Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19551
Title: Desindustrialização no Brasil: teorias e evidências para o debate
Authors: Silva, José Alderir da
Keywords: Desindustrialização;Estrutura produtiva;Indústria de transformação
Issue Date: 24-Oct-2014
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, José Alderir da. Desindustrialização no Brasil: teorias e evidências para o debate. 2014. 166f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Portuguese Abstract: Este estudo tem por objetivo contribuir com evidências para embasar o debate acerca de uma possível desindustrialização da economia brasileira, com ênfase no período pós-1995. O debate teve início em finais da década de 1980, contudo, recentemente a desaceleração da indústria ganhou força nas discussões do meio acadêmico. Entre as principais teses nesse debate está a novo-desenvolvimentistas que acredita na desindustrialização precoce causada principalmente pela sobreapreciação cambial. Contudo, parte da heterodoxia acredita que a desaceleração da indústria esteja mais relacionada com a taxa de investimento do que do câmbio. Não obstante, segundo a tese ortodoxa, a perda de competitividade devido ao custo elevado de produção pode ter causada a desindustrialização no Brasil. Por outro lado, parte da ortodoxia não acredita que o país esteja se desindustrializando, mas está ocorrendo uma convergência da indústria brasileira à média mundial. Assim, na tentativa de lançar luz sobre esse debate, o presente estudo busca identificar as razões da desaceleração da indústria brasileira, enfatizando aspectos pouco explorados na literatura, e tentar definir se o país padece ou não de um processo de desindustrialização. Ao analisar diversos indicadores, sobretudo, em nível de quantum, encontramos fortes indícios de que a desaceleração da indústria brasileira pode ser caracterizada como uma desindustrialização, porém ainda insuficiente para qualificar como precoce, dada a perda de participação da produção física na produção total e o aumento da participação dos bens primários na pauta de exportação
Abstract: This study aims to contribute with evidence to reinforce or not the thesis of a possible deindustrialization of the Brazilian economy, with emphasis on period after 1995. The debate began in the late 80s, however, recently the industry deceleration gained strength in discussions academic. Between the main theses in this debate is the new-development that believes in precocious deindustrialization caused primarily by overvaluation exchange rate. However, part of heterodoxy believes the industry downturn is more related to the rate of investment than the exchange rate. Nevertheless, according to the orthodox thesis the loss of competitiveness due to the high cost of production may have caused the de-industrialization in Brazil. On the other hand, part of Orthodoxy does not believe that the country is deindustrializing it, but is occurring convergence of Brazilian industry the world average. Thus, in an attempt to shed light on this debate, this study intends to identify the reasons for the deceleration of the Brazilian industry, emphasizing aspects underexplored in the literature and define whether or not the country suffers a process of deindustrialization. When analyzing various indicators, especially the quantum level we find strong indications that the deceleration of the Brazilian industry can be characterized as a deindustrialization, though still insufficient to qualify as precocious, given the loss of share in physical production in total output and the share of primary goods in the export basket
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19551
Appears in Collections:PPGECO - Mestrado em Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DesindustrializaçãoBrasilTeorias_Silva_2014.pdf1.96 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.