Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/18962
Título: Vende-se uma vila: análise intra-urbana das vilas na Vila de Ponta Negra e no bairro de Nova Descoberta - Zona Sul de Natal
Autor(es): Cavalcante, Gilene Moura
Palavras-chave: Habitação;Vilas;Rentista;Gentrificação;Housing;Vilas;Rent;Gentrification
Data do documento: 13-Dez-2006
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CAVALCANTE, Gilene Moura. Vende-se uma vila: análise intra-urbana das vilas na Vila de Ponta Negra e no bairro de Nova Descoberta - Zona Sul de Natal. 2006. 116 f. Dissertação (Mestrado em Dinâmica e Reestruturação do Território) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.
Resumo: This dissertation is about low-income rental housing vilas in the South Zone in the city of Natal. Vilas are a string of houses, built privately in an urban plot of land, usually a backyard, facing a narrow street beco. This type of housing is originated in the 19th century in the Brazilian scenario. In Natal, this has become more popular since the late 1960s. This study is aimed at analyzing the urban integration of the vilas, considering that these house a low income population, vis à vis the speedy development of Natal s most economically dynamic area. The study starts with a discussion of the production of space, taking into consideration categories such as use value, exchange value, commodity and land rent. Field work was undertaken through structured interviews with dwellers of vilas in Nova Descoberta and Ponta Negra neighbourhoods. Owners of vilas were also interviewed. Data collected indicated worrisome housing conditions. Vilas, in the areas researched, are increasingly becoming unwelcome, constituting guetos in a place where landscape is changing rapidly. Gentrification is fast under way, first because of rise in rent and taxes; second because of general rise in living costs
metadata.dc.description.resumo: A presente dissertação trata de um estudo sobre as vilas na Zona Sul da cidade de Natal. As vilas são conjuntos de casas geminadas, construídas no interior de um pequeno terreno, voltadas para a única via de acesso o beco. Sua origem, no Brasil, é rentista e data do final do século XIX. Em Natal, as vilas aparecem no final da década de 1960. O objetivo desse trabalho é analisar a forma de inserção dessas vilas, enquanto moradia para pessoas de menor poder aquisitivo, diante das transformações que fizeram da Zona Sul de Natal, uma das áreas mais dinâmicas da cidade, em termos de circulação e consumo de mercadorias e serviços. A análise da pesquisa tem como pano de fundo a discussão da produção da cidade, considerando categorias de análise como valor de uso e valor de troca , mercadoria e renda da terra . A pesquisa de campo foi realizada, por meio de questionários estruturados, junto aos moradores de vilas nos bairros de Nova Descoberta e Ponta Negra. Foram entrevistados também proprietários de casas de aluguel. Os dados da pesquisa sinalizaram para um quadro habitacional bastante preocupante, quanto às condições gerais de moradia. As vilas nas áreas de pesquisa estão, cada vez mais, destoando na paisagem. Elas representam, em alguns casos, verdadeiros guetos, em locais onde as modificações na paisagem se processam aceleradamente. Vem acontecendo uma espécie de expulsão da população pobre, por motivos econômicos, de duas maneiras: primeiro através da saída dos moradores do bairro, em função do aumento no preço dos aluguéis, ou o aumento sobre os impostos prediais e territoriais, taxas de serviços, como o fornecimento de energia elétrica e água, e o aumento no custo de vida em geral, tornando ainda mais difícil a vida dos moradores das vilas pesquisadas
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/18962
Aparece nas coleções:PPGe - Mestrado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GileneMC.pdf3,03 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.