Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18549
Título: A dívida da vida: redes clientelistas na saúde "de favor"
Autor(es): Azevedo, Julianna Kelly Souza Bezerra de
Palavras-chave: Clientelismo. Saúde. Favor. Redes;Clientelism. Health. Favor. Networks
Data do documento: 27-Jun-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: AZEVEDO, Julianna Kelly Souza Bezerra de. A dívida da vida: redes clientelistas na saúde "de favor" . 2012. 153 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: The relationship between mayors and patients Who use a Casa de Apoio in Natal, RN, shows us some traditional political features anda t the same time happens in na urban and modern context, regulated by a formal institution, the State. The Oestana, as is named this Casa de Apoio, offers daily that are paid by some City Halls located in the West of Rio Grande do Norte where people go away to capital from which they have medical and hospital care. This assistance includes paid services like accommodation, food, transportation, etc., as well as services that aren´t paid as information, support and hospital material, for example. When the patients access these service, they will gain a debt with a services provider (the mayor) which its eventually paid with the vote in the municipal elections. The goal is to understand the social, the political, the symbolic and mainly the life meaning of this relationship. Our research was developed by interviews with Oestanas users and regular visits to this house that showed a political bond regulated by moral and subjection, but is reconfigured by new social categories as the affection and the logical networks.
metadata.dc.description.resumo: A relação entre prefeitos e pacientes, usuários de uma casa de apoio em Natal, RN, apresenta traços de uma política clientelista tradicional ao mesmo tempo em que ocorre num contexto urbano e moderno, regido por uma instituição formal, o Estado. A Oestana, como é chamada essa casa de apoio, oferece diárias pagas pelas Prefeituras de cidades da Mesorregião do Oeste Potiguar de onde se deslocam doentes em busca de tratamento médico-hospitalar na capital. Essa assistência logística inclui tanto serviços pagos como acomodação, alimentação, transporte, etc. quanto aqueles não pagos tais quais informações, apoio e materiais hospitalares de uso pessoal, por exemplo. Ao acessar tais serviços, os pacientes, na maioria dos casos, assumem também uma dívida com o provedor de tais benefícios (oprefeito) que é eventualmente saldada com o voto nas eleições municipais. Para entender o significado social, político, simbólico e, sobretudo, vital dessa relação, desenvolvemos esse trabalho partir de observação direta, envolvendo entrevistas com os usuários da Oestana e visitas regulares a essa Casa as quais revelaram uma relação política operada por elementos como a moral e a sujeição, mas resinificada por novas categorias sociais como a afetividade e a lógica das redes
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18549
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JuliannaKSBA_DISSERT.pdf2,89 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.