Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20809
Título: Qualidade de vida de pessoas com estomias intestinais
Autor(es): Andrade, Rosane Sousa de
Palavras-chave: Estomas;Qualidade de vida;Características da população;Perfil de saúde
Data do documento: 23-Nov-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: ANDRADE, Rosane Sousa de. Qualidade de vida de pessoas com estomias intestinais. 2015. 85f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: Ostomy is an open surgical origin, when it is necessary to deviate temporarily or permanently, the normal transit of food and / or deletions. The patient with ostomy disposal is faced with changes in their physiology, also emerging on the need to care collection bag. This study aimed to analyze the quality of life (QOL) of people living with ostomy Intestinal (EI), who attended the Pediatric and Adult Rehabilitation Center of Rio Grande do Norte (CRI / CRA-RN). It is an analytical study with cross-sectional design and quantitative approach, accomplished with 89 people who had EI. The study was approved by the Ethics Committee of the Federal University of Rio Grande do Norte (CEP / UFRN), CAAE: 19866413.3.0000.5537. Held data collection in the period January-March 2015 using two instruments: an adapted general questionnaire covering socio-demographic, clinical and self-care and a specific instrument for assessing QOL of people with stoma titled as City of Hope Quality of Life - Ostomy Questionnaire (COH-QOL-Q), validated and adapted to Portuguese in 2010, composed of four areas, namely: Welfare Body (BEF), Welfare Psychological (BEP), Welfare (BES ) and Spiritual Well-Being (BEE). The collected data were entered into a database in Microsoft Excel 2007 spreadsheet application and processed in computerized software for descriptive and inferential analysis. The results showed that 83.1% had a colostomy and ileostomy 16.9%. Sociodemographic characteristics prevailed in males (57.3%), over 50 (57.3%), mulatto (46.1%), with presence of companion / a (57.3%), retired / beneficiaries (50.5%), monthly income above the minimum wage (68.5%) and who have studied up to elementary school (67.4%). Regarding clinical aspects, it was observed that the main cause that led to the making of the stoma was the neoplasm (59.6%) followed by trauma (21.3%). The sample showed people with stoma for more than six months (79.8%) of permanently (57.3%), in use sink equipment piece drainable (68.5%) of flat base (82.0%). With respect to self-care, 93.3% emptied and washed the bag alone (care related to hygiene) and 75.3% fixed the new exchange on the skin during the exchange (care related to the stock). Patients with more than six months of ostomy and had no partner (a) had higher averages of self-care related hygiene and purse. The average of respondents QoL scores was 68.90% for General QOL; 68.03% for the BEF; 68.38% for the BEP; 66.46% for BES and 75.41% for BEE. Among the aspects that influenced QOL included: physical strength, pain, suffering and gases (physical domain); appearance, care of the stoma and adaptation to new condition (psychological domain); isolation, interference in personal relationships and social activities (social domain) and going to church or synagogue, spiritual activities and positive change after ostomy (spiritual realm). Based on these results, it is concluded that this was a predominantly adult sample / elderly (between 50 and 70 years), with low education and the cause motivating the stoma, neoplasms. However, such findings did not pass at low percentage levels on the self-care capacity to deliver even at low QOL scores.
metadata.dc.description.resumo: Estomia é uma abertura de origem cirúrgica, quando há necessidade de desviar, temporária ou permanentemente, o trânsito normal da alimentação e/ou eliminações. O paciente com estomia de eliminação se vê diante de modificações em sua fisiologia, surgindo também à necessidade de cuidados com a bolsa coletora. Neste estudo, objetivou-se analisar a Qualidade de Vida (QV) de pessoas vivendo com Estomias Intestinais (EI), atendidos no Centro de Reabilitação Infantil e Adulto do Rio Grande do Norte (CRI/CRA-RN). Trata-se de um estudo analítico, com delineamento transversal e abordagem quantitativa, realizado com 89 pessoas que apresentaram EI. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (CEP/UFRN), CAAE: 19866413.3.0000.5537. Realizou-se a coleta de dados no período de janeiro a março de 2015 e se utilizou dois instrumentos: um questionário geral adaptado abrangendo aspectos sociodemográficos, clínicos e de autocuidado e um instrumento específico de avaliação de QV de pessoas com estoma intitulado como City of Hope Quality of Life - Ostomy Questionnaire (COH-QOL-OQ), validado e adaptado para o português em 2010, composto de quatro domínios, a saber: Bem Estar Físico (BEF), Bem Estar Psicológico (BEP), Bem Estar Social (BES) e Bem Estar Espiritual (BEE). Os dados coletados foram inseridos num banco de dados na planilha do aplicativo Microsoft Excel 2007 e processados em software informatizado para as análises descritivas e inferenciais. Os resultados mostraram que 83,1% possuíam colostomia e 16,9% ileostomia. Na caracterização sociodemográfica predominaram pessoas do sexo masculino (57,3%), acima de 50 anos (57,3%), de cor parda (46,1%), com presença de companheiro/a (57,3%), aposentados/beneficiários (50,5%), renda mensal acima de um salário mínimo (68,5%) e que estudaram até o ensino fundamental (67,4%). Quanto aos aspectos clínicos, observou-se que a maior causa que culminou com a confecção do estoma foi à neoplasia (59,6%) seguida de trauma (21,3%). A amostra apresentou pessoas com estoma há mais de 6 meses (79,8%), de caráter definitivo (57,3%), em uso de equipamento peça única drenável (68,5%) de base plana (82,0%). Com relação ao autocuidado, 93,3% esvaziavam e lavavam a bolsa sozinhos (cuidados relacionados à higiene), mas apenas 75,3% fixava a nova bolsa na pele, durante a troca (cuidados relacionados à bolsa). A média dos escores de QV dos pesquisados foi de 296,2 (68,90%) para QV Geral; 74,8 (68,03%) para o BEF; 88,8 (68,38%) para o BEP; 79,7 (66,46%) para o BES e 52,7 (75,41%) para o BEE. Diante dos resultados obtidos, conclui-se que se tratou de uma amostra predominantemente adulta/idosa (entre 50 e 70 anos), com baixa escolaridade e como causa motivadora do estoma, as neoplasias. Entretanto, tais achados não repercutiram em baixos índices percentuais acerca da capacidade de realização de autocuidado nem em baixos escores de QV.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/20809
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RosaneSousaDeAndrade_DISSERT.pdf659,89 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.