Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19967
Title: O papel dos quintais urbanos na segurança alimentar, bem estar e conservação da biodiversidade
Other Titles: The role of urban homegardens in food security, well-being and conservation of biodiversity
Authors: Bezerra, Jéssica de Paiva
Keywords: Espaços verdes urbanos;Agroecologia;Diversidade vegetal;Índices de bem estar;Agricultura urbana
Issue Date: 2-Jun-2014
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: BEZERRA, Jéssica de Paiva. O papel dos quintais urbanos na segurança alimentar, bem estar e conservação da biodiversidade. 2014. 87f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Portuguese Abstract: Os quintais residenciais, exercem papéis ambientais e sociais no ambiente urbano. Estes espaços verdes podem minimizar potencialmente os impactos causados pelo crescimento das cidades, por ser uma alternativa para conectar áreas fragmentadas ou oferecer refúgios à vida silvestre e assim apoiar a conservação da biodiversidade. Além disso, os quintais demonstram um papel destacado no aumento do bem estar humano, devido às possibilidades de socialização, contato com a natureza, cultura local e melhoria da segurança alimentar que estes ambientes permitem às famílias urbanas e rurais. Apesar disso, ainda não está claro quais características específicas dos quintais podem atuar de maneira efetiva na conservação da biodiversidade, bem como na construção da segurança alimentar e do bem estar dos mantenedores de quintais e de suas famílias. O primeiro capítulo desta dissertação analisou a diversidade de espécies de plantas (nativas e exóticas) e avaliou a contribuição de diferentes tipos de quintais urbanos (ornamentais e agroflorestais) na presença de vida selvagem, como aves, micos e lagartos. Já o segundo capítulo avaliou a contribuição desses mesmos quintais para o bem estar e segurança alimentar dos seus proprietários. Para isso, 41 quintais foram visitados em Pium, localidade do litoral sul do nordeste do Brasil, uma região periurbana em fase de rápida expansão urbana e pressão imobiliária. Realizou-se um levantamento de toda a biodiversidade planejada, bem como da fauna associada aos quintais. Os dados referentes à segurança alimentar e bem estar foram captados através de uma entrevista aplicada aos mantenedores dos quintais. Estas entrevistas abordaram questões sobre o aporte de alimentos proveniente do quintal e a ausência de insumos químicos, além de aspectos do indicador FIB (Felicidade Interna Bruta). Os resultados mostraram que estes quintais em geral contribuem pouco para a manutenção de espécies de plantas nativas (nativas locais = 29 espécies do total = 187). A partir de suas principais características, os quintais foram classificados em ornamentais, agroflorestais e agroflorestais alimentares, esses grupos apresentaram diferentes efeitos sobre a presença dos animais estudados e os dois últimos contém a maioria das espécies nativas amostradas. A diversidade de plantas e de árvores foi um bom preditor para a presença de pássaros e micos. Assim, a contribuição dos quintais para a conservação da biodiversidade depende do tipo de quintal, alguns inclusive, podem exercer efeitos negativos sobre a conservação. Esses resultados podem direcionar 10 novas abordagens para a compreensão detalhada dos quintais e também políticas públicas aplicadas ao planejamento urbano. Os resultados do segundo capítulo demonstraram que os dois tipos de quintais agroflorestais contribuíram com a segurança alimentar das famílias, por fornecer alimentos e ervas medicinais, que em sua maioria, não possuíam pesticidas e fertilizantes químicos. Mas os três grupos de quintais são importantes componentes para o bem estar de seus mantenedores, pois além de ajudarem na transmissão do conhecimento sobre agricultura, favorecem a socialização, o contato com a natureza e trazem à tona sentimentos relacionados à paz e harmonia. Dessa forma, os quintais agroflorestais podem ser considerados como importantes meios para projetos e políticas públicas que visem favorecer a biodiversidade, bem como promover a segurança alimentar e o bem estar em áreas urbanas.
Abstract: Residential homegardens have environmental and social roles in the urban environment. These green spaces can potentially minimize the impacts caused by the growth of cities, being an alternative to connect fragmented areas or offer refuge to wildlife and therefore support the conservation of biodiversity. In addition, the homegardens demonstrate a leading role in increasing human well-being by promoting socialization opportunities, contact with nature, local culture as well as improvements in food security for the urban families. Nevertheless, it is still unclear what specific characteristics of homegardens can act effectively in the conservation of the biodiversity, as well as in the construction of food security and well being of the homegardeners and their families. The first chapter of this thesis analyzed the diversity of plant species (native and exotic) and assessed the contribution of different types of urban gardens (ornamental and forest gardens alike) in the presence of wildlife such as birds, monkeys and lizards. In the second chapter we evaluated the contribution of those gardens to the welfare and food security of their owners. In order to do this, 41 gardens were visited in Pium, a southern coastal town in the northeastern Brazil, which also happens to be in a periurban region undergoing rapid urban expansion and pressure from the real estate market. We surveyed the planned biodiversity and fauna associated with homegardens. The data related to food security and welfare were sampled through interviews with the person in charge of taking care of the gardens. These interviews covered issues on the supply of food from the garden and absence of chemical products, as well as aspects of the GNH indicator (Gross National Happiness). The results showed that these homegardens generally contribute little to the maintenance of native plant species (native species = 29/ total = 187). From its main features, the gardens were classified as ornamental, forest gardens and forest farms. These groups had a different effect on the presence of the animals studied and the last two contained most of the sampled native species. The diversity of plants and trees was a good predictor of the presence of birds and monkeys. Thus, the contribution of yards for the conservation of biodiversity depends on the type of garden: some even can have negative effects on conservation. These results can direct new approaches to detailed understanding of gardens and also of public policies applied to urban planning. The results of the second chapter showed that the two types of forest gardens contributed to household food security, for providing food and medicinal herbs, which mostly did not have pesticides and chemical 12 fertilizers. But the three groups of gardens are important components for the well being of their stakeholders. Gardens help promote the transmission of knowledge on agriculture, socialization, contact with nature and bring up feelings related to peace and harmony. Thus, forest gardens can be considered important means to get through public projects and policies designed to encourage biodiversity and promote food security and well-being in urban areas
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19967
Appears in Collections:PRODEMA - Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JessicaDePaivaBezerra_DISSERT.pdf2,51 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.