Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19436
Título: Percepção de cuidadores de crianças acerca da prevenção de acidentes domésticos infantis: análise à luz do modelo de crenças em saúde
Título(s) alternativo(s): Perception of children caregivers about prevention of child domestic accidents: analysis based on the health belief model
Autor(es): Gurgel, Allyne Karlla Cunha
Palavras-chave: Acidentes domésticos;Criança;Prevenção;Enfermagem
Data do documento: 30-Jan-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GURGEL, Allyne Karlla Cunha. Percepção de cuidadores de crianças acerca da prevenção de acidentes domésticos infantis: análise à luz do modelo de crenças em saúde. 2014. 112f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: This study aimed to analyze the perception of home caregivers of children from zero to five years-old on child domestic accidents and their influence in preventing these events. Exploratory and descriptive study with a qualitative approach, conducted with 20 caregivers attended at the Family Health Unit of Cidade Nova in Natal/Rio Grande do Norte, Brazil. The participants should have age less than 18 years-old, being a caregiver of at least a five year-old child and living in the area ascribed of Family Health Unit in the neighborhood Cidade Nova. Data collection occurred between March and April 2013 and a semistructured interview script was used. This stage was preceded by the acquiescence of the director of health institution where the research was developed, the Health Department of the Municipality of Natal as well as the Ethics Committee in Research of Universidade Federal do Rio Grande do Norte under Opinion nº 219 872 and CAAE nº 12236013.7.0000.5537. It is noted that respondents were asked to formal authorization by the Term of Consent. The data were treated according to the technique of the Collective Subject Discourse and analyzed based on three dimensions of the Health Belief Model, relating to perceptions of susceptibility to infant domestic accidents, self-efficacy to prevent infant and indicia domestic accidents for action of preventing domestic accidents in childhood. The results revealed that all the respondents were women, who, in their majority, they are mothers of the children they care, and predominantly they are aged between 18 and 30 years-old, full high school education and unemployed. Concerning the perception of susceptibility, it was unveiled understanding of deponents on various types of accidents, which are considered preventable. For this purpose, it was highlighted that the constant surveillance of the children is essential, keeping in view their high degree of curiosity and immaturity. On the perceived selfefficacy, the participants reported adopting preventive measures; however, they reported experiencing falls, burns, electric shocks and dog bites. In regard to the meaning attributed to experienced accidents they highlighted their feelings of guilt and despair, particularly about the cases understood as serious. Regarding the last dimension analyzed, related to indications for action, family, friends and television were the main source of information about household accidents and their prevention methods; however, health professionals were rarely cited as issuers of such knowledge. It is concluded that there is a widespread perception of women about prevention of domestic accidents and the weakness in the view of health professionals, including nurses, as disseminators of this information. This suggests the need to strengthen the dialogue on the issue and encouraging the participation of caregivers actively in the prevention of child domestic accidents
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa objetivou analisar a percepção de cuidadores domiciliares de crianças de zero a cinco anos sobre acidentes domésticos infantis e sua influência na prevenção desses eventos. Estudo exploratório e descritivo, com abordagem qualitativa, realizado junto a 20 cuidadores atendidos na Unidade de Saúde da Família do bairro de Cidade Nova, em Natal/Rio Grande do Norte, Brasil. Os participantes deveriam atender aos seguintes critérios de inclusão: ter idade igual ou superior a 18 anos, ser cuidador(a) domiciliar de pelo menos uma criança com até cinco anos e residir na área adscrita da Unidade de Saúde da Família do bairro de Cidade Nova. A coleta de dados ocorreu entre março e abril de 2013, sendo utilizado um roteiro de entrevista semiestruturado. Esta etapa foi precedida pelas anuências da diretora da instituição de saúde onde se desenvolveu a investigação; da Secretaria de Saúde do Município de Natal, bem como do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sob o CAAE nº 12236013.7.0000.5537. Salienta-se que se solicitou aos entrevistados autorização formal por meio do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os dados foram tratados conforme a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo e analisados com base em três dimensões do Modelo de Crenças em Saúde, referente às percepções de susceptibilidade aos acidentes domésticos infantis; de autoeficácia para evitar acidentes domésticos infantis e de indícios para a ação de prevenir acidentes domésticos na infância. Os resultados revelaram que todas as entrevistadas eram mulheres, as quais, em sua maioria, declararam-se mães das crianças cuidadas, com faixa etária predominante entre 18 e 30 anos, vivendo em união consensual, com ensino médio completo e desempregadas. Concernente à percepção de susceptibilidade, desvelou-se compreensão das depoentes sobre diversos tipos de acidentes, sendo estes considerados evitáveis. Para tanto, destacou-se ser essencial a vigilância constante da criança, tendo-se em vista seu alto grau de curiosidade e imaturidade. Sobre a percepção de autoeficácia, as participantes informaram adotar medidas preventivas, entretanto, relataram a vivência de quedas, queimaduras, choques elétricos e mordedura canina. Relativo ao significado atribuído aos acidentes vivenciados, realçaram-se os sentimentos de culpa e desespero, sobretudo diante dos casos interpretados como graves. Quanto à última dimensão analisada, relacionada aos indícios para a ação, a televisão sobressaiu como principal fonte de informações sobre acidentes domésticos e suas respectivas formas de prevenção, contudo, os profissionais de saúde foram citados poucas vezes como emissores de tais saberes. Conclui-se a existência de uma ampla percepção das mulheres sobre a prevenção de acidentes domésticos, porém, distribuída de modo desigual, fato que pode ter contribuído para a vivência desses episódios. A fragilidade na visualização dos profissionais de saúde, dentre eles os enfermeiros, como disseminadores dessas informações, sugere o reforço os diálogos sobre o tema e o incentivo da participação dos cuidadores como sujeitos ativos na prevenção dos acidentes domésticos infantis
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19436
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AllyneKarllaCunhaGurgel_DISSERT.pdf1,7 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.