Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20373
Título: Imunobiológicos na psoríase grave: avaliação do impacto terapêutico na qualidade de vida dos pacientes
Autor(es): Pacheco, Arnóbio da Penha
Palavras-chave: Psoríase;Tratamento;Imunobiológicos;PASIxDLQI
Data do documento: 26-Jun-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: PACHECO, Arnóbio da Penha. Imunobiológicos na psoríase grave: avaliação do impacto terapêutico na qualidade de vida dos pacientes. 2015. 120f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
metadata.dc.description.resumo: Fundamentos: A psoríase é uma doença inflamatória crônica imunomediada, multifatorial, podendo estar associada a comorbidades, interferindo na qualidade de vida4,5. Nas placas eritêmato-escamosas psoriásicas ocorre ativação de linfócitos Th1 e Th17 que liberam citocinas pró-inflamatórias como TNF-α e Interleucinas8. Objetivos: Avaliar o perfil e a qualidade de vida dos pacientes tratados com os imunobiológicos Infliximabe, Adalimumabe, Etanercepte e Ustekinumabe. Métodos: O levantamento de dados clínicos epidemiológicos, terapêuticos e o impacto na qualidade de vida dos 61 pacientes foram realizados através de avaliações clínicas, aplicação de questionários, entrevistas, depoimentos e análise dos prontuários do Ambulatório de Dermatologia do Hospital Universitário Onofre Lopes, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte de março de 2014 a março de 2015. Os pacientes incluídos no estudo foram tratados com imunobiológicos de março de 2008 a março de 2015. Resultados: Dos pacientes estudados, 17 iniciaram o tratamento com Adalimumabe, 15 com Infliximabe e 5 com Etanercepte. Os resultados mostraram que 37 pacientes (60,7%) controlaram a psoríase com um único imunobiológico; 15 pacientes (24,6%) com um segundo imunobiológico; 6 pacientes (9,8%) com o terceiro imunobiológico e apenas 3 pacientes (4,9%) precisaram utilizar o quarto imunobiológico, o Ustequinumabe, para obter efetiva resposta terapêutica. Conclusões: Os imunobiológicos representam recurso terapêutico importante para as formas graves de psoríase. A perda de resposta terapêutica pode requerer mudanças desses medicamentos. Neste estudo, constatou-se, em relação a todos os pacientes, excelente resultado terapêutico, com escassos efeitos adversos e elevado índice de adesão ao tratamento, proporcionando-lhes reabilitação pessoal, reintegração familiar, social e profissional.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20373
Aparece nas coleções:PPGCSA - Doutorado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ArnobioDaPenhaPacheco_TESE.pdf2,25 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.