Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21593
Título: Regulação da mobilização de reservas durante o estabelecimento tardio em plântulas de girassol cultivadas sob escuro contínuo
Autor(es): Santos, Ana Paula Avelino dos
Palavras-chave: Insuficiência de carbono;Helianthus annuus L. Enzimas degradadoras de reservas;Relação fonte-dreno
Data do documento: 23-Jun-2016
Citação: SANTOS, Ana Paula Avelino dos. Regulação da mobilização de reservas durante o estabelecimento tardio em plântulas de girassol cultivadas sob escuro contínuo. 2016. 58f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: Reserve mobilization, metabolite partitioning, and reserve-degrading enzyme activities were studied in sunflower seedlings cultivated in vitro under 12-h photoperiod or in the absence of light to investigate the involvement of source-sink relation and carbon starvation in the mechanisms that regulate reserve mobilization during the exposure to continuous darkness. At the first 24 h of treatment (acclimation phase), the absence of light did not affect growth, but restricted carbon and nitrogen utilization, indicated by sugar and amino acid accumulation in the different seedling parts. After 5 days of treatment (survival phase), extended exposure to darkness limited growth and retarded storage lipid mobilization due to carbon starvation, evidenced by the depletion of carbohydrates in cotyledons and hypocotyl, as well as the consume of amino acids in hypocotyl and roots. Alterations in the source-sink relation may have been a response to extended darkness, instead of a mechanism utilized to regulate reserve mobilization, as these alterations cannot be associated with negative feedback mediated by metabolite accumulation. Storage lipid degradation depended, at least in part, on mechanisms that co-ordinately regulate the activities of lipases and isocitrate lyase, but the activities of acid proteases and amylases could not be directly related to the regulation of storage protein and starch hydrolysis, respectively. Taking these results together, it is possible to suggest that reserve mobilization in sunflower seedlings cultivated in the dark may be regulated by mechanisms that perceive the absence of light and predict carbon starvation, adjusting reserve utilization according to future energy demands to allow, at least in short term, seedling survival.
metadata.dc.description.resumo: A degradação das reservas, a partição de metabólitos e a atividade de enzimas degradadoras foram estudadas em plântulas de girassol cultivadas in vitro sob fotoperíodo de 12/12 h (claro/escuro) ou na ausência de luz (escuro) para investigar o envolvimento da relação fonte-dreno e da insuficiência de carbono nos mecanismos que regulam a mobilização das reservas durante a exposição ao escuro contínuo. Nas primeiras 24 h de tratamento (fase de aclimatação), a ausência de luz não afetou o crescimento, mas restringiu a utilização de carbono e nitrogênio, indicada pela acumulação de açúcares e aminoácidos nos diferentes órgãos da plântula. Após 5 dias de tratamento (fase de sobrevivência), a exposição prolongada ao escuro limitou o crescimento e retardou a mobilização dos lipídeos e das proteínas de reserva devido à insuficiência de carbono, evidenciada pela depleção de carboidratos nos cotilédones e no hipocótilo e de aminoácidos no hipocótilo e nas raízes. As alterações verificadas na relação fonte-dreno devem ter sido uma resposta à escuridão prolongada, ao invés de um mecanismo utilizado para regular a mobilização das reservas, considerando que estas alterações não puderam ser associadas à retroinibição mediada pela acumulação de metabólitos. A degradação dos lipídeos de reserva depende, pelo menos em parte, de mecanismos que regulam coordenadamente as atividades de lipases e ICL, mas as atividades de proteases ácidas e amilases não puderam ser diretamente relacionadas à regulação da hidrólise das proteínas de reserva e do amido. Os resultados obtidos permitem sugerir que a mobilização das reservas em plântulas de girassol cultivadas no escuro deve ser regulada por mecanismos que percebem a ausência de luz e preveem a insuficiência de carbono, ajustando a utilização das reservas de acordo com as demandas energéticas futuras para garantir, pelo menos a curto prazo, a sobrevivência da plântula.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21593
Aparece nas coleções:PPGB - Mestrado em Bioquímica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnaPaulaAvelinoDosSantos_DISSERT.pdf2,04 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.