Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18538
Título: Purificação e caracterização estrutural de homogalactanas sulfatadas anticoagulantes da alga verde Codium isthmocladum
Autor(es): Sabry, Diego de Araújo
Palavras-chave: Homogalactana;aPTT;Chlorophyta;b-D-Galactopiranose;Homogalactan;aPTT assay;Chlorophyta;b-D-Galactopyranose
Data do documento: 14-Abr-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SABRY, Diego de Araújo. Purificação e caracterização estrutural de homogalactanas sulfatadas anticoagulantes da alga verde Codium isthmocladum. 2010. 87 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
metadata.dc.description.resumo: Os polissacarídeos sulfatados compõem um grupo complexo de macromoléculas com uma gama de importantes atividades biológicas, incluindo atividade antiviral, anticoagulante, antiproliferativa, antitumoral e antioxidante. Esses polímeros aniônicos são amplamente distribuídos em tecidos de vertebrados e algas. As algas marinhas são as fontes, não-mamíferas, mais abundantes de polissacarídeos sulfatados na natureza. Os mais conhecidos extraídos de algas vermelhas são homogalactanas, chamadas de carragenanas, e de algas marrons são homo ou heteropolissacarídeos, chamadas de fucanas e fucoidanas, respectivamente, e os polissacarídeos sulfatados de algas verdes são compostas por polissacarídeos contendo galactose, glicose, arabinose e/ou ácido glucurônico. Há poucos estudos descrevendo a presença de polissacarídeos sulfatados em algas verdes. No presente estudo, o extrato total de polissacarídeos da alga verde Codium isthmocladum foi obtido através de digestão proteolítica, e fracionado por precipitação sequencial com acetona resultando em cinco frações (F0,3V; F0,5V; F0,7V; F0,9V e F1,2V). O teste de atividade anticoagulante de aPTT mostrou que F0,5V desempenhou alta atividade anticoagulante. Esta foi, posteriormente, fracionada por cromatografia de troca-iônica em sete polissacarídeos: F0,3M; F0,5M; F0,7M; F1,0M; F1,5M; F2,0M e F3,0M. Os polissacarídeos eluídos com F2,0M e F3,0M migraram como um único componente eletroforético. Não foi detectada contaminação protéica. Análises químicas mostraram que F2,0M e F3,0M são compostas por galactose. Esses polissacarídeos foram submetidos ao teste de aPTT, e mostraram alta atividade anticoagulante com atividade maior que Clexane®. Ambas apresentaram um efeito dose-dependente. Análises estruturais de F2,0M e F3,0M mostraram que elas são homopolímeros ramificados constituídos de - D-Galactopiranoses unidas por ligações b-1,6 (predominante) e b-1,3. Alguns resíduos de galactose apresentam sulfatação em C4 ou em C6, e algumas galactoses em posição não redutora apresentam piruvatação na forma de 3,4- O-(1’-carboxi)etilideno, cetal cíclico com cinco membro
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18538
Aparece nas coleções:PPGCB - Mestrado em Ciências Biológicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DiegoAS_DISSERT.pdf1,44 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.