Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20267
Título: Quando a indisciplina escolar é um sintoma? articulações psicanalíticas
Autor(es): Silva, Giscely Costa Medeiros da
Palavras-chave: Psicanálise;Sintoma;Disciplina escolar;Educação;Método teórico-clínico
Data do documento: 30-Mar-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Giscely Costa Medeiros da. Quando a indisciplina escolar é um sintoma? articulações psicanalíticas. 2015. 143f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: From a clinical case reporting a severe “ scholarship indiscipline”, this work questioned how the indiscipline can be a symptom . To answer the question, it was analyzed the symptom concept from the Freudian - lacaneana perspective and theirs connections with “ scholarship indiscipline” subject . The research used a theoretical and clinical method , to show the connection between the case development and the psychoanalytic publications reviewing questions on the subject . It was undertook a historical analysis of the construction of disciplinary mechanism through the works of Foucault (1987, 1996), Deleuze (1988; 1992) and commentators. This historical analysis showed a dated and unnatural character of this discursive production named “ scholarship indiscipline”, revealing the indiscipline complaint comes from a social speech that imposes the idea that learn ing depends on the discipline. However , this idea type has a flaw , because always something escapes disciplining . The social answer to the escape is the complaint of indiscipline, which can be taken as a social symptom . Each child should find an answer to this speech and define the symptomatic character , or not , from itself . It was evaluated the symptom and its consequences in the clinic with the child in the Freud and Lacan teachings . The Freud view showed the symptom is the answer to a psychic work , replacing a repressed representation linked to an unbearable sexual dis satisfaction , providing a solution for the child to deal with castration and with the imposed social restrictions . A review of Freud's work undertaken by Lacan emphasizes the psycholog ical work characteristics undertaken by the speaker with its symptom by the link with the social aspect. To analyze, in each case, the position occupied by the patient of a complaint against the indiscipline can open the way to work with it. If the discipl ine is the answer of the subject towards the Other social, from psychoanalysis it is offering a help that allows reframe this response. Elucidating the symptomatic character, or not, from attitudes considered undisciplined, calls for the analysis of unique ness involved in the response of each child, their subjectivity.
metadata.dc.description.resumo: A partir de um caso clínico cuja queixa era uma severa “indisciplina escolar”, este trabalho interrogou quando a indisciplina pode ser um sintoma. Para responder a questão analisamos o conceito de sintoma na perspectiva freudo-lacaneana, e suas articulações com o tema da “indisciplina escolar”. Utilizou-se o método teórico-clínico, no qual a construção do caso dialoga com os textos psicanalíticos reatualizando as questões sobre o tema. Empreendemos uma análise histórica da construção do mecanismo disciplinar através das obras de Foucault (1987; 1996), Deleuze (1988; 1992) e comentadores que apontou o caráter datado e não natural dessa produção discursiva nomeada “indisciplina escolar”, revelando que a queixa de indisciplina nasce de um discurso social que impõe a ideia de que o aprender depende da disciplina. No entanto, esse ideário possui uma fenda, pois algo sempre escapa ao disciplinamento. A resposta do social ao que escapa constitui a queixa de indisciplina, que pode ser tomada como um sintoma social. A cada criança cabe encontrar sua resposta frente a esse discurso, e a mesma define o caráter sintomático, ou não, da mesma. Percorremos o conceito de sintoma e seus desdobramentos na clínica com a criança nos ensinos de Freud e Lacan. A leitura de Freud mostrou que o sintoma é o resultado de um trabalho psíquico que substitui uma representação recalcada e ligada a uma satisfação sexual insuportável, constituindo uma solução para que a criança possa lidar com a castração e com as interdições impostas pelo social. A releitura da obra freudiana empreendida por Lacan coloca o assento no caráter de trabalho psíquico empreendido pelo falante com o seu sintoma, na medida em que lhe permite fazer laço com o social. Analisar, a cada caso, a posição ocupada pelo sujeito frente à queixa de indisciplina permite abrir as vias para o trabalho com a mesma. Se a indisciplina é a resposta do sujeito frente ao Outro social, a partir da psicanálise trata-se de ofertar uma escuta que permita resignificar essa resposta. Elucidar o caráter sintomático, ou não, das atitudes consideradas indisciplinadas convoca à análise da singularidade implicada na resposta de cada criança, a sua subjetividade.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20267
Aparece nas coleções:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GiscelyCostaMedeirosDaSilva_DISSERT.pdf1 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.