Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/19970
Título: Gustavo Barroso, o führer brasileiro: nação e identidade no discurso integralista barrosiano de 1933-1937
Autor(es): Dantas, Elynaldo Gonçalves
Palavras-chave: Gustavo Barroso;Integralismo;Espaço nacional;Antissemitismo
Data do documento: 5-Set-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: DANTAS, Elynaldo Gonçalves. Gustavo Barroso, o führer brasileiro: nação e identidade no discurso integralista barrosiano de 1933-1937. 2014. 154f. Dissertação (Mestrado em História) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: The purpose of this paper is to analyze how Gustavo Barroso sought to discursively construct what would be the Brazilian spatiality through an Interpretation of national history marked by the Jewish conspiracy theory, a racist doctrine in various aspects dialogued with Nazi doctrine, and the thought the Catholic Restoration. Writing that built a given image of the nation. Writing and producing product that is the source of other discourses that operate on the world, appointing him, enveloping him in a load of meanings. Interpretations of time and space that discursively construct realities and ways of being in the world. For the development of this work we will focus mainly on the analysis of the literature of the period integralist Gustavo Barroso since the year 1933 until the year 1937, as well as undertake an analysis of the Cohen Plan, which we understood to be the heir of a grid of thought that falls in line with the theories of political and racial anti-Semitic plot. Thus, we assume that it is necessary to think of the space also in their political and cultural dimensions, and with an barrosiana significance of national space, expressed in the discursive field, the result of a given historical moment and engaged with certain power relations, which unfold through complex relationships, we understand that Barroso made the reading of the Brazilian nation would be its own representation.
metadata.dc.description.resumo: O propósito desta dissertação é buscar discernir as circunstâncias e os pressupostos a partir dos quais, Gustavo Barroso, no período em que integrou o movimento integralista, buscou construir, discursivamente, uma ideia da espacialidade brasileira. Nossa ideia é que essa construção se faz por meio de uma interpretação da história nacional marcada pela teoria da conspiração judaica e por uma doutrina racista que dialogava em vários aspectos com o Nazismo e com o pensamento da Restauração Católica, o qual Barroso busca se aproximar visando legitimar sua escrita, numa construção de uma identidade cristã-católica, que é também uma representação de si, como guia do processo de construção do Estado Integral, que seria o molde da nação. Escrita que construiu uma dada imagem da nação, escrita que é produto e fonte produtora de outros discursos que operam sobre mundo, construindo, assim, realidades diversas. Na elaboração desta dissertação, nos focaremos, principalmente, no exame dos escritos do período integralista de Gustavo Barroso, ou seja, desde 1933 até 1937, empreendemos também uma análise do Plano Cohen, por nós compreendido, enquanto herdeiro da construção de Gustavo Barroso e devendo, ainda ser considerado na linha das teorias do complô político-racial antissemita e totalitário. Analisamos, assim, o discurso barrosiano sobre a nação, gestado ao longo da década de 1930, que o caracterizou como o Führer brasileiro.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/19970
Aparece nas coleções:PPGH - Mestrado em História

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ElynaldoGoncalvesDantas_DISSERT.pdf1,69 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.