Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21961
Título: Funcionalidade em uma coorte de idosos institucionalizados
Autor(es): Roig, Javier Jerez
Palavras-chave: Análise de sobrevida;Atividades cotidianas;Autonomia pessoal;Estudos transversais;Idoso;Instituição de longa permanência para idosos;Prognóstico
Data do documento: 23-Ago-2016
Citação: ROIG, Javier Jerez. Funcionalidade em uma coorte de idosos institucionalizados. 2016. 224f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: The main objectives of this work were: to verify the prevalence of functionaldisability (FD) inthe basic activities of daily living (BADL) and its associated factors (Study 1) and verify the incidence of functional decline and predictor factors of functional decline (Study 2) in institutionalized older people. The sample of the study was formed by individuals aged 60 years and over belonging to 10 nursing homes (NH) in Natal/RN, being excluded hospitalized or palliative care residents. The Study 1 is a cross-sectional study (October-December 2013) and FD was evaluated by Katz scale and characterized when there was limitation in one or more BADL (eating, sphincter control, transferring, personal hygiene, dressing and bathing). As independent variables sociodemographic, instituition-related health-related variables were considered. The Chi-square test, Fisher's exact test or the linear Chi-square test for the bivariate analysis and logistic regression for multivariate analysis were applied. The sample consisted of 321 individuals and the prevalence of FD was 72.9% (95% CI: 67.8-77.5%). The most affected task was 'bathing', followed by 'dressing' and 'toileting.' The final model found association with private NH (PR=1.33, p<0.001), age 83 and over (RP=1.26, p=0.003), reason for institutionalization “lack of caregiver” (RP=1.17, p=0.033) and osteoporosis (RP=1.23, p=0.045), adjusted by sex. The Study 2 is a 24-months longitudinal study with follow-up every 6 months (5 waves). Apart from the criteria considered in the Study 1, residents with FD for all BADL (bathing, personal hygiene, dressing, toileting, walking, transferring and eating) at baseline were excluded. The presence of functional decline was defined when there was a reduction the total score of BADL, which were assessed by a 5-point Likert scale. All independent variables of the Study 1 were considered, as well asthe mobility status, cognitive status (Pfeiffer test), toxic habits, physical activity and time-dependent variables. Statistical analysis was performed using the actuarial method, log-rank test, Cox univariate analysis and Cox regression. The cohort was composed of 280 individuals: 140, 50.0% (95% CI: 44.2-55.8%) experienced functional decline; 94, 33.6% (95% CI: 28.3-39.3%), maintained their functional capacity, and; 40, 14.3% (95% CI: 10.7-18.9%), showed functional improvement at one or more waves. The cumulative probability of functional maintenance was 44.0% (95% CI: 37.7-50.2%) at 24 months. The ability to eat showed the largest decline during the period (-0.54 points), followed by walking (-0.43), dressing (-0.35), transferring (-0.31), bathing (-0.29), personal hygiene (-0.24) and toileting (-0.22). The final model showed that the predictors factors of functional decline were severe cognitive impairment (HR=1.96, p=0.001), continence decline (HR=1.85, p=0.002) and incidence of hospitalizations (HR=1.62, p=0.020).
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho teve como objetivos principais: verificar a prevalência de incapacidade funcional (IF) para as atividades básicas da vida diária (ABVD) e os fatores associados (Estudo 1), assim como verificar a incidência de declínio funcional e os fatores prognósticos de declínio funcional (Estudo 2) em idosos institucionalizados. A amostra do trabalho foi formada por indivíduos de 60 anos ou mais pertencentes a 10 instituições de longa permanência para idosos (ILPI) da cidade do Natal/RN, sendo excluídos os hospitalizados ou em processo de cuidados paliativos. O Estudo 1 é de tipo transversal (Outubro e Dezembro de 2013) e foi avaliada a IF mediante a escala de Katz e caracterizada quando houve limitação em uma ou mais ABVD (alimentação, controle de esfíncteres, transferências posturais, higiene pessoal, capacidade para se vestir e tomar banho). Como variáveis independentes foram consideradas as sociodemográficas, as relacionadas à instituição e às condições de saúde. Usaram-se o teste qui-quadrado, teste de Fisher ou teste qui-quadrado de tendência linear para a análise bivariada, assim como a regressão logística para a multivariada. A amostra foi de 321 idosos e a prevalência de IF de 72,9% (IC 95%: 67,8-77,5%). A tarefa mais afetada foi o ‘banho’, seguido por ‘vestir-se’ e ‘ir ao banheiro’. O modelo final constatou associação com a instituição de tipo privado (RP=1,33, p<0,001), idade igual ou superior a 83 anos (RP=1,26, p=0,003), ser institucionalizado por não ter cuidador (RP=1,17, p=0,033) e osteoporose (OR=1,23, p=0,045), ajustado por sexo. O Estudo 2 é longitudinal de 24 meses de acompanhamento com intervalos de follow-up de 6 meses (5 ondas). Além dos critérios aplicados no Estudo 1, foram excluídos aqueles que apresentavam IF para todas as ABVD (banho, higiene pessoal, vestir-se, ir ao banheiro, caminhar, transferências posturais e comer) no início do estudo. Foi considerada a presença de declínio funcional quando houve redução na pontuação total das ABVD, as quais foram avaliadas mediante uma escala tipo Likert de 5 pontos. Foram analisadas todas as variáveis independentes do Estudo 1, mais o estado de mobilidade, cognitivo (teste de Pfeiffer), hábitos tóxicos e atividade física, além de variáveis dependentes do tempo. Para a análise estatística, foi utilizado o método atuarial, o teste log-rank, a análise univariada de Cox e a regressão de Cox. A coorte esteve composta por 280 idosos: 140, 50,0% (IC 95%: 44,2-55,8%), sofreram declínio funcional, 94, 33,6% (IC 95%: 28,3-39,3%) mantiveram a capacidade funcional, e 40, 14,3% (IC 95%: 10,7-18,9%), apresentaram melhora funcional em uma ou mais avaliações. A probabilidade acumulada de manutenção funcional foi de 44,0% (IC 95%: 37,7-50,2%) aos 24 meses. A capacidade de se alimentar foi a que apresentou maior declínio durante o período (-0,54 pontos), seguido por deambulação (-0,43), vestir-se (-0,35), transferências posturais (-0,31), banho (-0,29), higiene pessoal (-0,24) e ir ao banheiro (-0,22). O modelo multivariado mostrou que os fatores predictores de declínio funcional foram a incapacidade cognitiva grave (HR=1,98; p=0,003), declínio da continência (HR=1,70; p=0,013) e incidência de hospitalizações (HR=1,65; p=0,023).
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/21961
Aparece nas coleções:PPGSCOL - Doutorado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JavierJerezRoig_TESE.pdf3,37 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.