Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20301
Title: A influência da perda de peso no perfil inflamatório de mulheres com síndrome dos ovários policísticos
Authors: Santos, Ana Celly Souza dos
Keywords: Síndrome dos ovários policísticos;Inflamação;Resistência à insulina;Obesidade e perda de peso
Issue Date: 27-Mar-2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SANTOS, Ana Celly Souza dos. A influência da perda de peso no perfil inflamatório de mulheres com síndrome dos ovários policísticos. 2015. 23f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Portuguese Abstract: A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é considerada a endocrinopatia mais comum na fase reprodutiva da mulher, com prevalência que varia entre 15 a 20%. Além das alterações hormonais e reprodutivas, é comum na SOP a presença de fatores de risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares (DCV) como diabetes mellitus, resistência à insulina (RI), obesidade visceral, inflamação crônica de baixo grau e dislipidemia. Devido à elevada frequência da obesidade associada à SOP, a perda de peso é considerada como o tratamento de primeira linha para a síndrome por melhorar as alterações metabólicas e normalizar os andrógenos séricos, restaurando a função reprodutiva destas pacientes. Objetivos: avaliar os marcadores inflamatórios e a RI em mulheres com SOP e ovulatórias saudáveis com diferentes estados nutricionais e como os parâmetros inflamatórios e hormonais se apresentam após a perda de peso, através da restrição calórica nas portadoras da síndrome. Métodos: O fator de necrose tumoralalfa (TNF-α), a interleucina-6 (IL-6) e a proteína c-reativa (PCR) foram avaliados em amostras de soro de 40 mulheres em idade reprodutiva. Na primeira fase do estudo, as voluntárias foram divididas em quatro grupos: Grupo I (não eutróficas com SOP, n=12); Grupo II (não eutróficas sem SOP, n=10), Grupo III (eutróficas com SOP, n=08) e Grupo IV (eutróficas sem SOP, n=10). A categorização dos grupos foi realizada pelo índice de massa corporal (IMC), de acordo com a organização mundial de saúde (OMS) em não eutrófica, mulheres com IMC ≥ 25 (kg/m²) e eutróficas, IMC entre 18,9-24,9 (kg/m²). A RI foi determinada através do índice HOMA-IR. Na segunda fase do estudo foi realizada uma intervenção nutricional controlada e os parâmetros inflamatórios foram avaliados em 21 mulheres sobrepeso e obesas com SOP, antes e depois da perda de peso. Todas as pacientes receberam uma dieta hipocalórica com redução de 500 kcal/dia do consumo habitual com concentrações padrão de macronutrientes. Resultados: Fase 1: pacientes com SOP apresentaram níveis aumentados da PCR (p<0,01) e HOMA-IR (p<0,01). Quando divididas por IMC, tanto o grupo não eutrófico com SOP (I) quanto eutrófico com SOP(III) apresentou níveis aumentados de PCR (I=2,35±0,55mg/L e III= 2,63±0,65mg/L; p<0,01) e HOMA-IR (I= 2,16±2,54 e III= 1,07±0,55; p<0,01). Não foram encontradas diferenças de TNF-α e IL-6 entre os grupos. Fase 2: Após a perda de peso de 5% do peso inicial ocorreu uma redução em todos os níveis séricos dos componentes do perfil inflamatório avaliados, PCR (154.75 ± 19.33) vs (78.06 ± 9.08), TNF- α (10.89 ± 5.09) vs (6.39 ± 1.41) e IL6 (154.75 ± 19.33) vs (78.06 ± 9.08) (p < 0.00) em associação com a melhora de alguns parâmetros hormonais avaliados. Conclusão: A SOP contribuiu para o surgimento da inflamação crônica e das alterações no metabolismo da glicose através do aumento da PCR, da insulina e do HOMA-IR, independente do estado nutricional e a perda de peso melhoraram o estado inflamatório e o perfil hormonal das pacientes avaliadas.
Abstract: The polycystic ovary syndrome (PCOS) is considered the most common endocrine disorder in reproductive age women, with a prevalence ranging from 15 to 20%. In addition to hormonal and reproductive changes, it is common in PCOS the presence of risk factors for developing cardiovascular disease (CVD) and diabetes mellitus, insulin resistance (IR), visceral obesity, chronic low-grade inflammation and dyslipidemia. Due to the high frequency of obesity associated with PCOS, weight loss is considered as the first-line treatment for the syndrome by improving metabolic and normalizes serum androgens, restoring reproductive function of these patients. Objectives: To evaluate the inflammatory markers and IR in women with PCOS and healthy ovulatory with different nutritional status and how these parameters are displayed after weight loss through caloric restriction in with Down syndrome. Methods: Tumor necrosis factor-alpha (TNF-α), interleukin-6 (IL-6) and C-reactive protein (CRP) were assessed in serum samples from 40 women of childbearing age. The volunteers were divided into four groups: Group I (not eutrophic with PCOS, n = 12); Group II (not eutrophic without PCOS, n = 10), Group III (eutrophic with PCOS, n = 08) and Group IV (eutrophic without PCOS, n = 10). The categorization of groups was performed by body mass index (BMI), according to the World Health Organization (WHO) does not eutrophic, overweight and obesity (BMI> 25 kg / m²) and normal weight (BMI <24.9 kg / m²). IR was determined by HOMA-IR index. In the second phase of the study a controlled dietary intervention was performed and inflammatory parameters were evaluated in 21 overweight and obese women with PCOS, before and after weight loss. All patients received a low-calorie diet with reduction of 500 kcal / day of regular consumption with standard concentrations of macronutrients. Results: Phase 1: PCOS patients showed increased levels of CRP (p <0.01) and HOMAIR (p <0.01). When divided by BMI, both not eutrophic group with PCOS (I) as eutrophic with PCOS (III) showed increased levels of CRP (I = 2.35 ± 0,55mg / L and 2.63 ± III = 0,65mg / L; p <0.01) and HOMA-IR (I = 2.16 ± 2.54 and III = 1.07 ± 0.55; p <0.01). There were no differences in TNF-α and IL-6 between groups. Step 2: After the weight loss of 5% of the initial weight was reduced in all of the components of serum assessed inflammatory profile, PCR (154.75 ± 19:33) vs (78.06 ± 8.9) TNF α (10.89 ± 5.09) vs (6:39 ± 1:41) and IL6 (154.75 ± 19:33) vs (78.06 ± 08.09) (p <0:00) in association with improvement some hormonal parameters evaluated. Conclusion: PCOS contributed to the development of chronic inflammation and changes in glucose metabolism by increasing CRP, insulin and HOMA-IR, independent of nutritional status. The weight loss, caloric restriction has improved the inflammatory condition and hormonal status of the evaluated patients.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20301
Appears in Collections:PPGCF - Mestrado em Ciências Farmacêuticas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
InfluênciaPerdaPeso_Santos_2015.pdf1.29 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.