Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19781
Título: Situações geográficas em movimento nas praias da área de proteção ambiental de Jenipabu: das ideologias ambientais ao território usado pelo circuito inferior do turismo
Autor(es): Almada, José Alexandre Berto de
Palavras-chave: APAJ;Território usado;Circuitos da economia urbana;Situação geográfica;Totalidade em movimento
Data do documento: 13-Mar-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: ALMADA, José Alexandre Berto de. Situações geográficas em movimento nas praias da área de proteção ambiental de Jenipabu: das ideologias ambientais ao território usado pelo circuito inferior do turismo. 2015. 175f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: The Área de Proteção Ambiental de Jenipabu was created by Decreto 12,620/95, covering the beaches of Redinha Nova, Santa Rita and Jenipabu and Campina communities in the municipality of Extremoz, and Africa community fragment, in Natal. This protected area was created in the context of expansion of tourism in Rio Grande do Norte, in the 1990s, in which PRODETUR investments made possible the installation of infrastructure equipment, mainly in the Via Costeira and Ponta Negra beach in Natal by inserting it in the sun and sea tourism route to Northeast Brazil. In this context the beach Jenipabu in Extremoz, became one of the main attractions for those visiting Natal, due to the natural elements of its landscape, its dune field, which is offered to tourists the buggy ride. In December 1994 the excess buggy rides held in these dunes led to IBAMA ban their access to buggy for carrying out environmental study. This measure resulted in the creation of APAJ in 1995 with the goal of ordering the use and occupation to protect its ecosystems, especially the dunes, the disordered tourism. Given this context, this work aims to analyze the process of creating the APAJ and changes in the geographic space of its beaches, Redinha Nova, Santa Rita and Jenipabu, from the materialization of tourism process, as well as their implications for its residents. To this end, this paper presents a discussion of environmental currents that developed in the western portion of the globe, focusing on the need to regulate small areas of the national territory in protected areas, and an analysis of public policies that enabled the implementation tourism in APAJ as well as the laws and decrees governing the process of creation and management. Using the theory of circuits of urban economy of the Santos (2008) to analyze the territory used by tourism on the beaches of Redinha Nova, Santa Rita and Jenipabu, showing their dependent relationship with the territory used by the upper circuit on the Via Costeira and in the Ponta Negra beach and its influence on the APAJ urbanization process. Ending with the analysis of the influence of the materialization of tourism in the transformation of stocks ways of being-in-space and space-be of the Santa Rita and Jenipabu beaches in each geographical situation of APAJ among the first decades of the twentieth century to the 2014. Fieldwork was conducted between 2012 and 2014, performing actions of qualitative interviews with older residents of Santa Rita and Jenipabu beaches, interviews with structured questionnaire with merchants of APAJ and collecting GPS points trades, identifying and mapping the territory used by the lower circuit in APAJ beaches.
metadata.dc.description.resumo: A Área de Proteção Ambiental de Jenipabu foi criada pelo Decreto nº 12.620/95, abrangendo as praias de Redinha Nova, Santa Rita e Jenipabu e as comunidades de Campina, no município de Extremoz, e um fragmento da comunidade da África, no município de Natal. Essa unidade de conservação foi criada no contexto de expansão da atividade turística no Rio Grande do Norte, na década de 1990, no qual os investimentos do PRODETUR possibilitaram a instalação de equipamentos infraestruturais, principalmente, na Via Costeira e na Praia de Ponta Negra, em Natal, inserindo-a na rota do turismo de sol a mar do Nordeste brasileiro. Nesse contexto, a praia de Jenipabu, em Extremoz, tornou-se um dos principais pontos turísticos para quem visita o município de Natal, em virtude dos elementos naturais de sua paisagem, o seu campo dunar, onde é oferecido aos turistas o passeio de buggy. Em dezembro de 1994, o excesso de passeios de buggy realizado nessas dunas levou o IBAMA a interditar o seu acesso aos bugueiros para realização de estudo ambiental. Essa medida resultou na criação da APAJ, em 1995, com o objetivo de ordenar o uso e ocupação do solo para proteger os seus ecossistemas, sobretudo o das dunas, da atividade turística desordenada. Tendo em vista esse contexto, esta dissertação tem como objetivo analisar o processo de criação da APAJ e as transformações no espaço geográfico de suas praias, Redinha Nova, Santa Rita e Jenipabu, a partir do processo de materialização da atividade turística, bem como suas implicações para os seus moradores. Para esse fim, este trabalho traz uma discussão sobre as correntes ambientalistas que desenvolveram-se na porção ocidental do globo terrestre, com enfoque na necessidade de normatizar pequenas áreas do território nacional em unidades de conservação, e uma análise das políticas públicas que possibilitaram a implementação do turismo na APAJ, bem como as leis e os decretos que regem o seu processo de criação e gestão. Utilizando-se da teoria dos circuitos da economia urbana de Santos (2008), para analisar o território usado pelo turismo nas praias da Redinha Nova, Santa Rita e Jenipabu, evidenciando a sua relação de dependência com o território usado pelo circuito superior na Via Costeira e na Praia de Ponta Negra e a sua influência no processo de urbanização da APAJ. Finaliza-se com a análise da influência da materialização do turismo nas transformações das formas existenciais de ser-no-espaço e de ser-do-espaço das praias de Santa Rita e Jenipabu em cada situação geográfica da APAJ entre as primeiras décadas do século XX até o ano de 2014. O trabalho de campo foi realizado entre os anos de 2012 e 2014, por meio de ações de entrevistas qualitativas com os moradores mais antigos das praias de Santa Rita e Jenipabu, entrevistas com questionário estruturado com os comerciantes da APAJ e coleta de pontos GPS do comércios, identificando e mapeando o território usado pelo circuito inferior nas praias de APAJ.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19781
Aparece nas coleções:PPGe - Mestrado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoseAlexandreBertoDeAlmada_DISSERT.pdf5,32 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.