Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20208
Título: Percepção da equipe de saúde, discentes e usuários sobre a comunicação com indivíduos surdos na atenção primária
Título(s) alternativo(s): Health team perception, students and users of communication with individuals with hearing impairment in primary care
Autor(es): Santos, Paulo Roberto de Andrade
Palavras-chave: Comunicação;Atenção primária à saúde;Surdez
Data do documento: 27-Abr-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SANTOS, Paulo Roberto de Andrade. Percepção da equipe de saúde, discentes e usuários sobre a comunicação com indivíduos surdos na atenção primária. 2015. 50f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino na Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: The study aimed to identify in the professionals and students of health courses that work in a health Basic Unit in the city of Natal/RN their perceptions of the care of deaf patients, and with the population's needs with hearing loss in relation to health care. This is a cross-sectional, exploratory, descriptive study, conducted between April to July 2014, with a population composed of 21 health professionals, 17 students and 8 deaf users. For data collection, we used a structured questionnaire with open and closed questions applied to groups composed of health professionals (doctors, dentists, nurses and health workers) and students of medical schools, nursing, physical education, nutrition and social service. The professionals/students answered a semi-structured questionnaire with open and closed questions concerning the possible difficulties the care of the deaf and hearing impaired. Data collection with deaf users was conducted through filmed interview for the Brazilian Sign Language (Libras) could be interpreted as to the Portuguese by the researcher. With the latter it was conducted a survey of their reactions when looking for a care in the health service. Regarding the profile of identification of the subjects, it was analyzed by simple descriptive statistics (absolute and relative frequencies). The open questions were analyzed through the content analysis technique which allowed the categorization process preserving all the points raised in the discussion so that the lines were representative of the whole. When asked about the professionals and students attitude used to communicate with deaf patients possible the following categories emerged: the "writing", the "gestures" and the "third party assistance". With regard of the deaf, when asked about their experiences in seeking care in health, the elucidated categories were: "quality of care to the hearing impaired", "communication with the hearing impaired adequacy" and "dependence on third parties." The closed questions were measured and adapted to the 5 degrees of variation Likert Scale, which comprised three of these issues: degree of difficulty in communication to meet a patient with hearing loss (minimum to great difficulty); feeling of comfort while using sign language (minimum to severe discomfort); and knowledge of the Law 10.436, which provides for the Brazilian Sign Language (Libras) (low knowledge to entirely clear). The data collected with professionals and students revealed some misunderstanding and discomfort in health care for deaf patients, reality also evidenced in the opinion of the deaf participants. This study revealed problems in communication, resulting in negative consequences in serving this population. This diagnosis may be relevant to public policy development and curriculum guidelines essential to the training of health professionals, inclusion and improving assistance to deaf.
metadata.dc.description.resumo: O estudo teve como objetivo identificar a percepção dos profissionais e estudantes dos cursos da área da saúde, que atuam em uma Unidade Básica de Saúde na cidade do Natal/RN, frente ao atendimento de pacientes surdos, bem com, identificar as necessidades da população com surdez em relação à assistência à saúde. Trata-se de um estudo transversal, exploratório, descritivo, realizado no período de abril a julho de 2014, com uma população composta por 21 profissionais de saúde, 17 estudantes e oito usuários surdos. Para o levantamento dos dados foi utilizado um questionário estruturado composto por questões abertas e fechadas, aplicado aos grupos formados por profissionais da saúde, médico, dentista, enfermeiro e agentes de saúde, e estudantes dos cursos de medicina, enfermagem, educação física, nutrição e serviço social. Os profissionais/estudantes responderam ao questionário acera das possíveis dificuldades enfrentadas no atendimento ao surdo. A coleta de dados com os usuários surdos foi realizada através de comando dado em Língua brasileira de Sinais (Libras), sendo a entrevista filmada para que a Libras pudesse ser interpretada para o português, pelo pesquisador. Com os surdos foi realizado um levantamento de suas reações ao procurar um atendimento no serviço de saúde. A análise dos resultados se deu a partir da estatística descritiva simples (frequências absolutas e relativas). As questões abertas foram analisadas através da técnica de temática categorial, a qual permitiu o processo de categorização preservando todos os aspectos levantados na discussão, de forma que as falas foram representativas da totalidade. A partir da analise das entrevistas com os profissionais e estudantes no que se refere à atitude utilizada para se comunicar com possíveis pacientes surdos emergiram as seguintes categorias: a “escrita”, os “gestos” e o “auxílio a terceiros”. Já os surdos quando questionados sobre suas experiências ao buscar atendimento em saúde, as categorias elucidadas foram: “assistência ao surdo”, “comunicação com o surdo” e “dependência de terceiros”. As questões fechadas foram mensuradas e adaptadas a Escala de Likert em 5 graus de variação, que compuseram três destas questões: grau de dificuldade na comunicação ao atender um paciente com déficit auditivo (mínima a grande dificuldade); sentimento de conforto para utilizar a língua de sinais (mínimo a grande desconforto); e conhecimento sobre a Lei 10.436, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) (baixo conhecimento a totalmente esclarecido). Os dados coletados com os profissionais e estudantes revelaram certo desconhecimento e desconforto no atendimento em saúde aos pacientes surdos, realidade também evidenciada na opinião dos surdos participantes. Este estudo permitiu identificar problemas na comunicação, resultando em consequências negativas no atendimento a essa população. Este diagnóstico poderá ser relevante para elaboração de políticas públicas e diretrizes curriculares essenciais à formação dos profissionais da saúde, inclusão e melhoria da assistência aos surdos.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20208
Aparece nas coleções:MPEENSA - Mestrado Profissional em Ensino na Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PauloRobertoDeAndradeSantos_DISSERT.pdf1,72 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.