Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19546
Título: Concepções de mulheres com deficiência física sobre a maternidade
Título(s) alternativo(s): Conceptions of women with physical disability about motherhood
Autor(es): Carvalho, Camila Fernandes da Silva
Palavras-chave: Enfermagem;Saúde reprodutiva;Pessoas com deficiência
Data do documento: 8-Dez-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CARVALHO, Camila Fernandes da Silva. Concepções de mulheres com deficiência física sobre a maternidade. 2014. 106f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: The study aimed to understand the concept of women with physical disabilities about their ability to gestate, give birth or care a child. This is an exploratory, descriptive study with qualitative approach developed in three non-governmental organizations in Natal, Rio Grande do Norte, Brazil. The data collection occurred in the period from April to June, 2014, through semi-structured interviews, using a script composed by sociodemographic questions and a guiding one. It was obtained a priori the permission from the association’s directors, the approval from the Research Ethics Committee, of the Federal University of Rio Grande do Norte, CAAE nº 27442814.7.0000.5537 and the assent n° 618.045, as well as the participant’s formal authorization by signing the Informed Consent Statement. Participated in the study 12 women, selected according to the following inclusion criteria: to have physical disability, to be aged 18 to 49 years old, and to affirm the existence of limiting characteristics from early childhood (0-3 years). The information obtained in the interviews were subjected to the precepts of Content Analysis according to Bardin, under the thematic analysis technique. From this process, three categories emerged: Conceiving motherhood in front of disability; Conceiving the capacity to be mother with disability; and Conceiving the support during pregnancy and puerperium period. As the theoretical framework we adopted the principles of symbolic interactionism proposed by Blumer. The discussion was supported by literature findings on women's health care in the context of reproduction. The interviewees conceive motherhood as an accomplishment and believe in their own ability to gestate, give birth and care a child. However, the desire for the maternal role tends to be influenced by adverse feelings and limitations raised by disability, social barriers and prejudices. They also referred the importance of support from partner, family and health professionals in the care of child. Upon these findings, it is understood that although there are barriers to the realization of their desire, these barriers were not enough to make them give up on becoming a mother. Therefore, it is necessary that health professionals, highlighted the nurse, be trained to care for women with disabilities in the context of reproductive health care in order to offer adequate support to their needs
metadata.dc.description.resumo: O estudo objetivou compreender a concepção de mulheres com deficiência física sobre sua capacidade de gestar, parir ou cuidar de um filho. Trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva com abordagem qualitativa desenvolvida em três organizações não-governamentais de Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. A coleta de dados ocorreu no período de abril a junho de 2014, por meio de entrevista semiestruturada, utilizando-se roteiro constituído por questões sociodemográficas e uma norteadora. Obteve-se a priori anuência dos diretores das associações, aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, CAAE nº 27442814.7.0000.5537 e parecer n° 618.045, assim como a autorização formal das participantes mediante a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Participaram do estudo 12 mulheres selecionadas conforme os seguintes critérios de inclusão: ter deficiência física, estar na faixa etária de 18 a 49 anos e afirmar a existência de características limitantes desde a primeira infância (0 a 3 anos). As informações obtidas nas entrevistas foram submetidas aos preceitos da análise de conteúdo segundo Bardin, de acordo com a técnica de análise temática. Desse processo, emergiram três categorias: Concebendo a maternidade diante da deficiência física; Concebendo a capacidade de ser mãe com deficiência; e Concebendo o apoio durante o ciclo gravídicopuerperal. Como referencial teórico adotou-se os princípios do Interacionismo Simbólico proposto por Blumer. A discussão foi respaldada por meio de achados literários sobre a assistência à saúde da mulher no contexto da reprodução. As entrevistadas concebem a maternidade como uma realização e acreditam na sua capacidade em gestar, parir e cuidar de um filho. Porém, o desejo pelo papel materno tende a ser influenciado por sentimentos adversos e limitações suscitadas pela deficiência, barreiras sociais e preconceitos. Referiram também a importância do suporte do companheiro, familiares e profissionais de saúde nos cuidados ao filho. Mediante esses achados, compreende-se que embora haja entraves para a realização do seu desejo, não foram suficientes para fazê-las desistir em tornar-se mãe. Portanto, se faz necessário que os profissionais da saúde, em destaque o enfermeiro, sejam capacitados para o atendimento a mulher com deficiência no âmbito da atenção à saúde reprodutiva de modo a ofertar assistência adequada às suas necessidades
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19546
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CamilaFernandesDaSilvaCarvalho_DISSERT.pdf4,23 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.