Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20798
Título: Ansiedade social e cooperação em contexto de hierarquia social
Autor(es): Santos, Ariela Moreira dos
Palavras-chave: Altivez;Ansiedade social;Assertividade;Divisão de recurso;Jogo do ultimato
Data do documento: 30-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SANTOS, Ariela Moreira dos. Ansiedade social e cooperação em contexto de hierarquia social. 2015. 87f. Dissertação (Mestrado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: The Ultimatum Game is a methodology of the Game Theory that intends to investigate the individuals cooperative behavior in situations of resources division. Studies have shown that half of the subjects don’t accept unfair division of resources, and prefer to bear a momentary cost to revenge the deceivers. However, people who have assertiveness impairment, such as social phobic individuals, could have some difficulties to reject unfair offer division resource, especially in situations that cause over anxiety, like being in the presence of an individual considered to be in a high hierarchical level. A negative perception about his own worth can also make the person thinks that he does not deserve a fair division. These individuals also have a strong desire to convey a positive impression to the others, which could cause them to be more generous in a resource division. The aim of this study was to verify, through the Ultimatum Game, if social anxiety individuals would accept more high confederate’s unfair offers that low confederate’s unfair offers; and if they would be more generous in goods division, in the same game, when compared to individuals without social anxiety. Ninety-five (95) college students participated in this study answering the Social Phobia Inventory, the Factorial Scale of Extroversion, socio-demographic questionnaire, situational anxiety scale and, finally, the Ultimatum Game in four rounds (1st and 3rd – confederate representing high or low ranking using an unfair proposal; 2nd – confederate without social status using fair proposal; 4th – subject’s research proposes the offer). The results showed a significant negative correlation between social anxiety and haughtiness, and social anxiety and assertiveness, and a significant positive correlation between social anxiety and situational anxiety. There was no significant difference in situational anxiety due to the status for anxious individuals. Also we found no significant difference in the amount of donated goods, showing that generous behavior does not differ between groups. Finally, the social status did not influence the decision in response to the game for anxious individuals. These results corroborate to other studies that show the relationship between social anxiety and assertiveness, and social anxiety and negative self-perception capability and value (low haughtiness). As show the results of situational anxiety scale, the high status stimulus was not perceived as threatening to the individual, which may have affected his answer in the game. The results for the Ultimatum Game follow the same direction as the acceptance rate for unfair proposals (approximately 50%) in studies with non-clinical sample.
metadata.dc.description.resumo: O Jogo do Ultimato é uma metodologia da Teoria dos Jogos que pretende investigar o comportamento cooperativo de indivíduos em situações de divisão de recurso. A literatura tem mostrado que metade dos sujeitos não aceita divisão de recurso injusta, e ainda prefere arcar com um custo momentâneo para se vingar do trapaceiro. Entretanto, pessoas que têm prejuízo em assertividade, como indivíduos que possuem fobia social, podem ter dificuldade em rejeitar ofertas de divisão de recurso injusta, especialmente em situações que lhes causem ansiedade demasiada, como estar na presença de um indivíduo considerado de alto nível hierárquico. A percepção negativa sobre seu próprio valor também pode o fazer pensar que não merece uma divisão justa. Esses indivíduos também possuem um forte desejo de transmitir uma impressão positiva aos demais, o que poderia levá-los a serem mais generosos em uma divisão de recurso. O objetivo desta pesquisa foi verificar, através do Jogo do Ultimato, se indivíduos com ansiedade social aceitariam mais ofertas injustas de confederados de alto que de baixo nível hierárquico e se seriam mais generosos na divisão de bens, no mesmo jogo, quando comparados a indivíduos sem ansiedade social. Noventa e cinco (95) estudantes universitários participaram deste estudo respondendo ao Inventário de Fobia Social, a Escala Fatorial de Extroversão, questionário sociodemográfico, escala de ansiedade situacional e, por fim, o Jogo do Ultimato em quatro rodadas (1ª e 3ª - confederado representando alto ou baixo nível hierárquico com uma proposta injusta; 2ª - confederado sem pista de status social faz com proposta justa; 4ª - sujeito da pesquisa faz a oferta). Os resultados mostraram uma correlação negativa significativa entre ansiedade social e altivez, e ansiedade social e assertividade, e uma correlação positiva significativa entre ansiedade social e ansiedade situacional. Não houve diferença significativa na ansiedade situacional em função do status para indivíduos ansiosos. Também não encontramos diferença significativa na quantidade de bens doados, mostrando que o comportamento generoso não difere entre os grupos. Por fim, o status social não influenciou na decisão na resposta ao jogo, para indivíduos ansiosos. Esses resultados corroboram outras pesquisas que mostram a relação entre ansiedade social e assertividade, e ansiedade social e autopercepção negativa de capacidade e valor (baixa altivez). Como mostram os resultados de ansiedade situacional, o estímulo de alto status não foi percebido como ameaçador para o indivíduo, o que pode ter afetado sua resposta no jogo. Os resultados para o Jogo do Ultimato seguem a mesma direção quanto a taxa de aceitação pra propostas injustas (aproximadamente 50%) em estudos realizados com amostra não clínica.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20798
Aparece nas coleções:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ArielaMoreiraDosSantos_DISSERT.pdf1,35 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.