Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19696
Título: A configuração do circuito espacial de produção sucroalcooleira em Alagoas
Título(s) alternativo(s): The circuit production space of sugar in Alagoas
Autor(es): Silva, Dênis Carlos da
Palavras-chave: Produção sucroalcooleira;Circuito espacial de produção;Círculos de cooperação;Agentes hegemônicos;Território alagoano
Data do documento: 27-Mar-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Dênis Carlos da. A configuração do circuito espacial de produção sucroalcooleira em Alagoas. 2014. 174f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: The sugarcane production consists in the principal product activity in the state of Alagoas, holding a structure composed of 25 unities of production that represents the economic base of more than a half of its municipies, what make it be the biggest producer of the sector in North and Northwest, exporting its products for countries in different continents. From this reference, it was searched in the present work, to understand the configuration of the circuit space production of sugar cane in Alagoas, from the use of the territory, trough the analyses of the more significant events related to the sector, and, the established rules by the State, through the government, by organs like Institute of Sugar and Alcohol (IAA), and programs like National Alcohol Program (Proálcool), between others, that had as function to structure and to allocate resources to the sugar cane sector. It was realized that the investments done made possible the renovation of techniques used in the sugar cane complex. In the beginning, with the substitution of the mill for factories and, afterwards, the improvement of the agriculture and factory process themselves, improving the utilization of the byproduct, and the productive integration of instances, specially with the sugar, cane, electricity generation production, intensifying the participation of the state in the internation division of labor, giving it a organization structure divided by big hegemonic agents of this process. SO, the sugar cane geographic configuration existing in alagoano territory was restructured and the circuit even more pass to constitute movement of many scales, subsidized by cooperation circles. However, this configuration showed itself subservient to world commerce, what conditions the adoption of hegemonic practices that are far from the local projects and living practices. The verticality imposed offers a configuration that isn’t peculiar, that only serves to answer to the big hegemonic agent commands, characterizing the continuity of the present capitalism process. It means that the sugar cane factories use corporately the territory as resource to obtain more lucrativity and this way dominate the bigger quantity of consumer commerce
metadata.dc.description.resumo: A produção sucroalcooleira consiste na principal atividade produtiva do estado de Alagoas, abrigando uma estrutura composta por 25 unidades de produção que representa a base econômica de mais da metade dos seus municípios, se constituindo no maior produtor do setor sucroalcooleiro do Norte-Nordeste, exportando seus produtos para países de diferentes continentes. Nesse sentido, buscou-se no presente trabalho, compreender a configuração do circuito espacial de produção sucroalcooleira em Alagoas a partir do uso do território, analisado à luz dos eventos mais significativos relacionados ao setor e, ainda, o conjunto de normas estabelecidas pelo Estado, através de órgãos, a exemplo do Instituto do Açúcar e Álcool (IAA), e de programas como o Programa Nacional do Álcool (Proálcool), dentre outros, que possuíam a função de estruturar e carrear recursos para o setor sucroalcooleiro. Observou-se que os investimentos realizados proporcionaram uma renovação das técnicas abrigadas no arcabouço produtivo sucroalcooleiro. Inicialmente, com a substituição dos engenhos pelas usinas e, posteriormente, o aperfeiçoamento do processo agrícola e fabril com maior aproveitamento dos subprodutos, além da integração produtiva das instâncias, especialmente com a produção de açúcar, álcool e geração de energia, intensificando uma maior participação do estado na divisão internacional do trabalho, conferindo-lhe uma estrutura organizacional segmentada pelos grandes agentes hegemônicos desse processo. Dessa forma, a configuração geográfica sucroalcooleira até então existente no território alagoano, foi reestruturada e o circuito, cada vez mais, passa a constituir movimentos multiescalares, subsidiados pelos círculos de cooperação. Contudo, tal configuração demonstrou-se subserviente ao mercado mundial, o que cada vez mais condiciona a adoção de práticas hegemônicas que se distanciam das vivências e projetos locais. A verticalidade imposta disponibiliza uma configuração que não lhe é peculiar, que apenas serve para responder aos comandos dos grandes agentes hegemônicos, caracterizando a continuidade do processo capitalista vigente. Ou seja, as empresas sucroalcooleiras usam corporativamente o território como recurso para obter mais lucratividade e assim dominar o maior número de mercados consumidores
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19696
Aparece nas coleções:PPGe - Mestrado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DenisCarlosDaSilva_DISSERT.pdf7,7 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.