Jaguaribe (ZCJ) e Zona de Cisalhamento Portalegre (ZCPa), de mesma atitude, e atravessado por várias outras zonas de cisalhamento. Estas zonas de cisalhamento apresentam evidências de reativação frágil cenozoica, na sua maioria como falhas normais e de nível crustal raso. A sedimentação quaternária em torno do MP se concentra em escarpas de falhas, em um padrão geral em cascata, onde as idades diminuem das cimeiras aos sopés das escarpas. As idades de 51 amostras de sedimentos indicam correlação com seguintes pulsos climáticos globais: Último Interestadial- UI, o Último Máximo Glacial - UMG e a transição Pleistoceno/Holoceno, sendo que nesta última concentram-se 18 das 51 amostras datadas. O presente trabalho também encontra evidências de uma nova bacia quaternária, aqui denominada de Bacia Merejo. Através destes resultados conclui-se que há evidencia de tectônica pós-cretácea na evolução morfológica do MP, pois as suas escarpas recuam paralelamente às falhas, seguindo invariavelmente o trend das zonas de cisalhamento. A erosão das escarpas em grande escala de tempo é controlada pelas zonas de fraqueza geradas pelos falhamentos, por outro lado à erosão das escarpas em curtos espaços de tempos, com a formação dos depósitos coluvionares e horizontes pedogenizados, possui controle climático. Concluise ainda que na área de estudo haja a preponderância da tectônica pretérita e atual sobre os processos erosivos na evolução morfológica
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18364
Aparece nas coleções:PPGG - Doutorado em Geodinâmica e Geofísica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SilvanaPPG_TESE.pdf7,29 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.