Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21584
Título: Empatia e reciprocidade em ratos Wistar: um paradigma para avaliar comportamento pró-social
Autor(es): Silva, Phiética Raíssa Rodrigues da
Palavras-chave: Comportamento pró-social;Cooperação;Reciprocidade direta;Reciprocidade generalizada;Empatia
Data do documento: 4-Mai-2016
Citação: SILVA, Phiética Raíssa Rodrigues da. Empatia e reciprocidade em ratos Wistar: um paradigma para avaliar comportamento pró-social. 2016. 40f. Dissertação (Mestrado em Psicobiologia) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Prosocial behavior refers to any actions that are intended to benefit others, regardless of benefits to the actor in the process. This is a very broad term that includes many subcomponents, such as cooperation, mutualism, altruism and helping. Cooperation often brings a cost for the cooperator, resulting in a fitness decrease. Therefore, cooperation seems contradictory to the theory of natural selection. However, mechanisms that promote the development of cooperation were selected, such as kin selection, direct reciprocity and generalized reciprocity. Behind prosocial behavior can be a motivating emotional component, such as empathy. Empathy is the capacity to experience emotional reactions when observing the experience of others (emotional empathy), sharing their emotional state, and being able to adopt their point of view (cognitive empathy). There is still no established animal model for the study of empathy as motivating prosocial behavior, in its various aspects. Thus, we use a protocol that proposes to assess empathy and prosocial behavior in rats (Bartal et al., 2011) to verify its reproducibility and try to understand aspects such as helping and cooperation (direct and generalized reciprocity) and the main motivation for these behaviors. The helping behavior was evaluated through the opening of the door of a restraining box, releasing a trapped cagemate. Future retribution in the task was the parameter used to investigate reciprocity to a familiar (direct) or unfamiliar (generalized) animal. The rats received no training or reward for the task. We reproduced the results of the original protocol and verified the presence of reciprocity, but could not discriminate between direct and generalized reciprocity. We identified other factors associated with the door opening. We have seen that the animals kept opening the door when tested with an empty restraining box, after learning how to open the door. We also saw that the “opener” rats entered the box after opening and stayed there most of the time during the test. When rats were previously submitted to the empty box and after that to the conspecific box there was no opening in any of the circumstances, indicating a possible effect of habit on the behavior. Therefore, it is necessary to investigate other factors that may be involved in door opening before considering the use of the paradigm currently used for investigation of mechanisms related to empathy and prosocial behavior.
metadata.dc.description.resumo: O comportamento pró-social se refere a quaisquer ações que têm a intenção de beneficiar outros, independente do ator também se beneficiar no processo. O termo é bastante amplo e abrange vários subcomponentes, tais como cooperação, mutualismo, altruísmo e ajuda. A cooperação geralmente traz um custo para o indivíduo cooperador que resulta na diminuição da sua aptidão. Embora isto pareça contraditório com a teoria da seleção natural, mecanismos que favorecem a evolução da cooperação foram selecionados, tais como a seleção de parentesco, a reciprocidade direta e a reciprocidade generalizada. Por trás do comportamento pró-social pode estar um componente emocional motivador, tal como o sentimento de empatia. A empatia é a capacidade de experienciar reações afetivas ao observar a experiência do outro (empatia emocional), partilhando o seu estado emocional, e ser capaz de adotar o ponto de vista do outro (empatia cognitiva). Ainda não há um modelo animal estabelecido para o estudo da empatia como motivador do comportamento pró-social, em seus diversos aspectos. Dessa forma, utilizamos um protocolo que propõe avaliar empatia e comportamento pró-social em ratos (Bartal et al., 2011) visando verificar sua reprodutibilidade e buscando compreender aspectos como ajuda e cooperação (reciprocidade direta e generalizada) bem como motivação para esses comportamentos. O comportamento de ajuda foi avaliado a partir da libertação de um colega aprisionado, pela abertura da porta de uma caixa restritora. A posterior retribuição da ajuda foi o parâmetro utilizado para investigar reciprocidade para um rato conhecido (direta) ou não (generalizada). Os ratos não recebiam treinamento ou recompensa pela tarefa. Reproduzimos os resultados do protocolo original e verificamos a presença de reciprocidade, porém não pudemos distinguir a direta da generalizada. Identificamos outros fatores associados com a abertura da porta. Vimos que os animais continuavam abrindo a porta quando submetidos a um teste com a caixa restritora vazia, após ter aprendido como abrir a porta. Vimos também que os ratos “libertadores” entravam na caixa após abertura e permanenciam nela a maior parte do tempo durante o teste. Quando os ratos foram submetidos previamente à caixa vazia e depois à caixa com um coespecífico não houve abertura em nenhuma das circunstâncias, indicando um possível efeito de hábito sobre o comportamento. Sendo assim, é necessário investigar os demais fatores que possam estar envolvidos com a abertura da porta antes de considerar o uso do paradigma aqui estudado para investigação de mecanismos relacionados à empatia e ao comportamento pró-social.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21584
Aparece nas coleções:PPGPSICO - Mestrado em Psicobiologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PhieticaRaissaRodriguesDaSilva_DISSERT.pdf834,62 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.