Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19405
Título: Histórias de adoção tardia: considerações a partir da analítica existencial heideggeriana
Autor(es): Freitas, Sayonara Oliveira
Palavras-chave: Adoção tardia;Criança;Mãe;Fenomenologia;Analítica existencial
Data do documento: 15-Ago-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: FREITAS, Sayonara Oliveira. Histórias de adoção tardia: considerações a partir da analítica existencial heideggeriana. 2014. 180f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Adoption establishes a filiation status, resulting from a legal act, which attributes to the child and parents the rights and obligations associated with such condition, being legally irrevocable. Nevertheless, in practice there are adoptions that do not concretize and the child returns to justice during or even after the legal process is closed. Late adoption is the denomination of the adoption of children over two years and it is still permeated by myths and stigmas, leading to a frequent return of the child to justice in these cases. The late adoption involves a process of building a unique relationship with a child whose backstory is commonly marked by the dissolution of the relationship with the family of origin, due to violation of rights and, in some cases, the experience of institutional care. Given such a scenario, this research, based on the Existential Analytic proposed by Martin Heidegger, seeks to understand the experience of mothers and children in the process of late adoption, in order to obtain subsidies to psychological attention in this context. This is a qualitative, phenomenological study with a comprehensive focus. The participants were two mothers and two children who have gone through late adoption for about two years. The procedures of data generation contemplated narrative interviews with mothers and individual meetings with children, in which ludic resources were used as mediators of expression (free drawings, unfinished children's story and "Story-Drawings" on late adoption). The procedures were audiotaped and transcribed. Data analysis was grounded in Heidegger's hermeneutics. The late adoption process, permeated by historical, social and cultural determinants and the web of meanings that create the historical singularity of each person involved have proved to be complex as seen in the narratives. The construction of the meanings of parenthood and filiation has been developing in the families in the study, from the experience of being-with-the-other, caring and dwelling in their peculiar modes of expression. The family of origin and the adoptive family mingle and differentiate by means of the experience of children, especially because of the existence of biological siblings. Data point to the importance of psychological care to family core in late adoption processes
metadata.dc.description.resumo: A adoção estabelece o estado de filiação, decorrente de ato jurídico, atribuindo à criança e aos pais os direitos e obrigações inerentes a tal condição, sendo juridicamente irrevogável. Entretanto, na prática, há adoções que não se concretizam, sendo a criança devolvida à justiça no decorrer ou mesmo após o encerramento do processo judicial. Denomina-se adoção tardia, a adoção de crianças com mais de dois anos, sendo esta ainda permeada por estigmas e mitos, sendo a devolução da criança à justiça mais frequente nestes casos. A adoção tardia envolve um processo de construção de uma relação singular, com uma criança cuja história pregressa é comumente marcada pelo rompimento da relação com a família de origem, por violação de direitos e, em alguns casos, pela experiência do acolhimento institucional. Diante de tal cenário, esta pesquisa, fundamentado na Analítica Existencial proposta por Martin Heidegger, busca compreender a experiência de mães e filhos no processo de adoção tardia, de modo a obter subsídios à atenção psicológica neste contexto. Trata-se de um estudo qualitativo, fenomenológico, com enfoque compreensivo. Os participantes da pesquisa foram duas mães e duas crianças que concretizaram uma adoção tardia há mais de dois anos. Os procedimentos de construção dos dados contemplaram entrevistas narrativas com as mães e encontros individuais com as crianças, nos quais foram utilizados recursos lúdicos como mediadores de expressão (desenhos livres, história infantil inconclusa e “Desenhos-Estórias com Tema” sobre adoção tardia). Os procedimentos foram audiogravados e transcritos. A análise dos dados foi feita a partir da hermenêutica heideggeriana. O processo de adoção tardia, perpassado por determinantes históricos, sociais e culturais e pela trama de significados que compõe a histórica singular de cada um dos envolvidos revelou-se, a partir das narrativas, complexo. A construção dos sentidos de parentalidade e de filiação vem se desenvolvendo, nas famílias do estudo, a partir da experiência do ser-com o outro, do cuidado e do habitar, em seus peculiares modos de expressão. A família de origem e a família adotiva se confundem e se diferenciam na experiência das crianças, principalmente pela existência de irmãos biológicos. Os dados apontam para a importância da atenção psicológica ao núcleo familiar em processos de adoção tardia.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19405
Aparece nas coleções:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SayonaraOliveiraFreitas_DISSERT.pdf2,31 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.