Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19382
Título: Entomobryoidea e Symphypleona (Collembola, Hexapoda) em remanescentes de Mata Atlântica do Estado Do Rio Grande do Norte
Autor(es): Silva, Diego Dias da
Palavras-chave: Biodiversidade;Fauna edáfica;Artrópodes ápteros;Novas espécies;Taxonomia
Data do documento: 27-Fev-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Diego Dias da. Entomobryoidea e Symphypleona (Collembola, Hexapoda) em remanescentes de Mata Atlântica do Estado do Rio Grande do Norte. 2014. 78f. Dissertação (Mestrado em Sistemática e Evolução) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
metadata.dc.description.resumo: Colêmbolos são pequenos artrópodes extremamente abundantes na natureza. São semelhantes a insetos em seu padrão de tagmose, ecologicamente muito importantes e podem ser usados como bioindicadores. Mais de 8.300 espécies já foram descritas no mundo, mas se estima que a riqueza real corresponda a um número muito maior. A Mata Atlântica corresponde ao domínio fitogeográfico mais alterado pela ação antrópica no Brasil, restando menos de 8,5% de sua cobertura original. No Rio Grande do Norte a Mata Atlântica cobre apenas 0,27% do território do Estado. Assim, considerando a importância de se conhecer a fauna de Collembola, sobretudo num ambiente ameaçado como a Mata Atlântica, este trabalho objetivou estudar a riqueza de colêmbolos Entomobryoidea e Symphypleona ocorrentes em dois remanescentes de Mata Atlântica do Rio Grande do Norte através de coletas ativas com aspirador entomológico e passivas com pitfall, durante os períodos de chuva e seca. Foram identificadas 22 espécies de colêmbolos, sendo que destas 19 (mais de 85% do total) são novas para a ciência, incluindo um novo gênero da família Sminthuridae. As coletas realizadas no período chuvoso apresentaram praticamente o dobro de espécies em relação às realizadas no período seco. Este fato possivelmente está associado à dependência dos colêmbolos de umidade, assim como estratégias de resistência a período secos. São descritas quatro novas espécies, incluindo o novo gênero (Trogolaphysa sp.nov., Gen.nov. sp.nov., Szeptyckitheca sp.nov. e Sminthurinus sp.nov.). Este expressivo número de espécies novas identificadas, os novos registros para o gêneros e famílias para a Mata Atlântica do Rio Grande do Norte e a descoberta de um novo gênero corroboram o pressuposto que motivou este trabalho: o Rio Grande do Norte apresenta uma fauna de Collembola desconhecida e potencialmente diversificada. Além disso, foram geradas informações importantes sobre a morfologia das espécies descritas, que por sua vez são de grande importância para a sistemática dos Collembola. O novo gênero descrito faz parte de um visível subgrupo dentro da família Sminthuridae (aqueles com o unguis com cavidade) que aparentemente tem potencial para ser reconhecido futuramente em alguma categoria taxonômica supragenérica.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19382
Aparece nas coleções:PPGSE - Mestrado em Sistemática e Evolução

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DiegoDiasDaSilva_DISSERT.pdf5,82 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.