Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21630
Título: Aplicabilidade clínica do instrumento para consulta de enfermagem na visita domiciliar as pessoas com lesão medular
Autor(es): Dantas, Dândara Nayara Azevêdo
Palavras-chave: Enfermagem;Avaliação;Tecnologia/instrumentação;Consulta a domicílio;Traumatismos da Medula Espinal
Data do documento: 12-Nov-2014
Citação: DANTAS, Dândara Nayara Azevêdo. Aplicabilidade clínica do instrumento para consulta de enfermagem na visita domiciliar as pessoas com lesão medular. 2014. 142f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Os instrumentos e tecnologias são importantes para a articulação e intervenção sobre os objetos, auxiliam e asseguram a realização da assistência de enfermagem de maneira sistemática e de forma que possa atender as reais necessidades da clientela. No tocante a consulta de enfermagem às pessoas com lesão medular no âmbito do domicílio, verifica-se que esta não está sendo subsidiada por nenhum instrumento válido. Dessa forma objetiva-se com o presente estudo analisar a aplicabilidade clínica do instrumento para consulta de enfermagem na visita domiciliar as pessoas com lesão medular. Trata-se de um estudo descritivo, de abordagem quantitativa, desenvolvida entre dezembro de 2013 e junho de 2014 nas unidades de saúde do município de Natal/RN, Brasil. A população do estudo foi constituída por enfermeiros atuantes nas unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família de Natal. Foram incluídos os profissionais que tivesse usuário com lesão medular residente em área territorial segura para realização da visita domiciliária no período de coleta de dados, que tenham recebido capacitação para utilizar o instrumento em estudo e que concordaram com a gravação em vídeo da consulta de enfermagem na visita domiciliar à pessoa com LM utilizando o instrumento do estudo. Foram excluídos os enfermeiros que estavam em licença ou afastados de suas atividades assistenciais. Foram utilizados quatro instrumentos estruturados para realização da coleta de dados. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com o parecer nº 019/2013 e CAAE 0248.0.051.000-11. Os dados foram analisados através de estatística descritiva. Os enfermeiros eram predominantemente do sexo feminino (90,9%), brancos (63,6%), casados (45,5%), católicos (72,7%), e apresentavam em média 46,86 anos (mín.29; máx.60; ± 7,4). Quase a totalidade (95,5%) tiveram uma percepção positiva da experiência de aplicar o instrumento na prática clínica. Destes, 54,5% acharam a experiência boa ou ótima; 22,5% válida ou proveitosa ou interessante ou importante ou inovadora; 9,1% positiva e 9,1% norteadora. Um enfermeiro (4,5%) achou a experiência complicada. Quanto à viabilidade de utilização do INCEVDOP-LM na prática clínica, 63,6%dos participantes afirmaram ser viável o uso do instrumento em sua prática clínica, 27,3% asseguraram o uso apenas se for realizado alguns ajustes no instrumento e 9,1% não utilizariam esta ferramenta de investigação. Conclui-se que o instrumento norteia a consulta de enfermagem na visita domiciliar às pessoas com lesão medular e contribui para uma avaliação detalhada do indivíduo. Da forma como está descrito causou confusão em alguns profissionais quanto à alternativa que deveria assinalar. Dessa forma, acredita-se que o instrumento é passível de ser utilizado na prática clínica dos enfermeiros caso sejam realizados algumas alterações que o torne mais prático, claro, objetivo e direto e facilite a utilização por esses profissionais. Além disso, sugere-se que outros estudos sejam desenvolvidos para que possa validar clinicamente este instrumento.
metadata.dc.description.resumo: Os instrumentos e tecnologias são importantes para a articulação e intervenção sobre os objetos, auxiliam e asseguram a realização da assistência de enfermagem de maneira sistemática e de forma que possa atender as reais necessidades da clientela. No tocante a consulta de enfermagem às pessoas com lesão medular no âmbito do domicílio, verifica-se que esta não está sendo subsidiada por nenhum instrumento válido. Dessa forma objetiva-se com o presente estudo analisar a aplicabilidade clínica do instrumento para consulta de enfermagem na visita domiciliar as pessoas com lesão medular. Trata-se de um estudo descritivo, de abordagem quantitativa, desenvolvida entre dezembro de 2013 e junho de 2014 nas unidades de saúde do município de Natal/RN, Brasil. A população do estudo foi constituída por enfermeiros atuantes nas unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família de Natal. Foram incluídos os profissionais que tivesse usuário com lesão medular residente em área territorial segura para realização da visita domiciliária no período de coleta de dados, que tenham recebido capacitação para utilizar o instrumento em estudo e que concordaram com a gravação em vídeo da consulta de enfermagem na visita domiciliar à pessoa com LM utilizando o instrumento do estudo. Foram excluídos os enfermeiros que estavam em licença ou afastados de suas atividades assistenciais. Foram utilizados quatro instrumentos estruturados para realização da coleta de dados. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com o parecer nº 019/2013 e CAAE 0248.0.051.000-11. Os dados foram analisados através de estatística descritiva. Os enfermeiros eram predominantemente do sexo feminino (90,9%), brancos (63,6%), casados (45,5%), católicos (72,7%), e apresentavam em média 46,86 anos (mín.29; máx.60; ± 7,4). Quase a totalidade (95,5%) tiveram uma percepção positiva da experiência de aplicar o instrumento na prática clínica. Destes, 54,5% acharam a experiência boa ou ótima; 22,5% válida ou proveitosa ou interessante ou importante ou inovadora; 9,1% positiva e 9,1% norteadora. Um enfermeiro (4,5%) achou a experiência complicada. Quanto à viabilidade de utilização do INCEVDOP-LM na prática clínica, 63,6%dos participantes afirmaram ser viável o uso do instrumento em sua prática clínica, 27,3% asseguraram o uso apenas se for realizado alguns ajustes no instrumento e 9,1% não utilizariam esta ferramenta de investigação. Conclui-se que o instrumento norteia a consulta de enfermagem na visita domiciliar às pessoas com lesão medular e contribui para uma avaliação detalhada do indivíduo. Da forma como está descrito causou confusão em alguns profissionais quanto à alternativa que deveria assinalar. Dessa forma, acredita-se que o instrumento é passível de ser utilizado na prática clínica dos enfermeiros caso sejam realizados algumas alterações que o torne mais prático, claro, objetivo e direto e facilite a utilização por esses profissionais. Além disso, sugere-se que outros estudos sejam desenvolvidos para que possa validar clinicamente este instrumento.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21630
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DandaraNayaraAzevedoDantas_DISSERT.pdf2,07 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.