Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19866
Título: Todo nordeste que couber a gente publica: o The New York Times e as representações do nordeste brasileiro na era da política da boa vizinhança (1933-1945)
Autor(es): Saraiva, João Gilberto Neves
Palavras-chave: Nordeste do Brasil;The New York Times;Representações espaciais
Data do documento: 10-Abr-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SARAIVA, João Gilberto Neves. Todo nordeste que couber a gente publica: o The New York Times e as representações do nordeste brasileiro na era da política da boa vizinhança (1933-1945). 2015. 143f. Dissertação (Mestrado em História) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: The Brazilian Northeast has been a constant subject for journalists of one of the world's leading media companies - The New York Times - between 1933 and 1945. This time, the US government implemented a new foreign policy for Latin America - known as the Good Neighbor Policy. It preached, various points including more respect and attention to the countries south of U.S. borders. Because of her geostrategic importance, Brazil was one of the countries that received the most attention of the bureaucracy and American press. This study investigates the multiple Northeast representations formulated in The New York Times' pages when the Americans were spotlight is on the region. It delineates similarities and differences between the NYT, the press and the governments of the United States and Brazil from the ways of conceiving this particular part of Brazil. Through the analysis of texts, photographs and maps, it is dedicated to establish connections between spaces, press and politics of the 1930s and 1940s. These decades there were relevant changes in the political landscape of both countries that permeated the news, reports and articles of NYT. Circumstances such as the 1935 armed uprisings - known as Communist Conspiracy - the installation and operation of the New State, and especially the Brazilian and US participation in World War II and the bilateral negotiations on the installation of US bases in Brazil were cardinal for the various Northeast images that circulated in the publication. The region was repeatedly subject of correspondent of the New York newspaper in Brazil, Frank M. Garcia, but also present on matters of professionals responsible for various sections: review of books, publishing, tourism, foreign affairs, etc. Along the investigated period, the visions of the region made in the articles published in the newspaper that suffered major metamorphoses. Starting with Northeast of the drought, famine and death recurrent in Brazilian literature to the most dangerous point for hemispheric defense, passing through representations of the American West lawless nineteenth century and the Latin America marked by the dominance of exotic nature and stagnation, a space to be transformed by the US technical knowledge.
metadata.dc.description.resumo: O Nordeste brasileiro foi um tema constante para os jornalistas de um dos principais veículos de imprensa do mundo – o The New York Times – entre 1933 e 1945. Nesse recorte, o governo dos Estados Unidos implementou uma nova política externa para a América Latina – conhecida como Política de Boa Vizinhança. Ela pregava, entre outros pontos, mais respeito e atenção para os países ao sul das suas fronteiras. Dada sua importância geoestratégica, o Brasil foi um dos países que mais recebeu atenção do corpo burocrático e imprensa estadunidense. Esta pesquisa investiga as múltiplas representações do Nordeste formuladas nas páginas do diário nova-iorquino nesse momento em que os holofotes estadunidenses estiveram sobre a região. Este trabalho delineia aproximações e distanciamentos entre o NYT, a imprensa e os governos dos Estados Unidos e do Brasil a partir das formas de se conceber essa parte específica do seu território brasileiro. Por meio da análise de textos, fotografias e mapas, essa dissertação se dedica a estabelecer conexões entre espaços, jornais e política dos anos 1930 e 1940. Nessas décadas houveram relevantes transformações no cenário político de ambos os países que permearam as notícias, reportagens e artigos do jornal. Conjunturas como as insurreições armadas de 1935 – conhecidas como Intentona Comunista -, a instalação e funcionamento do Estado Novo, e especialmente, a participação brasileira e norte-americana na Segunda Guerra e as negociações bilaterais em torno da instalação de bases estadunidenses no Brasil foram cardeais para as distintas imagens do Nordeste que circularam na publicação. A região foi reiteradamente tema do correspondente do diário nova-iorquino no Brasil, Frank M. Garcia, mas também esteve presente nas matérias de profissionais responsáveis por seções variadas: resenha de livros, editorial, turismo, assuntos exteriores, etc. Ao longo do recorte temporal investigado, as visões da região formuladas nas matérias publicadas no jornal sofreram metamorfoses profundas que também foram identificadas e analisadas. Do Nordeste da estiagem, fome e morte recorrente na literatura brasileira de então a ponto mais perigoso para a defesa hemisférica, passando com representações do Oeste norte-americano sem lei do século XIX e as da América Latina demarcada pelo domínio da natureza exótica e da estagnação, um espaço para ser transformado pelo conhecimento técnico norte-americano.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19866
Aparece nas coleções:PPGH - Mestrado em História

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoaoGilbertoNevesSaraiva_DISSERT.pdf8,43 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.