Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21267
Título: Estratégias tróficas do peixe traíra, Hoplias malabaricus e do peixe cascudo, Hypostomus pusarum do açude Marechal Dutra, Rio Grande do Norte, Brasil
Autor(es): Pessoa, Emilly Kataline Rodrigues
Palavras-chave: Morfohistologia;Trato digestório;Estratégia alimentar;Dieta;Hoplias malabaricus;Hypostomus pusarum;Peixes de água doce
Data do documento: 4-Jul-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: PESSOA, Emilly Kataline Rodrigues. Estratégias tróficas do peixe traíra, Hoplias malabaricus e do peixe cascudo, Hypostomus pusarum do açude Marechal Dutra, Rio Grande do Norte, Brasil. 2014. 100f. Tese (Doutorado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: The fish, Hoplias malabaricus (Osteichthyes: Erythrinidae) and armored catfish, Hypostomus pusarum (Loricariidae) are of freshwater origin from the neotropical region, and are considered ecologically and economically of important. This work investigated the trophic strategies, the morphology and histology of the digestive tract of these fish captured from the Marechal Dutra reservoir, Acari, the semiarid region of Rio Grande do Norte, Brazil. A total of 133 individuals of H. malabaricus and 118 specimens of H. pusarum were analyzed. The two study species occupy different levels in the food chain and spatial distribution in the water column of the reservoir. The results of this study are presented in the form of four scientific papers. The first article describes the morphology and histology of the digestive tract and the feeding habits of H. malabaricus (Bloch, 1794). This fish has a short intestine, with an intestinal coefficient of 0.72 ± 0.09. The dietary importance index indicates that H. malabaricus feeds preferentially on animal matter, especially on fish (72.8%) and prawns (27.2%). The histology of its digestive tract confirms the carnivorous feeding habit. The second article discusses about the pioneering work on the feeding strategy and the characterization of anatomy and histology of the digestive tract of H. pusarum. The intestine of this fish is long, with an intestinal coefficient of 10.8±0.7. The dietary importance index indicates that H. pusarum feeds preferentially on organic matter in decomposition (88.7%) and on filamentous microalgae and diatoms (11.3%). The third article compares the morphological aspects of the digestive tract of H. malabaricus and H. pusarum, in relation to their food habits. The arrangement of the digestive organs in both species is directly related to the shape of the peritoneal cavity and the form of the body. The short intestine of H. malabaricus and the long intestine of H. pusarum are associated with their feeding habits. The morphology of the digestive tracts of H. malabaricus and H. pusarum confirm their food habits, carnivorous and detritivorous / herbivorous, respectively. The fourth article discusses the food and reproductive aspects (length and weight, length-weight relationship, type of growth and sex ratio) of H. pusarum. This species has a negatively allometric growth, with the predominance of females in the sampled population. H. malabaricus inhabits the pelagic environment and is a carnivore, while H. pusarum, lives in the benthic environment and is characterized as a detritivore/herbivore. Each species studied shows a very different diet, without trophic competition between them. The morphological and anatomical structures of the digestive tract reflect their feeding strategy.
metadata.dc.description.resumo: O peixe traíra, Hoplias malabaricus (Erythrinidae) e o peixe cascudo, Hypostomus pusarum (Loricariidae) são peixes de água doce, da região neotropical de considerável importância ecológica e econômica. O trabalho teve como objetivo investigar as estratégias tróficas e a morfo-histologia do trato digestório desses peixes no açude Marechal Dutra, Acari, do semiárido do Rio Grande do Norte, Brasil. Foram analisados 133 exemplares de traíra, H. malabaricus e 118 espécimes de cascudo, H. pusarum. As duas espécies estudadas apresentam diferentes níveis de cadeia alimentar e ocupação espacial na coluna de água do açude. Os resultados do trabalho estão apresentados sob a forma de quatro artigos científicos. O primeiro artigo descreve a anatomia e a histologia do trato digestivo e os hábitos alimentares da traíra, H. malabaricus. O intestino da traíra é curtocom um coeficiente intestinal de 0,72 ± 0,09. O Índice de importância alimentar demonstrou que H. malabaricus se alimenta preferencialmente de material animal, sendo 72,8% de peixes e 27,2% de camarões. A histologia do seu tubo digestório confirma seu hábito alimentar carnívoro. O segundo artigo aborda um estudo pioneiro sobre os hábitos alimentares e a caracterização anatômica e histológica do trato digestório de H. pusarum. O intestino do cascudo é longo com um coeficiente intestinal de 10.8±0.7. O Índice de importância alimentar demonstrou que H. pusarum se alimenta preferencialmente de material orgânico em decomposição (88.7%) e microalgas filamentosas e diatomáceas (11.3%). O terceiro artigo compara os aspectos morfológicos do trato digestório de H. malabaricus e H. pusarum, relacionando-os com seu hábito alimentar. A disposição dos órgãos digestórios em ambas as espécies está diretamente relacionada com a forma da cavidade peritoneal e o formato do corpo. O intestino curto em H. malabaricus e muito longo em H. pusarum está relacionado com seus hábitos alimentares. A morfologia dos tubos digestórios de H. malabaricus e H. pusarum confirmam seus hábitos alimentares, carnívoro e detritívoro/herbívoro, respectivamente. O quarto artigo aborda os aspectos alimentares e reprodutivos (estrutura de comprimento e peso, relação peso-comprimento, tipo de crescimento, proporção sexual) do cascudo, H. pusarum. A espécie apresenta crescimento alométrico negativo, com a predominância de fêmeas na população amostrada.Hoplias malabaricus, que habita o ambiente pelágico, é considerado carnívoro, enquanto que H. pusarum, que habita o ambiente bentônico, é caracterizado como detritívoro/herbívoro. Cada espécie estudada mostra um regime alimentar bem diferente, sem que haja competição trófica entre elas. As estruturas morfo-anatômicas do trato digestório refletem sua estratégia alimentar.
URI: http://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/21267
Aparece nas coleções:PPGPSICO - Doutorado em Psicobiologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EmillyKatalineRodriguesPessoa_TESE.pdf5,99 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.