Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21728
Título: Memórias de Quintal: a arte do encontro com a criança interior e os afetos de infância
Autor(es): Medeiros, Paula Laís Araújo de
Palavras-chave: Arte do encontro;Criança interior;Imaginação;Jogo;Memórias de Quintal
Data do documento: 30-Mar-2015
Citação: MEDEIROS, Paula Laís Araújo de. Memórias de Quintal: a arte do encontro com a criança interior e os afetos de infância. 2015. 110f. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Resumo: This work is part of the creation process of the theater play “Memórias de Quintal” under the perspective of one of the actresses and dramaturgist of the play. The discussions raised here are based on some concepts or guiding principles: the theater as the “art of encounter”, the archetype of the child associated with the state of playing proposed by the theater play, and the imagination as motivator of the reconstruction of affective memories for the content of the scenes. The treatment with the backyard memories or childhood affections brings to the writing the subject in first person through the voice of the inner child, that reflects about her own trajectory of life, of art, and uses her experiences to nurture the creative process and, in this manner, to reach also the histories of the public. The authors that collaborated with this research were the director Jerzy Grotowski, the psychologists Carl Gustav Jung and James Hillman, the philosopers Gaston Bachelard and Johan Huizinga, and the poet Manoel de Barros.
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho é parte do processo de criação do espetáculo “Memórias de Quintal” sob a perspectiva de uma das atrizes e dramaturga da peça. As discussões aqui levantadas partem de alguns conceitos ou eixos-norteadores: o teatro enquanto “arte do encontro”, o arquétipo da criança associado ao estado de jogo proposto pelo espetáculo, e a imaginação como agente motivadora de reconstrução de memórias afetivas para os conteúdos das cenas. O trato com as memórias de quintal ou afetos de infância traz para a escrita o sujeito em primeira pessoa através da voz da criança interior, que reflete acerca de sua própria trajetória de vida, de arte, e utiliza suas experiências para nutrir o processo criativo e, dessa maneira, alcançar também as histórias dos espectadores. Os autores que mais colaboram com esta pesquisa são o encenador Jerzy Grotowski, os psicólogos Carl Gustav Jung e James Hillman, os filósofos Gaston Bachelard e Johan Huizinga, e o poeta Manoel de Barros.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21728
Aparece nas coleções:PPGAC - Mestrado em Artes Cênicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PaulaLaisAraujoDeMedeiros_DISSERT.pdf3,78 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.