Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21218
Título: Articulação entre saúde mental infanto-juvenil e atenção básica em Natal-RN: limites e possibilidades
Autor(es): Silva, Paola da Costa
Palavras-chave: Saúde mental;Criança;Adolescente;Atenção básica;Apoio matricial
Data do documento: 18-Dez-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Paola da Costa. Articulação entre saúde mental infanto-juvenil e atenção básica em Natal-RN: limites e possibilidades. 2014. 81f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: In the case of Brazilian Psychiatric Reformation, mental health juvenile reveals itself as a great challenge, with major gaps in terms of needs, services and actions on mental illness in children and adolescents. This research is a qualitative study of descriptive and exploratory, having to analyze the actions and practices of mental health juvenile articulated between the Psychosocial Care Center juvenile (Caps i) and the basic care in Natal-RN, and specific, identify the limits and possibilities for an important precedent of the care network. After submission to the Research Ethics Committee (CEP) of the University Hospital Onofre Lopes (HUOL) of the Federal University of Rio Grande do Norte (UFRN) obtained approval contained in opinion number 777.067 / 2014. For the data collection, it was initially carried out a documentary research in the Municipal Health Department of Christmas about the phenomenon under study, and subsequently, applied semi-structured interviews with the subjects of the research, which were workers Caps i of Natal-RN. The analysis was woven as the thematic analysis technique, understood within the method of content analysis. The results and discussions were organized by categories and subcategories, namely: CATEGORY 1: Limits and weaknesses in the linkage between the Caps i and basic care, with the subcategories: 1.1 Lack of specialized services and devices articulators in network, 1.2 The diversity of situations in the demand juvenile assisted; CATEGORY 2: possibilities for an effective network, with the subcategory: 2.1 Intersectoral collaboration as a strategy for solving attention. The analysis revealed that the integration and coordination of mental health services juvenile and primary care in the city of Natal-RN, has incipient initiatives and/or inadequate for the resolvability intersectoral, where the devices of attention to health involved cannot establish bonds effective and long-lasting in the perspective of co-responsibility and sharing of care. On the other hand, it appears that the existing shares and practiced, configure an exercise in approximation to the dialog between mental health juvenile and basic care. It is highlighted that the shared care and the establishment of intersectoral collaboration within and outside of the health sector is possibility of facilitating the necessary dialog between the services and professionals involved, thus, enabling a better prospect of resolvability of the Network of Psychosocial Care for the youth in reality being investigated.
metadata.dc.description.resumo: O processo de Reforma Psiquiátrica brasileira foi deflagrado no final da década de 1970 e lançou novas luzes à problemática da saúde mental infanto-juvenil, constatando lacunas importantes no que tange às necessidades, serviços e ações sobre adoecimento psíquico de crianças e adolescentes. Com a criação dos Centros de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPS i), torna-se possível a inserção em rede e a articulação dos serviços de saúde na assistência à saúde mental infanto-juvenil, constituindo-se como lugar de acolhimento e trazendo visibilidade ao sofrimento psíquico de crianças e adolescentes até então negligenciado nos grandes hospitais psiquiátricos. A partir desse entendimento empreendemos a presente pesquisa com o objetivo geral de analisar as ações e práticas de saúde mental infanto-juvenil articuladas entre o Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil (Caps i) e a atenção básica em Natal-RN, e especificamente, identificar os limites e possibilidades para essa articulação e maior resolubilidade do cuidado prestado em rede. Após submissão ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) obteve-se aprovação contido no Parecer número 777.067/ 2014. Trata-se de um estudo com abordagem qualitativa de caráter descritivo e exploratório. Para a coleta de dados, inicialmente realizamos pesquisa documental na Secretaria Municipal de Saúde de Natal acerca do fenômeno estudado, posteriormente, aplicamos entrevista semiestruturada com os sujeitos da pesquisa que foram os trabalhadores do Caps i de Natal-RN. A análise foi tecida conforme a técnica de análise temática, compreendida dentro do método de análise de conteúdo. Os resultados e discussões foram organizados por meio de categorias e subcategorias, a saber: CATEGORIA 1. Limites e fragilidades da articulação para a assistência em saúde mental infanto-juvenil, com as subcategorias: 1.1 Insuficiência de serviços especializados e de dispositivos articuladores na rede; 1.2 Complexidade da atenção em saúde mental na infância e adolescência: demanda e clínica; CATEGORIA 2: Possibilidades para uma rede efetiva, com a subcategoria: 2.1 Intersetorialidade em saúde mental infanto-juvenil como instrumento de articulação e integralidade. Concluímos que a integração e articulação dos serviços de saúde mental infanto-juvenil e a atenção básica no município de Natal-RN, possui iniciativas incipientes e/ou insuficientes para a resolubilidade intersetorial, onde os dispositivos de atenção à saúde envolvidos não conseguem estabelecer vínculos efetivos e duradouros na perspectiva da corresponsabilidade e do compartilhamento do cuidado. Por outro lado, verificamos que as ações existentes e praticadas, configuram um exercício de aproximação para o diálogo entre saúde mental infanto-juvenil e atenção básica. Destacamos que o cuidado compartilhado e o estabelecimento de intersetorialidade dentro e fora do setor saúde constitui possibilidade de favorecimento do diálogo necessário entre os serviços e profissionais envolvidos, assim, potencializando-se uma melhor perspectiva de resolubilidade da Rede de Atenção Psicossocial para o público infanto-juvenil na realidade investigada.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/21218
Aparece nas coleções:PPGSCOL - Mestrado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PaolaDaCostaSilva_DISSERT.pdf1,6 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.