Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22003
Título: Investigação do papel de receptores do tipo 5-HT3 do núcleo dorsal da rafe na modulação de comportamentos relacionados à ansiedade em ratas
Autor(es): Freire, Bárbara Thaise da Silva
Palavras-chave: Ansiedade;Núcleo dorsal da rafe;Serotonina;Receptores 5-HT3;Fêmeas
Data do documento: 29-Jul-2016
Citação: FREIRE, Bárbara Thaise da Silva. Investigação do papel de receptores do tipo 5-HT3 do núcleo dorsal da rafe na modulação de comportamentos relacionados à ansiedade em ratas. 2016. 73f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: The involvement of both 5-HT3 receptors and dorsal raphe nucleus in the modulation of anxiety has been presented in the literature. Considering that most of population is affected by anxiety disorders, it is essential to search for new and more efficient forms of treatment and to increase the knowledge on the subject. The aim of this study is to test the hypothesis that the 5-HT3 receptors in the dorsal part of the dorsal raphe nucleus (dNDR) modulates the responses related to anxiety in rats. In experiment one, female Wistar rats with ± 90 days old were treated (p.o.) with ondansetron at doses of 0.1, 1 and 10 mg/kg/mL and 60 minutes later, were submitted to the elevated T maze (ETM) test. 24 hours later, they received ondansetron and were submitted to the open Field Test. In the experiments 2 and 3, the rats were submitted to the stereotactic surgery for implantation of intra-NDR cannula and received administration (via infusion) of saline or dolasetron at doses of 100, 500 and 1000nmol (experiment 2) or saline or mCPBG at doses of 2.5, 5 and 10mg (experiment 3). In both experiments, 5 minutes after the infusion of the drug, the animals were submitted to the test of ETM, and 24 hours after, they received drug infusion and were submitted to the open field test, to obtain dose-response curves. Ondansetron at a dose of 10mg/kg/mL increased latency of escape response in ETM, suggesting an panicolytic-like effect. The dolasetron caused no effect in ETM test in any of the tested doses. The agonist mCPBG instead, increased the inhibitory avoidance latency in all doses, suggesting an anxiogenic-like effect. Data obtained in the open field test showed no change in locomotor activity of rats following the treatments. The data here obtained supports the importance of 5-HT3 receptors in the NDR in the modulation of anxiety.
metadata.dc.description.resumo: O envolvimento de receptores do tipo 5-HT3, assim como a relação do Núcleo Dorsal da Rafe na modulação da ansiedade vem sendo citados na literatura. Levando em consideração a grande parcela da população que é afetada pelos transtornos de ansiedade, torna-se imprescindível a procura por novas formas de tratamento mais eficientes e pelo aumento do conhecimento acerca do assunto. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo é testar a hipótese de que receptores do tipo 5-HT3 presentes na porção dorsal do núcleo dorsal da rafe (NDR) modulem as respostas relacionadas à ansiedade em ratas. No experimento 1, ratas Wistar com ± 90 dias de idade receberam tratamento (v.o) de ondansetrona na dose de 0,1, 1 e 10 mg/kg/mL e, 60 minutos após, foram submetidas ao teste do Labirinto em T Elevado (LTE). 24 horas após o LTE, os animais receberam novamente a ondansetrona e foram submetidas ao teste do Campo Aberto. Nos experimentos 2 e 3, as ratas foram submetidas à cirurgia estereotáxica para implantação de cânula intra-NDR e receberam administração local de salina ou dolasetrona nas doses de 100, 500 e 1000nmol (experimento 2) ou salina ou mCPBG nas doses de 2,5, 5 e 10μg (experimento 3). Em ambos, 5 minutos após a infusão com a droga, os animais foram submetidos ao teste do LTE, e 24 horas após, receberam infusão e foram submetidos ao teste do Campo Aberto para obtenção de curvas doseresposta. A ondansetrona na dose de 10mg/Kg/mL aumentou a latência de fuga no LTE, sugerindo um efeito do tipo panicolítico. A dolasetrona não promoveu nenhum efeito no teste do LTE, em nenhuma das doses testadas. Já o agonista mCPBG em todas as doses aumentou a latência de esquiva inibitória em todas as tentativas, sugerindo um efeito do tipo ansiogênico. Os resultados obtidos no teste do Campo Aberto mostrou que não houve alteração na atividade locomotora das ratas causada pelos tratamentos. Os dados obtidos reforçam a importância dos receptores 5-HT3 no NDR na modulação da ansiedade.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22003
Aparece nas coleções:PPGCB - Mestrado em Ciências Biológicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BarbaraThaiseDaSilvaFreire_DISSERT.pdf2,1 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.