Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19497
Título: Efeito de ligantes do receptor NOP no modelo animal de mania induzido por metilfenidato
Autor(es): Fernandes, Diego Alexandre da Cunha
Palavras-chave: Camundongo;Mania;Transtorno bipolar;Metilfenidato;Nociceptina/orfanina FQ;Dopamina.
Data do documento: 22-Set-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: FERNANDES, Diego Alexandre da Cunha. Efeito de ligantes do receptor NOP no modelo animal de mania induzido por metilfenidato. 2014. 74f. Dissertação (Mestrado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Bipolar disorder is a chronic psychopathology that reaches from 1 to 4% of the world population. This mood disorder is characterized by cyclical mood changes, in which an individual alternates between states of depression and mania. Mania is described in the literature as an abnormal state of exacerbation of humor, in which the subject presents an expansive, euphoric behavior, but with increased irritability, psychomotor agitation and a feeling of invincibility, which will contribute to risks exposure. The treatment of this psychopathology is complex and it is not effective in all cases, and it evokes many side effects. In this respect, the system of Nociceptin/Orphanin FQ (N/OFQ) can be studied as a possible therapeutic target for the treatment of bipolar disorder, due to its modulatory role on monoaminergic systems and on mood. This study aims to investigate the effect of NOP receptor ligands in an animal model of mania induced by methylphenidate. To this aim, locomotor activity was assessed in an open field, in mice treated with methylphenidate (10 mg/kg, sc, 15 min). Valproate (300 mg / kg, ip, 30 min), standard treatment of mania, prevented methylphenidate-induced hyperlocomotion. The acute treatment with the antagonist of NOP receptor UFP-101 (1-10 nmol, icv, 5 min) per se did not affect the spontaneous locomotion of mice, but it was able of attenuating hyperlocomotion induced by methylphenidate. The acute treatment with N/OFQ (1 and 0.1 nmol, icv, 5 min) did not alter the distance moved, but when tested at a dose of 1 ηmol, N/OFQ slightly reduced methylphenidate-induced hiperlocomotion. In conclusion, the administration of UFP-101 and N/OFQ produced antimanic-like actions. Furthermore, these data suggest that the system of N/OFQ performs a complex modulation of voluntary movement, and consequently on dopaminergic neurotransmission.
metadata.dc.description.resumo: O transtorno bipolar é uma psicopatologia crônica que atinge de 1 à 4% da população mundial. Esse transtorno do humor é caracterizado por alterações cíclicas do humor, nas quais o indivíduo alterna entre os estados de depressão e mania. A mania é descrita na literatura, como um estado de exacerbação anormal do humor, em que o sujeito apresenta um comportamento expansivo, eufórico, porém com aumento da irritabilidade, intensa agitação psicomotora e um sentimento de invencibilidade inconsequente, que contribui para a exposição á comportamentos de risco. O tratamento dessa psicopatologia é complexo e não apresenta eficácia em todos os casos, além de possuir muitos efeitos colaterais. Nesse aspecto, o sistema da Nociceptina/Orfanina FQ (N/OFQ) pode ser estudado como um possível alvo terapêutico para o tratamento do transtorno bipolar, devido ao seu papel modulatório sobre os sistemas monoaminérgicos e sua participação na modulação do humor. Este trabalho visa investigar o efeito de ligantes do receptor NOP em um modelo animal de mania induzida por metilfenidato. Para isso foi avaliada a atividade motora espontânea, em um campo aberto, de camundongos tratados com metilfenidato (10 mg/kg, sc, 15 min). O valproato de sódio (300 mg/kg, ip, 30 min), fármaco utilizado no tratamento clínico da mania, foi capaz de prevenir a hiperlocomoção causada pelo metilfenidato. O tratamento agudo com o antagonista do receptor NOP, UFP-101 (1-10 nmol, icv, 5 min), não afetou per se a locomoção espontânea dos camundongos, mas foi capaz de atenuar a hiperlocomoção induzida por metilfenidato. Por sua vez, o tratamento agudo com N/OFQ (0,1 e 1 nmol, icv, 5 min) não alterou significativamente a distância percorrida, mas quando testada na dose de 1 ηmol, a N/OFQ foi capaz de reverter discretamente os efeitos hiperlocomotores promovidos pelo metilfenidato. Em conclusão, tanto a administração de N/OFQ quanto de UFP produzem ações do tipo antimaníacas. Além disso, estes dados sugerem que o sistema da N/OFQ efetua uma modulação complexa sobre o movimento voluntário e, consequentemente, sobre a neurotransmissão dopaminérgica.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19497
Aparece nas coleções:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DiegoAlexandreDaCunhaFernandes_DISSERT.pdf1,92 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.