Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18817
Título: Petrologia do plúton Serra da Macambira, neoproterozóico da faixa seridó, província Borborema (NE do Brasil)
Autor(es): Silva, Dalton Rosemberg Valentim da
Palavras-chave: Petrologia do plúton;Serra da Macambira;Neoproterozoico da Faixa Seridó.
Data do documento: 28-Jul-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Dalton Rosemberg Valentim da. Petrologia do plúton Serra da Macambira, neoproterozóico da faixa seridó, província Borborema (NE do Brasil). 2011. 113 f. Dissertação (Mestrado em Geodinâmica; Geofísica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: The final stage of Brasiliano/Pan-African orogeny in the Borborema Province is marked by widespread plutonic magmatism. The Serra da Macambira Pluton is an example of such plutonism in Seridó Belt, northeastern Borborema Province, and it is here subject of geological, petrographic, textural, geochemical and petrogenetic studies. The pluton is located in the State of Rio Grande do Norte, intrusive into Paleoproterozoic orthogneisses of the Caicó Complex and Neoproterozoic metassupracrustal rocks of the Seridó Group. Based upon intrusion/inclusion field relationships, mineralogy and texture, the rocks are classified as follows: intermediate enclaves (quartz-bearing monzonite and biotite-bearing tonalite), porphyritic monzogranite, equigranular syenogranite to monzogranite, and late granite and pegmatite dykes. Porphyritic granites and quartz-bearing monzonites represent mingling formed by the injection of an intermediate magma into a granitic one, which had already started crystallization. Both rocks are slightly older than the equigranular granites. Quartz-bearing monzonite has K-feldspar, plagioclase, biotite, hornblende and few quartz, meanwhile biotite-bearing tonalite are rich in quartz, poor in K-feldspar and hornblende is absent. Porphyritic and equigranular granites display mainly biotite and rare hornblende, myrmekite and pertitic textures, and zoned plagioclase pointing out to the relevance of fractional crystallization during magma evolution. Such granites have Rare Earth Elements (REE) pattern with negative Eu anomaly and light REE enrichment when compared to heavy REE. They are slight metaluminous to slight peraluminous, following a high-K calc-alkaline path. Petrogenesis started with 27,5% partial melting of Paleoproterozoic continental crust, generating an acid hydrous liquid, leaving a granulitic residue with orthopyroxene, plagioclase (An40-50), K-feldspar, quartz, epidote, magnetite, ilmenite, apatite and zircon. The liquid evolved mainly by fractional crystallization (10-25%) of plagioclase (An20), biotite and hornblende during the first stages of magmatic evolution. Granitic dykes are hololeucocratic with granophyric texture, indicating hypabissal crystallization and REE patterns similar to A-Type granites. Preserved igneous textures, absence or weak imprint of ductile tectonics, association with mafic to intermediate enclaves and alignment of samples according to monzonitic (high-K calcalkaline) series all indicate post-collisional to post-orogenic complexes as described in the literature. Such interpretation is supported by trace element discrimination diagrams that place the Serra da Macambira pluton as late-orogenic, probably reflecting the vanishing stages of the exhumation and collapse of the Brasiliano/Pan-African orogen.
metadata.dc.description.resumo: O final da orogênese Brasiliana/Pan-Africana na Província Borborema, NE do Brasil, é marcado por um volumoso plutonismo. O plúton Serra da Macambira (PSM) constitui um exemplo destes plútons, sendo aqui objeto de caracterização geológica, petrográfica, textural, geoquímica e petrogenética. O PSM localiza-se no Estado do Rio Grande do Norte, sendo intrusivo em ortognaisses paleoproterozoicos (Complexo Caicó) e metassupracrustais neoproterozoicas (Grupo Seridó). As rochas que compõem o plúton foram classificadas segundo suas relações de intrusão/inclusão, mineralogia e textura, na seguinte sequência relativa: enclaves intermediários (quartzo monzonitos e biotita tonalitos); monzogranitos porfiríticos; sienogranitos e monzogranitos equigranulares; diques graníticos e pegmatíticos tardios. Granitos porfiríticos e enclaves quartzo monzoníticos representam mistura de magmas (mingling), formada pela injeção de um magma intermediário em um magma granítico já em cristalização. Ambos são ligeiramente precoces em relação ao granito equigranular. Os enclaves quartzo monzoníticos apresentam microclina, plagioclásio, biotita, hornblenda e pouco quartzo, enquanto os biotia tonalitos são pobres em microclina, ricos em quartzo e não apresentam hornblenda. Os granitos porfirítios e equigranulares portam biotita e raramente hornblenda, texturas mirmequítica e pertítica, além de plagioclásios zonados que indicam a relevância da cristalização fracionada na sua evolução. Estes granitos apresentam características geoquímicas similares, com anomalia negativa de Eu, enriquecimento em Elementos Terras Raras (ETR) leves e empobrecimento em ETR pesados, variam entre ligeiramente metaluminosos e ligeiramente peraluminosos e seguem a trajetória evolutiva cálcio-alcalina de alto potássio. Os processos petrogenéticos tiveram início com a fusão parcial (27,5%) da crosta continental paleoproterozoica, gerando um líquido ácido hidratado, que incorporou H2O dos minerais existentes na fonte, deixando um resíduo granulítico com ortopiroxênio, K-feldspato, plagioclásio (An40-50), quartzo, epídoto, magnetita, ilmenita, apatita e zircão. O líquido evoluiu com predominância do processo de cristalização fracionada (10-25%), ocorrendo fracionamento de plagioclásio sódico (An20), biotita e hornblenda nas fases iniciais de cristalização. Diques ácidos tardios apresentam textura granofírica, caracterizando cristalização e/ou colocação em condições hipabissais e padrão de ETR similares aos de granitos Tipo-A. Texturas ígneas bem preservadas, ausência ou fraca atuação de eventos tectônicos, associação de enclaves intermediários a máficos e alinhamento de amostras de acordo com séries de diferenciação cálcioalcalina de alto potássio são encontradas em complexos magmáticos pós-colisionais a pós-orogênicos descritos na literatura. Esta interpretação está em acordo com o comportamento das amostras em diagramas discriminantes de ambientes tectônicos, posicionando o plúton em um contexto tardiorogênico, eventualmente registrando os episódios finais de colapso da cadeia Brasiliana/Pan-Africana na Faixa Seridó.
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18817
Aparece nas coleções:PPGG - Mestrado em Geodinâmica e Geofísica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_DaltonSilva_2011.pdf1,93 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.