Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22039
Título: Ideologia e significado do trabalho: o caso dos trabalhadores por conta própria
Autor(es): Lima, Fellipe Coelho
Palavras-chave: Informalidade;Ideologia;Significado do trabalho;Camelô;Feirante;Classe trabalhadora
Data do documento: 2-Jun-2016
Citação: LIMA, Fellipe Coelho. Ideologia e significado do trabalho: o caso dos trabalhadores por conta própria. 2016. 350f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: After production restructuring, the heterogeneity of labour has increased and, consequently, the rates of informal labour (salaried without formal registration and self-employed). The allocation of workers in that context is mediated by ideology, which corresponds to the ideas that act upon the individuals’ social praxis towards conflict resolution, which in turn reach individual consciences through the meanings. This research aims to analyse the characteristics of ideology within informal labour context through the meanings attributed by self-employed workers. Twelve (12) semistructured interviews were performed with market workers from the street small Businesses Shopping Mall from Alecrim (locally known as “camelódromo”), a neighbourhood in Natal, Brazil, and the number of participants was determined by theoretical saturation. The meanings of labour have been analysed based on the biographical contexts of the participants, their relationship with social context and the ideological function they perform. It was identified that the participants who worked during childhood, motivated by their families’ subsistence, had been through more than four different professional experiences, including a previous experience as informal market workers and precarious formal labour. They establish contradicting relations of competition and cooperation towards other market workers and do not plan to interrupt their current work in the foreseeable future. They attribute meanings to work as a source of income as well as a form of time occupation, the salaried work as a place of humiliation and the self-employment as a way to satisfy their own demands. These meanings all agree with the conditions to which those individuals have been subjected and with how work is conceived within capitalism (labour as a monetary source and the center of social relations). They perform three ideological functions: fixing the workers under the mentioned work conditions, preventing the development of class conscience and the critics to wage labour. It is necessary that the organisms of workers’ representation become aware of the potentialities self-employed workers can create by taking part in the broader struggles of the working class.
metadata.dc.description.resumo: Com a reestruturação produtiva, adensou-se a heterogeneização do trabalho e, consequentemente, o crescimento do trabalho informal (assalariado sem registro e por conta própria). A alocação de trabalhadores nesse contexto é mediada pela ideologia, que corresponde às ideias que atuam sobre a práxis sociais dos indivíduos para a resolução dos conflitos sociais, que, por sua vez, alcançam as consciências individuais por meio dos significados. O objetivo dessa pesquisa é analisar as características da ideologia no trabalho informal a partir dos significados atribuídos ao trabalho por trabalhadores por conta própria. Realizou-se 12 entrevistas semiestruturadas com feirantes do Shopping de Pequenos Negócios do Alecrim (“camelódromo”), em Natal, Brasil, sendo o número de participantes determinado por saturação teórica. Analisou-se os significados do trabalho levantados com base no contexto biográfico dos participantes, a sua relação com o contexto social e a função ideológica que desempenham. Identificou-se que os participantes que trabalharam na infância, motivados pela sobrevivência da família, possuem mais de quatro experiências profissionais, tendo trabalhado como feirante anteriormente e se inserido em trabalhos formais precarizados. Estabelecem relações contraditórias de competição e cooperação entre os demais feirantes e não planejam interromper o seu trabalho em nenhum momento do futuro. Eles significam o trabalho como uma fonte de dinheiro e de ocupação do tempo, o trabalho assalariado como lugar de humilhação e o trabalho por conta própria como forma de realização de suas demandas. Esses significados concordam com as condições às quais esses sujeitos foram submetidos e com o modo como o trabalho é concebido no capitalismo (trabalho como fonte de renda e o centro das relações sociais). Eles desempenham três funções ideológicas: fixação dos trabalhadores nessa condição de trabalho, impedimento de construção de uma consciência de classe e crítica ao trabalho assalariado. É necessário que os organismos representativos dos trabalhadores atentem para as potencialidades dos trabalhadores por conta própria poderem integrar o campo de lutas mais amplo dessa classe.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/22039
Aparece nas coleções:PPGPSI - Doutorado em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FellipeCoelhoLima_TESE.pdf2,45 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.