Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19945
Título: Análise estratigráfica de subsuperfície do Devoniano Inferior da Bacia do Rio do Peixe, Nordeste do Brasil
Autor(es): Silva, José Gedson Fernandes da
Palavras-chave: Litoestratigrafia;Tectonossequência devoniana inferior;Formação Pilões;Formação Triunfo;Grupo Santa Helena;Província Borborema
Data do documento: 25-Jul-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, José Gedson Fernandes da. Análise estratigráfica de subsuperfície do Devoniano Inferior da Bacia do Rio do Peixe, Nordeste do Brasil. 2014. 189f. Dissertação (Mestrado em Geodinâmica e Geofísica) - Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Subsurface stratigraphic analysis of Devonian strata from the Rio do Peixe Basin, newly recognized by palynological studies, has resulted in the identification of two new lithostratigraphic units assembled in the Santa Helena Group. The Pilões Formation, the lower unit, is composed mainly of dark mudstones and medium-tovery fine-grained sandstones, with minor conglomerates and breccias. The Triunfo Formation, the upper unit, comprises whitish grey, kaolinitic, coarse-grained to conglomeratic, cross stratified sandstones and conglomerates, with interbedded mudstones and fine-grained sandstones. These units were characterized using cores, sidewall and cuttings samples, conventional logs and image log, from three wells drilled by PETROBRAS, and 3D seismic data. The Pilões Formation is interpreted as prodeltaic facies, with lesser associated subaqueous talus, debrite and sandy turbidite lobe facies, distal part of fandelta and braided fluviodeltaic facies of Triunfo Formation. The Santa Helena Group corresponds to the Lower Devonian tectono-sequence deposited in a NW-SE-trending graben during a transgressiveregressive cycle. With 343 meters of thickness (isochore) in well 1-PIL-1-PB (Pilões 1), this sequence has a non-conformity at the lower boundary and its upper boundary is an unconformity with the Lower Cretaceous tectono-sequence (Rio do Peixe Group), that represents a hiatus of about 265 million years. Ignimbrites and coignimbrite breccias (Poço da Jurema volcanic breccia), related to an unknown pyroclastic volcanic event, were recognized at the northern margin of the Sousa halfgraben. Evidence from well data suggests that this event is coeval with the Devonian graben filling. The present study indicates a polyhistorical tectono-volcanosedimentary evolution of the basin. This lithostratigraphic update brings new perspectives for geological research in the Rio do Peixe Basin, as well as in other inland basins of the Northeastern of Brazil. The results of the research also contribute to the kwnoledge of the Borborema Province and western Gondwana paleogeography during the Early Devonian.
metadata.dc.description.resumo: A análise estratigráfica de subsuperfície de estratos devonianos da Bacia do Rio do Peixe, recém-datados por palinologia, resultou na classificação de duas novas unidades litoestratigráficas reunidas no Grupo Santa Helena. A Formação Pilões (unidade inferior), na qual predominam pelitos escuros e arenitos médios a muito finos, associados a conglomerados e brechas. A Formação Triunfo (unidade superior) composta por arenitos cinza-esbranquiçados, grossos a conglomeráticos, caulínicos, com estratificações cruzadas, conglomerados, pelitos e arenitos finos intercalados. Estas unidades foram caracterizadas com o apoio de testemunhos, amostras laterais e de calha, perfis geofísicos convencionais e de imagem, de três poços perfurados pela PETROBRAS, e sísmica 3D. Na Formação Pilões predominam fácies prodeltaicas, com fácies de tálus e debritos subaquosos e de lobos turbidíticos arenosos intercalados, na parte distal de sistemas de leques deltaicos e fácies de barras do sistema fluviodeltaico entrelaçado (braided) da Formação Triunfo. O Grupo Santa Helena corresponde à tectonossequência devoniana inferior, cuja espessura máxima conhecida é de 343 metros (isócora) no poço 1-PIL-1-PB (Pilões nº1), depositada durante um ciclo transgressivo-regressivo em um graben, com eixo deposicional controlado por um segmento NO-SE da Zona de Cisalhamento Patos. O limite inferior desta tectonossequência é não-conforme e o superior é discordante com a tectonossequência cretácea inferior (Grupo Rio do Peixe), com um hiato de aproximadamente 265 milhões de anos. Ignimbritos e brechas coignimbríticas (brecha vulcânica Poço da Jurema), relacionadas a um evento vulcânico piroclástico ainda desconhecido, foram reconhecidas na margem norte do Semigraben de Sousa. Há evidência, a partir de dados de subsuperfície, de que este evento é contemporâneo ao preeenchimento do graben devoniano. Os resultados deste estudo indicam que a evolução tectonovulcanossedimentar da bacia é poli-histórica. Esta atualização litoestratigráfica abre novas perspectivas de pesquisas geológicas na Bacia do Rio do Peixe e em outras bacias interiores do Nordeste do Brasil. Os resultados da pesquisa também contribuem para o melhor conhecimento da evolução da Província Borborema e da paleogeografia do Gonduana ocidental durante o Eodevoniano.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19945
Aparece nas coleções:PPGG - Mestrado em Geodinâmica e Geofísica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoseGedsonFernandesDaSilva_DISSERT.pdf26,36 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.