Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20045
Título: Pressão de sono e perfil acadêmico de estudante de medicina do 1º período da UFRN
Autor(es): Kolodiuk, Fernanda Fernandes
Palavras-chave: Privação de sono;Jet lag social;Desempenho acadêmico
Data do documento: 19-Mai-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: KOLODIUK, Fernanda Fernandes. Pressão de sono e perfil acadêmico de estudante de medicina do 1º período da UFRN. 2015. 106f. Dissertação (Mestrado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Academic demands, new social context, new routines and decrease of the parental control, are factors that may influence the sleep pattern of freshman students at the University. Medical students from the Federal University of Rio Grande do Norte (UFRN) have a full-time course, subjects with high-level content, and, at the first semester, classes begin at 7 a.m. This group composed by young adults who still suffering with delayed sleep phase, common in adolescence, indicating that this class schedule can be inappropriate at this age. The reduction of nocturnal sleep during school days, and the attempt to recover sleep on free days – social jet lag (JLS), suggests that in the first semester, students suffer from high sleep pressure. High sleep pressure may reflect on cognitive tasks and performance. Therefore, the aim of this study was to investigate the relationship between sleep pressure and the academic profile of medical students from the first semester of UFRN, characterizing this population socio-demographically and investigating possible impacts on therestactivity rhytm and academic performance. A sample of 88 students, healthy men and women awswered the following questionnaires: Pittsburgh Sleep Quality (PSQI), Epworth Sleepiness Scale (ESS), Horne & Ostberg Chronotype (HO), Munich Chronotype (MCTQ) and “Health and Sleep” adapted. Actigraphy was used during 14 days to make actogramas and obtain non-parametric variables of the rest-activity rhythm and the grades of the morning schedule were used as academic performance. The JLS was used as a measure of sleep pressure. Statistics significance level was 95%. The population was sociodemographic homogeneous. Most students have healthy lifestyle, practice physical activity, use car to go to the university and take between 15 and 30 minutes for this route. Regarding CSV, most were classify as intermediate (38.6%) and evening (32%) chronotypes, needs to nap during the week, suffer daytime sleepiness and have poor sleep quality. 83% of the sample has at least 1h JLS, which led us to divide into two groups: Group <2h JLS (N = 44) and Group ≥ 2h JLS (N = 44). The groups have differences only in chronotype, showing that most evening individuals have more JLS, however, no differences were found in relation to sociodemographic aspect, rest-activity rhythm or academic performance. The homogeneity of the sample was limited to compare the groups, however, is alarming that students already present in the first half: JLG, poor sleep quality and excessive daytime sleepiness, which can be accentuated through the university years, with the emergence of night shifts and increased academic demand. Interventionsaddressingthe importance of good sleep habits and the change of the class start time are strategies aimed to improve student’s health.
metadata.dc.description.resumo: Demanda acadêmica, novo contexto social, novas rotinas e diminuição do controle dos pais são fatores que podem influenciar o padrão de sono de estudantes que ingressam na universidade. Os discentes de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) apresentam elevada carga horária, conteúdo denso nas disciplinas, as aulas do 1o semestre começam às 7 horas da manhã e sua população é formada por adultos jovens, que ainda sofrem com o atraso de fase de sono comum na adolescência, o que indica que o horário de aula pode ser inadequado nesta faixa etária. A redução do sono noturno durante os dias de aula e a tentativa de recuperação do sono perdido nos dias livres – Jet lag social (JLS), sugere que já no primeiro semestre os estudantes sofrem com pressão do sono, o que pode refletir negativamente em tarefas cognitivas e no desempenho acadêmico. Portanto, o objetivo deste trabalho é avaliar a relação entre a pressão do sono e o perfil acadêmico de estudantes de Medicina do primeiro semestre da UFRN, caracterizando sociodemograficamente esta população e investigando possíveis reflexos no ritmo de atividade-repouso e no desempenho acadêmico. Participaram desta pesquisa 88 estudantes, saudáveis de ambos os sexos, que respoderam aos seguintes questionários: Qualidade de Sono de Pittsburgh (IQSP), Escala de Sonolência de Epworth (ESE), Cronotipo Horne & Ostberg (HO), Cronotipo Munique (MCTQ) e “A Saúde e o Sono”, adaptado. Actimetria foi utilizada em 14 dias para elaboração de actogramas e obtenção de variáveis não paramétricas do ritmo de atividade-repouso. A nota da disciplina Módulos Biológicos I foi utilizada como desempenho acadêmico. O JLS foi utilizado como medida de pressão do sono e o nível de significância estatística foi 95%. A população é homogênea em relação aos aspectos sociodemográficos e a maioria tem estilo de vida saudável, pratica atividade física, locomove-se até a universidade em carro e leva entre 15 e 30 minutos para realizar tal percurso. Em relação ao CSV, grande parte apresentou cronotipo intermediário e vespertino, necessita cochilar durante a semana, sofre sonolência diurna e apresenta má qualidade de sono. 83% da amostra tem ao menos 1h de JLS, o que nos levou à divisão em dois grupos: Grupo < 2h JLS (N=44) e Grupo ≥ 2h JLS (N=44). Os grupos diferiram apenas no cronotipo, demonstrando que indivíduos mais vespertinos apresentam mais JLS. Entretanto, não encontramos diferenças em relação aos aspectos sociodemográficos, ritmo de atividade-repouso ou desempenho acadêmico. A homogeneidade da amostra possivelmente dificultou a comparação entre os grupos, todavia, é alarmante que os estudantes já apresentem, no primeiro semestre: JLG, qualidade de sono ruim e sonolência diurna excessiva, os quais podem acentuar-se no decorrer do curso, com o início de plantões noturnos e o aumento da carga horária. Abordar a importância de bons hábitos de sono e a mudança no horário de início da aula são estratégias que visam à melhoria na saúde dos estudantes.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20045
Aparece nas coleções:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FernandaFernandesKolodiuk_DISSERT.pdf11,45 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.