Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20553
Título: Avaliação da efetividade do Programa de Alimentação do Trabalhador
Autor(es): Bezerra, Ingrid Wilza Leal
Palavras-chave: Administração pública;Políticas públicas;Programa de Alimentação do Trabalhador;Estado nutricional
Data do documento: 17-Set-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: BEZERRA, Ingrid Wilza Leal. Avaliação da efetividade do Programa de Alimentação do Trabalhador. 2015. 143 f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2015.
Resumo: This study analyzed the Worker’s Healthy Eating Program in Rio Grande do Norte state (RN) to assess its possible impact on the nutritional status of the workers benefitted. To that end, we conducted a cross-sectional observational prospective study based on a multistage stratified random sample comparing 26 small and medium-sized companies from the Manufacturing Sector (textiles, food and beverages, and nonmetallic minerals) of RN, divided into two equal groups (WFP and Non WFP). Interviews were conducted at each company by trained interviewers from Tuesday to Saturday between September and December 2014. Data were collected on the company (characterization and information regarding the program’s desired results) and workers (personal and professional information, anthropometrics, health, lifestyle and food consumed the previous day). Population estimates were calculated for RN on the characteristics of workers and the study variables. The main variable was BMI. The secondary variables were waist circumference (WC), nutritional diagnosis, calorie intake, blood pressure, metabolic variables and lifestyle indicators. The statistical method used was hierarchical mixed effects linear regression for interval variables and hierarchical mixed effects logistic regression for binary variables. The variables measured in ordinal scales were analyzed by ordinal logistic regression adjusted for correlated variables, adopting robust standard errors. The results for interval variables are presented as point estimates and their 95% confidence intervals; and as odds-ratios and their 95% confidence intervals for binary variables. The Fisher’s exact and Student’s t-tests were used for simple comparisons between proportions and means, respectively. Differences were considered statistically significant at p<0.05. A total of 1069 workers were interviewed, of which 541 were from the WFP group and 528 from the Non WFP group. Subjects were predominantly males and average age was 34.5 years. Significant intergroup differences were observed for schooling level, income above 1 MW (minimum wage) and specific training for their position at the company. The results indicated a significant difference between the BMI of workers benefitted, which was on average 0.989 kg/m2 higher than the BMI of workers from the Non WFP group (p=0.002); and between the WC, with the waist circumference of WFP group workers an average of 1.528 cm larger (p<0.05). Higher prevalence of overweight and obesity (p<0.001) and cardiovascular risk (p=0.038) were recorded in the WFP group. Tests on the possible effect of the WFP on health (blood pressure and metabolic indicators) and lifestyle indicators (smoking, alcohol consumption and exercise) were not significant. With respect to worker’s diets, differences were significant for consumption of saturated fat (lunch and daily intake), salt (lunch, other meals and daily intake) and proteins (other meals and daily intake), with higher consumption of these nutrients in the WFP group. The study showed a possible positive impact of the WFP on nutritional status (BMI and WC) among the workers benefitted. No possible effects of the program were observed for the lifestyle indicators studied. Workers benefitted consumed less salt, saturated fat and protein. The relevance of the WFP is recognized for this portion of society and it is understood that, if the program can reach and impact those involved, the development of educational initiatives aimed at nutritional and food safety may also exert a positive influence.
metadata.dc.description.resumo: O Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) é referido como a principal política de Segurança Alimentar e Nutricional voltado para o atendimento das classes trabalhadoras e tem como objetivo a melhoria da situação nutricional dos trabalhadores. São atendidos atualmente pelo PAT cerca de 19 milhões de trabalhadores em todo o Brasil, o que dá uma ideia da sua dimensão e importância. No Rio Grande do Norte, estima-se que aproximadamente 120 mil trabalhadores sejam beneficiados. Ainda assim, não há registros de estudos de análise do Programa no Estado. Diante disso, a presente tese desenvolveu uma avaliação do Programa de Alimentação do Trabalhador no Rio Grande do Norte, tendo como objetivo avaliar o seu impacto sobre o estado nutricional dos trabalhadores beneficiados. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa observacional, transversal e prospectiva com base numa amostra aleatória probabilística, estratificada, em multi-estágios e comparativa entre indústrias de pequeno e médio porte, do Setor de Transformação (têxteis, alimentos e bebidas, e minerais não-metálicos) do RN, divididas igualmente em dois grupos (PAT e Não PAT), num total de 26 empresas. As entrevistas foram realizadas por entrevistadores treinados e ocorreram de terça a sábado, entre setembro e dezembro de 2014, em cada empresa, em local definido para este fim. Foram coletados dados das empresas (de caracterização e de informações que se relacionem com os resultados almejados pelo Programa) e dos trabalhadores (informações pessoais, profissionais, antropométricas, de saúde, estilo de vida e do consumo alimentar do dia anterior). As informações obtidas foram organizadas em banco de dados no programa Microsoft Excel® e a análise estatística realizada pelo Stata® 11.0. Foram calculadas estimativas populacionais, para o RN, das características dos trabalhadores e das variáveis do estudo. As estimativas dos erros padrão foram corrigidas para o agrupamento dos trabalhadores em cada indústria, com base no coeficiente de correlação intraclasse; e para amostragem sem reposição, utilizando-se o fator de correção para populações finitas baseado no total de indústrias segundo o subsetor de atividade econômica no Estado e no total de trabalhadores de cada indústria selecionada para o estudo. A variável principal foi o IMC. As variáveis secundárias foram a circunferência abdominal, o diagnóstico nutricional, a ingestão calórica, a pressão arterial, as variáveis metabólicas e os indicadores de estilo de vida. O método estatístico utilizado foi a regressão linear de efeitos mistos hierárquica para as variáveis de intervalos e a regressão logística de efeitos mistos hierárquica para as variáveis binárias. As variáveis medidas em escalas ordinais foram analisadas por regressão logística ordinal ajustada para variáveis correlatas, adotando-se erros padrão robustos. Os resultados para as variáveis de intervalos, estão apresentados como estimativas pontuais e seus intervalos de confiança de 95%; e como odds-ratios e seus intervalos de confiança de 95% para as variáveis binárias. Para comparações simples entre proporções e entre médias foram usados, respectivamente, os testes exato de Fisher e o teste-t de Student. Foram consideradas estatisticamente significativas as diferenças com p<0,05. Todos os testes foram bicaudais. Foram entrevistados 1069 trabalhadores, sendo 541 do grupo PAT e 528 do grupo Não PAT com média de idade de 34,5 anos, sexo masculino foi predominante nos dois grupos, foram observadas diferenças significantes entre os grupos quanto ao grau de escolaridade, à renda superior a 1 SM e à formação específica para o cargo que ocupa na empresa. Os resultados demonstraram diferenças significantes entre o IMC dos trabalhadores beneficiados, que foram em média 0,989 kg/m2 mais elevado do que o IMC dos trabalhadores do grupo não PAT (p=0,002); e entre a CABd, cujas medidas dos trabalhadores do grupo PAT foram em média 1,528 cm maior (p<0,05). Maiores prevalências de sobrepeso e obesidade (p<0,001) e risco cardiovascular (p=0,038) foram constatadas no grupo PAT. Testes de possível efeito do PAT sobre indicadores de saúde (pressão arterial e indicadores metabólicos) e de estilo de vida (hábito de fumar, consumo de álcool e prática de atividade física) não foram significantes. Com relação à alimentação dos trabalhadores, foram significantes as diferenças no consumo alimentar de gordura saturada (almoço e consumo diário), sódio (almoço, demais refeições e consumo diário) e proteínas (Demais refeições e consumo diário), sendo o consumo desses nutrientes menor no grupo PAT. O estudo demonstrou um possível impacto positivo do PAT sobre o estado nutricional (IMC e CAbd) entre trabalhadores beneficiados. Não foram observados possíveis efeitos do Programa sobre os indicadores de estilo de vida pesquisados. Trabalhadores beneficiados apresentaram menor consumo de sódio, gordura saturada e proteína. Reconhece-se a relevância do PAT para essa parcela da sociedade e entende-se que, se ele tem alcance e impacto sobre a sua clientela, é possível que o desenvolvimento de ações de educação para a segurança alimentar e nutricional também possam exercer influência positiva.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20553
Aparece nas coleções:PPGA - Doutorado em Administração

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
IngridWilzaLealBezerra_TESE.pdf1,36 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.