Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20788
Título: Música e surdez: o ensino de música numa perspectiva bilíngue na escola regular
Autor(es): Lima, Gueidson Pessoa de
Palavras-chave: Ensino de música;Surdez;Educação inclusiva
Data do documento: 31-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: LIMA, Gueidson Pessoa de. Música e surdez: o ensino de música numa perspectiva bilíngue na escola regular. 2015. 132f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: The present study focuses on the development of pedagogical activities in Music Teaching, aiming to enhance the accessibility of musical knowledge for both deaf and hearing students, using a bilingual approach in regular schools. Few studies address Music and Deafness, and those that do focus exclusively on the context of special education, and specifically the deaf student, which signals the urgent need for conducting research on this issue in the context of inclusion – empirically and carried out on school grounds. Therefore, we developed our study at a Natal City Public Elementary school, in a class of 6th graders, comprised of 37 students, 3 of whom were deaf. The objective of the study was to develop a proposal for a pedagogical intervention in Music Teaching, using a bilingual approach, with deaf and hearing students, in the context of regular school classes. The research is based on the theoretical framework presented in Penna (2010), Brito (2001) and Fonterrada (2008), with reference to music education, and Haguiara-Cervellini (2003), Finck (2009) and Louro (2006), with reference to inclusion in teaching music. To achieve this objective, we developed a proposal for intervention based on the methodological dictates of intervention research, presented in studies by Jobim and Souza (2011) in light of the theoretical concepts posited by Mikhail Bakhtin, which assert that knowledge is produced through interaction between subjects, dialogically and through alterity. This methodology was carried out in pedagogical workshops, conceived as spaces for the construction of knowledge, mobilizing participants to engage in ludic activities of musical experimentation. Content covered in these workshops focused on Pulse and Rhythm – basic elements in music education – demonstrating that awareness about and sensitivity to these elements is not limited to the auditory sensory perception of the student, once the entire body is used as an agent of acquisition and expression. Thus, we began the trajectory of our research from the starting point of the identification and perception of „Pulse‟, using one‟s own body and the body of classmates, representing it through physical expressions and movement. Subsequently, this Pulse was extended from the body to a percussion instrument, and was then represented graphically as lines of rhythm, constituting a process of reading and writing; ultimately the intervention culminated in the class presentation with the musical group De Pau e Lata (Stick and Can). In our analysis, faced with the challenges and possibilities presented in our study, findings showed satisfactory results with regard to the participation of all of the students: completing the activities proposed in the class, asking questions when they did not understand, positioning themselves when they thought it necessary, expressing opinions about the work completed, evaluating the workshops given, interacting, helping in the activities, constructing knowledge collaterally, experimenting and experiencing musical elements through the body in activities that applied to both groups (deaf and hearing) in the one class. These indications elucidate the viability of teaching music to deaf and hearing students, using a bilingual approach, and based on experiences with the body and communicative and cultural specificities involved, confirming, as well, the role of Sign Language as a mediator in the teaching/learning process.
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo centra-se no desenvolvimento de atividades pedagógicas no Ensino de Música, a fim de viabilizar o conhecimento musical de alunos surdos e ouvintes, sob uma perspectiva bilíngue, na escola regular. Os poucos estudos existentes na área da Música e Surdez estão centrados nos contextos de educação especial, direcionando o trabalho especificamente ao aluno surdo, havendo, no entanto, a emergência para a perspectiva de apreender tal questão em contexto inclusivo, atuando empiricamente no chão da escola. Desse modo, desenvolvemos nosso estudo em uma escola da rede municipal da cidade de Natal, junto a uma turma do 6º ano do Ensino Fundamental, composta por 37 alunos, sendo 3 surdos; tendo por objetivo, desenvolver uma proposta de intervenção pedagógica no Ensino de Música, sob a perspectiva bilíngue, contemplando alunos surdos e ouvintes, em um contexto de escola regular, respaldados nos aportes teóricos apresentados por Penna (2010), Brito (2001) e Fonterrada (2008), no que tange à educação musical; e Haguiara-Cervellini (2003), Finck (2009) e Louro (2006), no que se refere à perspectiva do ensino inclusivo de música. Na busca de atingir tal objetivo, desenvolvemos uma proposta de intervenção, com base nos ditames metodológicos da pesquisa intervenção, fundamentados nos estudos de Jobim e Souza (2011), à luz das concepções teóricas de Mikhail Bakhtin, reconhecendo que o conhecimento é produzido pela interação entre sujeitos, de maneira dialógica e alteritária. Tal metodologia foi materializada na realização de oficinas pedagógicas, entendidas como espaços de construção de saberes que mobilizam ludicamente todos os envolvidos em atividades de experimentação musical. Do ponto de vista do conteúdo, tais oficinas centraram-se no Pulso e no Ritmo, elementos básicos da educação musical, enfocando que a percepção e a sensibilização, centradas em tais elementos, não se limitam à condição sensorial auditiva do aluno, na medida em que se elege o corpo como agente de apreensão e de expressão. Assim, iniciamos nosso percurso de trabalho partindo da identificação e da percepção do pulso, a partir do próprio corpo e do corpo do colega, representando-o por meio de expressões e movimentos. A partir daí, esse pulso, do corpo foi expandido para um instrumento rítmico, o qual, em seguida, foi representado graficamente em fichas rítmicas, num processo de leitura e de produção; até chegarmos à aula-apresentação do grupo musical De Pau e Lata. Em nossas análises, frente aos desafios e possibilidades do estudo, pudemos constatar a participação, de maneira satisfatória, de todos os alunos, realizando as atividades propostas nas aulas, questionando quando não compreendiam, se posicionando quando achavam necessário, opinando sobre o trabalho realizado, avaliando as oficinas ministradas, interagindo, auxiliando-se nas atividades, construindo conhecimento juntos, experimentando e experienciando corporalmente elementos musicais em atividades aplicadas a ambos os grupos. Tais indicativos nos conduzem a explicitar a viabilidade do ensino de música para surdos e ouvintes, em uma perspectiva bilíngue, tendo como referência as experiências corporais e o respeito às singularidades comunicativas e culturais dos envolvidos, assegurando, também, o agenciamento da Língua de Sinais como mediadora do processo ensino-aprendizagem.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20788
Aparece nas coleções:PPGED - Mestrado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GueidsonPessoaDeLima_DISSERT.pdf3,39 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.