Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19463
Título: Evidências de validade do Millon Behavioral Medicine Diagnostic na avaliação de aderência terapêutica em pacientes com insuficiência cardíaca crônica
Autor(es): Carvalho, Maria Fernanda de Oliveira
Palavras-chave: Doença cardíaca;Aderência ao tratamento;Avaliação psicológica;Personalidade
Data do documento: 12-Ago-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CARVALHO, Maria Fernanda de Oliveira. Evidências de validade do Millon Behavioral Medicine Diagnostic na avaliação de aderência terapêutica em pacientes com insuficiência cardíaca crônica. 2014. 5090f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Chronic heart failure (CHF) is the final common pathway of most diseases affecting the heart, being responsible for a high level of mortality and hospitalization, as well as significant reduction in quality of life of those affected. Interventions that claim to optimize patient adherence to their medical regimen, and improve self-care behavior, have proven effective in preventing unplanned admissions and improves the outcome for patients, however, studies have shown the problem of non-adherence, and some psychological instruments have been used to show that traces indicate difficulties with treatment adherence. Having shown this, the aim of this work is to evaluate the evidence of validity of the Millon Behavioral Medicine Diagnostic (MBMD) in a population of patients with CHF. The study included individuals with CHF, males and females, between the age of 18 and 85 years, treated in a reference hospital in the city of NatalRN. A total of 120 patients answered, in addition to the MBMD, another questionnaire structured with sociodemographic aspects and clinical itens. The results indicated that the parameter of the MBMD reliability was satisfactory the most of extracted factors, and some scale. In terms of the population studied, we could verify that the disease was more prevalent in men, but women had the highest average in indicators related to negative health habits and depressed mood. Younger pacients and those who had no partner had the highest averages in groups of items that dealt with feelings of sadness and discouragement. Hasn’t been observed differences related to negative health habits and problematic adherence among patients in different functional classes. More studies in this research line, with a larger population and from other regions of the country, are needed in order to expand the data presented here
metadata.dc.description.resumo: A insuficiência cardíaca crônica (ICC) é a via final comum da maioria das doenças que acometem o coração, sendo responsável por elevados índices de mortalidade e de internação hospitalar, bem como redução expressiva da qualidade de vida das pessoas afetadas. Intervenções com vistas à otimização da adesão do paciente ao seu regime médico, e melhora do comportamento de autocuidado, têm se mostrado eficazes na prevenção de internações não planejadas e melhora do resultado em pacientes, entretanto, estudos têm mostrado a problemática da não aderência, e alguns instrumentos psicológicos vem sendo utilizados para mostrar que traços indicam dificuldades com a adesão ao tratamento. Tendo isso em vista, o objetivo deste trabalho constitui avaliar as evidências de validade do Millon Behavioral Medicine Diagnóstic (MBMD) em população de pacientes com ICC. Participaram do estudo indivíduos com ICC, dos sexos masculino e feminino, com faixa etária entre 18 e 85 anos, atendidos em hospital de referência da cidade de Natal-RN. Um total de 120 pacientes responderam, além do MBMD, outro questionário estruturado com itens referentes a aspectos sociodemográficos e clínicos. Os resultados indicaram que o parâmetro de fidedignidade do MBMD mostrou-se satisfatório, demonstrando a constância dos resultados para avaliações realizadas com o instrumento em questão. Em se tratando da população pesquisada, pôde-se verificar que a doença foi mais prevalente no sexo masculino, mas as mulheres apresentaram as maiores médias nos indicadores referentes a hábitos negativos de saúde e humor deprimido. Os mais jovens e aqueles que não tinham companheiro apresentaram as maiores médias em grupos de itens que tratavam de sentimentos de tristeza e desânimo. Não foram verificadas diferenças relacionadas a hábitos negativos de saúde e aderência problemática entre pacientes em classes funcionais diferentes. Mais estudos nessa linda de pesquisa, com populações maiores e de outras regiões do país, são necessários no intuito de ampliação dos dados aqui apresentados.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19463
Aparece nas coleções:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariaFernandaDeOliveiraCarvalho_DISSERT.pdf1,11 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.